Creche Monteiro Lobato inova para incentivar alimentação saudável

Fazer uma criança gostar de comer verduras, legumes e frutas não é tarefa fácil. De olho neste objetivo, educadoras da Creche Monteiro Lobato, gerenciada pela Associação Congregação de Santa Catarina (ACSC), criaram o projeto “A alimentação e os animais”, que vem conquistando ótimos resultados entre a criançada. “O trabalho começou porque eles não comiam verdura nem legume. Tudo de cor diferente no prato eles rejeitavam. Era só arroz, feijão e carne. E nós queríamos mudar isso, até porque temos crianças com problemas de anemia. Então, nós tivemos a ideia de fazer um projeto sobre alimentação conciliando com os animais, de que eles gostam muito. Começamos a trabalhar o elefante e perguntar o que o elefante come? O elefante gosta de maçã, assim como o cavalo. Trabalhamos esses dois animais e trouxemos a maçã para incorporar no cardápio deles. Depois trabalhamos o peixe, que come alga. Para trazer para a nossa realidade, fizemos uma associação com a alface. Depois, aproveitando a Páscoa, trabalhamos o coelho, que come cenoura e verdura e, aos poucos fomos incorporando tudo isso ao cardápio deles. Agora começamos um trabalho com as aves, porque tem muita criança que não come ovo”, explica a educadora Dayane Cristina de Almeida.

Para tornar o projeto ainda mais envolvente, as educadoras também promovem lanches divertidos com as crianças, onde os pequenos podem participar do processo de elaboração do prato. No último mês, por exemplo, a garotada botou a mão na massa para fazer um ratinho de ovo, com orelhas de cenoura, rabinho de requeijão e bigodinhos de batata palha. Resultado: além de muita diversão, não sobrou nada no prato. “O objetivo é deixar a criança se envolver com o alimento para que ela passe a dar valor ao que come e tenha prazer em se alimentar. É um experimento novo que a mãe também pode adotar em casa, para fazer a criança comer verdura e legume. E dá resultado”, afirma a coordenadora geral da creche, Carla Cristina Silva. Ela relata também outra atividade desenvolvida na creche, com o mesmo objetivo, que surtiu efeito imediato. “Nós fizemos um teatrinho com personagens como a senhora batata e a dona cenoura. Nós levamos todos esses alimentos para sala de aula para que as crianças pudessem manusear e, ao manusear, elas quiseram experimentar. E no saber que gosto tem, elas experimentam e gostam, porque, geralmente, rejeitam sem nunca ter experimentado”.