Atividade de Páscoa no PAI-ZN

Nas duas semanas que antecederam a Páscoa, a área de Terapia Ocupacional junto à equipe assistencial do PAI-ZN promoveram grupos terapêuticos com a intenção de resgatar sentimentos e valores sobre a data, partindo de histórias de vida de cada paciente.

Com auxílio dos profissionais, os pacientes puderam confeccionar materiais significativos para eles em relação ao tema. As produções foram utilizadas para presentear entes queridos, decorar e humanizar o ambiente da internação, além de auxiliá-los no resgate e identificação de habilidades manuais, vínculos familiares e interação social.

No início de abril aconteceu a “Caça aos Ovos”. A proposta exigia atenção, concentração, envolvimento e raciocínio lógico. De forma terapêutica, pôde-se promover a relação interpessoal e a oportunidade de comemorar a Páscoa, lembrando o renascimento de Cristo e seu simbolismo.  A atividade foi realizada por meio da doação de ovos de Páscoa pela Coopercredi ACSC.

Dia de Pentecostes marca a chegada do Espírito Santo na Terra

O Dia de Pentecostes é uma das celebrações mais importantes do Ano Litúrgico. Em 2014, a data será comemorada em oito de junho. No Novo Testamento, Pentecostes marca o final da comemoração Pascal, por meio da descida do Espírito Santo sobre os apóstolos e seguidores de Cristo. Nesse episódio, o Espírito Santo utilizou o dom de línguas, para permitir que pessoas de origens diferentes pudessem compreender umas às outras.

A data é celebrada 50 dias após o domingo de Páscoa e é um importante marco na disseminação da mensagem de Jesus na Terra. Conforme o Novo Testamento, a partir do Dia de Pentecostes, os cristãos deixaram de temer a perseguição dos judeus e de se esconderem em ambientes fechados, passando a pregar a mensagem de Cristo para todos.

O tempo pascal e olhar ao irmão

Em discurso proferido recentemente pela ocasião da Páscoa, o Papa Francisco lembrou a todos nós a importância da busca de um mundo com mais paz e solidariedade, no qual as pessoas não estejam expostas a tragédias como a guerra, a fome e a degradação do ser humano.

“Ajuda-nos Senhor a derrotar a praga da fome, agravada pelos conflitos e pelos imensos esbanjamentos dos quais, frequentemente, somos cúmplices. Ajuda-nos também a proteger os indefesos, sobretudo as crianças, as mulheres e os idosos, tantas vezes objeto de abandono”, disse o pontífice.

Neste tempo pascal é importante que nos questionemos sobre o nosso posicionamento em relação a estes temas. Será que estamos olhando verdadeiramente para as necessidades daqueles que nos cercam? Será que estamos preocupados em oferecer auxílio àqueles que mais sofrem, que estão excluídos, que já não conseguem se levantar sozinhos? Será que, a exemplo do que nos pede Jesus, estamos amando nosso próximo como a nós mesmos?

Se tivermos dúvidas em relação a nossa postura nesse sentido, vale aproveitarmos este tempo para resgatarmos atitudes que nos reaproximem dos valores pregados por Jesus e disseminados pelos seus apóstolos.

Páscoa significa passagem. A passagem de Cristo deste mundo para o Pai, da morte para a vida, das trevas para a luz. Também nós devemos aproveitar este período para renovar não apenas a nossa fé, mas também a nossa conduta, como cristãos que, de fato, querem glorificar a Deus, evangelizar e anunciar o projeto de Jesus a partir de ações práticas, que levem mais amor e irmandade à vida das pessoas.