Protocolo de Cirurgia Segura

A Direção Técnica do Hospital São José (HSJ), em parceria com as gerências de Enfermagem e Qualidade, promoveu o evento de lançamento do seu Protocolo de Cirurgia Segura (PCS), dia 23 de julho,  no Centro de Estudos do hospital. O evento, que teve como público alvo os médicos da Casa lançou o Protocolo, que será implementado em breve.

A apresentação do documento foi feita por membros das equipes de enfermagem ligados ao Centro Cirúrgico e durou cerca de 40 minutos. O PCS do São José é baseado no Protocolo do Ministério da Saúde (MS) – Portaria nº 1.377, de 9 de julho de 2013 -, cuja finalidade é: “Determinar as medidas a serem implantadas para reduzir a ocorrência de incidentes e eventos adversos e a mortalidade cirúrgica, possibilitando o aumento da segurança na realização de procedimentos cirúrgicos, no local correto e no paciente correto, por meio do uso da Lista de Verificação de Cirurgia Segura desenvolvida pela Organização Mundial da Saúde (OMS)”.

“Esse é um caminho sem volta”, comentou Dr. Marcelo Vettore, Diretor Técnico do HSJ ao final da apresentação. “Estamos trabalhando em todos os setores para aumentar a cada dia as condições de segurança dos nossos pacientes e o PCS faz parte de um processo que envolve todos os setores do Hospital”.

Após a apresentação, diversos cirurgiões fizeram observações sobre o Protocolo. “Precisamos manter a essência do PCS, tal qual como preconizado pelo MS e OMS, mas o documento deve sofrer adequações para adaptar-se à nossa realidade”, salientou o Diretor Técnico. Ao final da reunião, o diretor técnico agradeceu a presença de todos e salientou que a implantação do Protocolo será realizada assim que as adequações necessárias forem realizadas.

O diretor executivo do HSJ, Danilo Leon, comemorou a iniciativa, lembrando que a participação dos cirurgiões é fundamental no processo de implantação do PCS. “Assim como as equipes de enfermagem, os cirurgiões são diretamente afetados pela implementação do Protocolo, por isso é importante que eles participem dessa etapa de finalização do documento. Com esse processo, damos mais um importante passo dentro das diretrizes de melhoria contínua da qualidade dos serviços prestados”, finalizou Leon.

Parceria com Hepic

A ACSC  fechou, recentemente, um contrato com a First Solutions Brasil, para a implementação do Hepic (Hospital Epidemiologic Control) – um software que permite a prevenção e o controle da infecção hospitalar e associadas aos cuidados de saúde – nas Comissões de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) da sua rede própria de Hospitais.

Na área da Saúde, a ACSC concentra um conhecimento de gestão hospitalar de mais de 100 anos. Com investimentos em planejamento e processos, as unidades geridas pela entidade oferecem atendimento humanizado, diferenciado e moderno.

Atualmente, a ACSC administra vários centros de saúde e oito hospitais próprios, entre os quais o Hospital Santa Catarina (São Paulo) e a Casa de Saúde São José (Rio de Janeiro), onde o Hepic já está em fase de implementação.

O Hepic foi avaliado, entre outras ferramentas, por médicos, enfermeiros e profissionais de TI da ACSC e, de acordo com Dra. Camila Sardenberg, Diretora Corporativa de Qualidade e Segurança do Paciente da Associação Congregação de Santa Catarina, o sistema foi escolhido “pelo funcionamento amigável e pela especialização na gestão e controle das infecções relacionadas à assistência à saúde”.

Com esta ferramenta, o trabalho da CCIH será mais eficaz na recolha e disponibilização de informação em tempo real, “vamos compartilhar conhecimento, economizar tempo nas nossas ações, já que uma experiência bem sucedida poderá ser replicada, além de reduzirmos o desperdício, uma vez que padronizaremos ações e recursos para diagnóstico e tratamento das infecções”, afirma Dra. Camila.

O objetivo da adoção dessa ferramenta de trabalho pela CCIH na ACSC é sobretudo “prevenir danos e sempre melhorar a segurança e assistência ao paciente, uma vez que os indicadores serão padronizados e a comunicação mais rápida. Como somos um grupo grande, com vários estabelecimentos de assistência à Saúde, esperamos que a ferramenta nos ajude a trabalhar melhor em equipe e em rede”, explica Dra. Camila.

