Parceria com Hepic

A ACSC  fechou, recentemente, um contrato com a First Solutions Brasil, para a implementação do Hepic (Hospital Epidemiologic Control) – um software que permite a prevenção e o controle da infecção hospitalar e associadas aos cuidados de saúde – nas Comissões de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) da sua rede própria de Hospitais.

Na área da Saúde, a ACSC concentra um conhecimento de gestão hospitalar de mais de 100 anos. Com investimentos em planejamento e processos, as unidades geridas pela entidade oferecem atendimento humanizado, diferenciado e moderno.

Atualmente, a ACSC administra vários centros de saúde e oito hospitais próprios, entre os quais o Hospital Santa Catarina (São Paulo) e a Casa de Saúde São José (Rio de Janeiro), onde o Hepic já está em fase de implementação.

O Hepic foi avaliado, entre outras ferramentas, por médicos, enfermeiros e profissionais de TI da ACSC e, de acordo com Dra. Camila Sardenberg, Diretora Corporativa de Qualidade e Segurança do Paciente da Associação Congregação de Santa Catarina, o sistema foi escolhido “pelo funcionamento amigável e pela especialização na gestão e controle das infecções relacionadas à assistência à saúde”.

Com esta ferramenta, o trabalho da CCIH será mais eficaz na recolha e disponibilização de informação em tempo real, “vamos compartilhar conhecimento, economizar tempo nas nossas ações, já que uma experiência bem sucedida poderá ser replicada, além de reduzirmos o desperdício, uma vez que padronizaremos ações e recursos para diagnóstico e tratamento das infecções”, afirma Dra. Camila.

O objetivo da adoção dessa ferramenta de trabalho pela CCIH na ACSC é sobretudo “prevenir danos e sempre melhorar a segurança e assistência ao paciente, uma vez que os indicadores serão padronizados e a comunicação mais rápida. Como somos um grupo grande, com vários estabelecimentos de assistência à Saúde, esperamos que a ferramenta nos ajude a trabalhar melhor em equipe e em rede”, explica Dra. Camila.

Para a Diretora Comercial da First Brasil, Victória Musallam, este projeto vem atestar mais uma vez o diferencial inovador da solução para o mercado da saúde. “Temos tido por parte dos nossos clientes um feedback muito positivo relativo às mais-valias do sistema e na forma de como esta ferramenta facilita o já tão complexo trabalho das equipes das CCIH´s. Para nós é um privilégio poder contribuir ativamente com a nossa solução para esse trabalho”.

Com o Hepic “teremos grandes ganhos” sendo que “o melhor ganho será na assistência aos nossos pacientes”, conclui a Dra. Camila Sardenberg.

 

Cirurgia inédita de coluna é realizada no Hospital Santa Teresa

Cerca de 80% da população sofre com dores na coluna, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). Mas muitos dos que sofrem com as fortes dores temem o diagnóstico e método cirúrgico por acharem complexos e dolorosos. A partir deste ano, os moradores de Petrópolis (RJ),  já não precisam mais se preocupar com o grande trauma de uma cirurgia de coluna.

Já está disponível na cidade a técnica cirúrgica minimamente invasiva para procedimentos da coluna, realizada pela primeira vez  no Hospital Santa Teresa (HST),  pela equipe do médico ortopedista e especialista em coluna Paulo Brum. A XLIF (do inglês Extreme Lateral Interbody Fusion – fusão intersomática por via extremo-lateral) é realizada através de uma incisão (±5 cm) lateral ao corpo do paciente.

De acordo com Dr. Paulo Brum, a nova técnica difere das técnicas tradicionais por ser menos traumática e oferecer alta precoce aos pacientes. Dentro das doenças que podem receber tratamento por este procedimento estão, entre outras, a escoliose, hérnia de disco e a espondilolistese.

Dr. Paulo Brum

“O avanço tecnológico aliado à medicina vem propiciando o desenvolvimento de técnicas minimamente invasivas que visam uma recuperação mais rápida dos pacientes, além de ser menos dolorosa, com risco de infecção reduzido e sem necessidade de transfusão de sangue. O nosso paciente foi embora andando após 48h de realização do procedimento.”, explicou Dr. Paulo Brum.