Para a Diretora Comercial da First Brasil, Victória Musallam, este projeto vem atestar mais uma vez o diferencial inovador da solução para o mercado da saúde. “Temos tido por parte dos nossos clientes um feedback muito positivo relativo às mais-valias do sistema e na forma de como esta ferramenta facilita o já tão complexo trabalho das equipes das CCIH´s. Para nós é um privilégio poder contribuir ativamente com a nossa solução para esse trabalho”.

Com o Hepic “teremos grandes ganhos” sendo que “o melhor ganho será na assistência aos nossos pacientes”, conclui a Dra. Camila Sardenberg.

 

Hospital Santa Teresa inaugura 2º Hemodinâmica

Já está em funcionamento a 2º Hemodinâmica do Hospital Santa Teresa (HST), que pertencente à Associação Congregação de Santa Cantarina (ACSC), com capacidade para a realização de procedimentos de alta complexidade minimamente invasivos. O novo investimento ampliará os atendimentos à pacientes da Cardiologia, Neurocirurgia e Cirurgia Vascular do Município. Com a nova tecnologia, diminui-se o trauma cirúrgico, evitando as grandes incisões e as cicatrizes. Com isso, reduz-se o tempo cirúrgico e o tempo de internação.

Com a nova Hemodinâmica, o HST se destaca entre os cinco hospitais do Rio de Janeiro que oferecem um equipamento de alta precisão e tecnologia em benefício da saúde.

“Esse equipamento é um dos mais modernos do mercado e é voltado para atender as necessidades das nossas principais especialidades: cardiologia, vascular e neurocirurgia. A qualidade da imagem proporciona a diminuição do uso de contraste e com relação à exposição de radiação, diminui em 30% em comparação com as outras maquinas, o que garante mais segurança e precisão nos procedimentos para médicos, enfermeiros e pacientes.”, explicou Vinícius de Oliveira, Diretor Executivo do Hospital Santa Teresa.

 A avaliação médica: Os benefícios do novo equipamento:

 O setor de Hemodinâmica do HST realizou mais de 9000 procedimentos de alta complexidade só na área de cardiologia e vem se tornando referência também nas neurocirurgias endovasculares. Para o chefe da Neurocirurgia do HST, Orlando Maia, com a 2º Hemodinâmica, é possível potencializar a realização desta técnica que permite o tratamento de doenças arteriais e venosas.

“Durante muitos anos os pacientes portadores de aneurisma cerebral só podiam tratar-se através de cirurgia convencional. Já no final da década de 80 e começo de 90, surge à neurocirurgia endovascular. O procedimento é feito mais comumente pelo cateterismo (punção) dos vasos ou ainda pequenas incisões cirúrgicas, preferencialmente na virilha (acesso femoral) ou no membro superior, sob anestesia local. Com a técnica diminui-se o tempo de internação e proporciona uma recuperação mais rápida.”, explicou.

Nos tratamentos Vasculares, o Angiologista e Cirurgião Vascular, José Eduardo Costa Filho, comentou que a qualidade das imagens produzidas pela nova máquina garante mais precisão nos procedimentos.

“Este novo aparelho é um dos mais modernos existentes no mercado, em que a qualidade de imagem é muito superior, com mais nitidez, através de um detector plano de imagens 100% digitais. Com isso, conseguimos avaliar em detalhes os vasos e suas lesões a serem tratadas. E os softwares modernos, como a angiografia rotacional 3D, permitem a reconstrução de imagens em 3D com maior ganho de detalhes e redução da emissão de radiação e do uso de contrastes.”, avaliou.

 De acordo com o médico cardiologista e hemodinamicista, chefe da Hemodinâmica do Hospital Santa Teresa, Dr. João Alexandre Rezende Assad, com a implantação da 2º Hemodinâmica a população se beneficia ainda, com a diminuição do tempo de espera para a realização dos procedimentos.

“A presença da 2º Hemodinâmica irá aumentar o número de atendimentos como também acelerar o agendamento para exames de Cateterismo cardíaco e Angioplastia. E trará mais segurança aos serviços que não precisarão parar os atendimentos, caso o outro aparelho esteja em manutenção, o que é extremamente importante, principalmente nos casos de urgência.”, finaliza.