O diretor executivo do Hospital Santa Teresa, Vinícius Tadeu de Oliveira, parabenizou Paulo Brum pelo sucesso do procedimento, que é o terceiro inédito realizado no Hospital. Em 1982 foi realizada a 1º cirurgia de coluna com instrumentação e em 1983 a primeira cirurgia de escoliose com instrumentação, todas no HST.

“Ficamos lisonjeados em receber Dr. Paulo Brum aqui no Hospital, para realizar mais uma cirurgia inédita no nosso Município. Parabenizamos a toda equipe pelo sucesso do procedimento e estamos abertos para receber outros especialistas que queiram realizar qualquer outro procedimento em nosso Centro Cirúrgico. O Hospital Santa Teresa está muito focado nos avanços da área médica e principalmente na realização de procedimentos inovadores.”, finaliza.

Hospital Santa Teresa inaugura 2º Hemodinâmica

Já está em funcionamento a 2º Hemodinâmica do Hospital Santa Teresa (HST), que pertencente à Associação Congregação de Santa Cantarina (ACSC), com capacidade para a realização de procedimentos de alta complexidade minimamente invasivos. O novo investimento ampliará os atendimentos à pacientes da Cardiologia, Neurocirurgia e Cirurgia Vascular do Município. Com a nova tecnologia, diminui-se o trauma cirúrgico, evitando as grandes incisões e as cicatrizes. Com isso, reduz-se o tempo cirúrgico e o tempo de internação.

Com a nova Hemodinâmica, o HST se destaca entre os cinco hospitais do Rio de Janeiro que oferecem um equipamento de alta precisão e tecnologia em benefício da saúde.

“Esse equipamento é um dos mais modernos do mercado e é voltado para atender as necessidades das nossas principais especialidades: cardiologia, vascular e neurocirurgia. A qualidade da imagem proporciona a diminuição do uso de contraste e com relação à exposição de radiação, diminui em 30% em comparação com as outras maquinas, o que garante mais segurança e precisão nos procedimentos para médicos, enfermeiros e pacientes.”, explicou Vinícius de Oliveira, Diretor Executivo do Hospital Santa Teresa.

 A avaliação médica: Os benefícios do novo equipamento:

 O setor de Hemodinâmica do HST realizou mais de 9000 procedimentos de alta complexidade só na área de cardiologia e vem se tornando referência também nas neurocirurgias endovasculares. Para o chefe da Neurocirurgia do HST, Orlando Maia, com a 2º Hemodinâmica, é possível potencializar a realização desta técnica que permite o tratamento de doenças arteriais e venosas.

“Durante muitos anos os pacientes portadores de aneurisma cerebral só podiam tratar-se através de cirurgia convencional. Já no final da década de 80 e começo de 90, surge à neurocirurgia endovascular. O procedimento é feito mais comumente pelo cateterismo (punção) dos vasos ou ainda pequenas incisões cirúrgicas, preferencialmente na virilha (acesso femoral) ou no membro superior, sob anestesia local. Com a técnica diminui-se o tempo de internação e proporciona uma recuperação mais rápida.”, explicou.

Nos tratamentos Vasculares, o Angiologista e Cirurgião Vascular, José Eduardo Costa Filho, comentou que a qualidade das imagens produzidas pela nova máquina garante mais precisão nos procedimentos.

“Este novo aparelho é um dos mais modernos existentes no mercado, em que a qualidade de imagem é muito superior, com mais nitidez, através de um detector plano de imagens 100% digitais. Com isso, conseguimos avaliar em detalhes os vasos e suas lesões a serem tratadas. E os softwares modernos, como a angiografia rotacional 3D, permitem a reconstrução de imagens em 3D com maior ganho de detalhes e redução da emissão de radiação e do uso de contrastes.”, avaliou.

 De acordo com o médico cardiologista e hemodinamicista, chefe da Hemodinâmica do Hospital Santa Teresa, Dr. João Alexandre Rezende Assad, com a implantação da 2º Hemodinâmica a população se beneficia ainda, com a diminuição do tempo de espera para a realização dos procedimentos.

“A presença da 2º Hemodinâmica irá aumentar o número de atendimentos como também acelerar o agendamento para exames de Cateterismo cardíaco e Angioplastia. E trará mais segurança aos serviços que não precisarão parar os atendimentos, caso o outro aparelho esteja em manutenção, o que é extremamente importante, principalmente nos casos de urgência.”, finaliza.