HSC realiza palestra gratuita sobre Meditação e Yoga para 3ª idade

O Hospital Santa Catarina (SP) realizou no dia 30 de julho a palestra ‘Meditação e Yoga: benefícios para o envelhecimento’. O evento, com entrada gratuita para todas as faixas etárias, foi ministrado por Marisa Slaviero, especialista em meditação e yoga, que esclareceu as principais dúvidas sobre os exercícios, o benefício da prática para manter a saúde, o que difere a yoga para idosos daquela praticada por jovens e a importância dos exercícios para tornozelos, quadril, mãos, pés, joelhos, pescoço e demais partes do corpo humano.

O evento faz parte do Ciclo de Palestras para a 3ª idade do Hospital Santa Catarina, que segue até novembro e aborda todos os meses diferentes temas ligados à saúde. Para Marcia Yassue Kimura Oka, coordenadora da Comissão de Geriatria e Gerontologia da Instituição, “a ideia é conscientizar a população sobre assuntos importantes que possam contribuir com a qualidade de vida e o bem-estar das pessoas”.

CRI Norte celebra 10 anos de atendimento aos idosos

O CRI Norte celebrou, em fevereiro, 10 anos de atendimento ao idoso na Zona Norte de São Paulo. Para comemorar a data, foram realizadas várias atividades no fim do mês voltadas aos colaboradores, voluntários e pacientes, manifestando a importância de todos na construção dessa trajetória.

A semana de comemorações contou com caminhada, apresentações musicais, baile, dança circular e a tradicional missa com homenagens aos colaboradores e parceiros que contribuíram com a implantação do CRI Norte.

LMR recebe grupo de teatro

No dia 03 de agosto o Lar Madre Regina recebeu o “Grupo de Amigos André Salles e Tamar” (GAAST), que trouxeram alegria para os  idosos da Casa, com música ao vivo e peças teatrais. Foram mais de 40 pessoas que passaram o dia de domingo no LMR e, inclusive, levaram algumas doações.

“O Teatro Mambembe do GAAST tem por objetivo realizar apresentações gratuitas em casas de apoio aos idosos e abrigos para crianças afastadas das suas famílias por diversos motivos. O embrião dessa trupe surgiu em 1983, num trabalho que em sua fase inicial durou até 1986. Após quase duas décadas em ‘hibernação’, em 2003 o grupo retomou o projeto e desde então já se apresentou em mais de 70 instituições de auxílio ao próximo.

Em cada visita apresentamos peças variadas, de comédias a dramas, infantis, coreografias de dança, esquetes com os palhaços e as bonequinhas, e músicas autorais, e de artistas conhecidos do grande público. A ideia é proporcionar uma tarde feliz, aprender com os exemplos que tomamos contato e assim valorizar nossas próprias vidas.”

Texto: Tiel Del Valhe

Novidades do CRI Norte

Ana e Daniela, colaboradoras tituladas

No mês de maio, seis colaboradores do Centro de Referência do Idoso da Zona Norte (CRI Norte) receberam o título de especialista em gerontologia e geriatria pela Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia – SBGG. A prova e a entrevista para obtenção do título aconteceram nos dias que antecederam ao Congresso Brasileiro de Geriatria e Gerontologia em Belém/PA.

O CRI Norte parabeniza e  deseja à todos os profissionais titulados muito sucesso!

Especialistas em Gerontologia:

Ana Paula Maeda

Daniela Horikawa

 Especialistas em Geriatria:

Dra. Mayra Zanetti

Dra. Marta Maria de Morais

Dra. Deborah Carvalho Correia

Dra. Mariane Aiko Simamura

Já no mês de junho, o CRI Norte realizou a  Semana de Conscientização à Violência Contra a Pessoa Idosa.  Para tratar desse tema, foram ministrados seminários e palestras, realizaram uma caminhada pelo Horto Florestal para conscientização da comunidade e também foram lançadas estratégias de enfrentamento à violência contra a pessoa idosa, com o objetivo de sensibilizar os colaboradores.

Lar Madre Regina recebe visita especial

O Lar Madre Regina recebeu pela primeira vez, a visita da Secretária de Assistência Social e Desenvolvimento do município, Genilda Bernardes. A Secretária conheceu as instalações físicas do Lar, acompanhada da equipe da instituição e de José Luíz Bichuetti, superintendente da ACSC.

A ida da Secretária ao Lar faz parte de um cronograma de visitas a todas as instituições de Assistência Social de Guarulhos, apoiadas pela Prefeitura. Para o gerente executivo do Lar Madre Regina, Gerson Magalhães, a visita foi uma oportunidade de apresentar à Secretária Genilda Bernandes, não apenas o trabalho da obra social, mas também de toda a ACSC. “É uma parceria de peso e a visita foi muito positiva”, afirma.

Atualmente o Lar abriga 79 idosos em situação de vulnerabilidade social. Os idosos, em geral, são dependentes e não têm apoio familiar ou moradia. Na instituição eles recebem cuidados com a alimentação, higiene e segurança, além de serem acompanhados por uma equipe de enfermagem 24 horas, assistência médica geriátrica, atendimento nutricional e fisioterápico.

A ACSC Lar Madre Regina, recebeu em apresentação solene, o certificado de Declaração de Utilidade Publica Municipal exercício 2012 e 2013, entregue pelo Prefeito Sebastião Almeida e a Secretária de Assistência e Desenvolvimento Social, Sra. Genilda Bernardes. É um reconhecimento do município dos serviços prestados pelo Lar, perante o Governo e a Sociedade. A certificação foi instituída no município pela Lei nº 6.884/2011 e regulamentada pelo Decreto nº 29.523/2011. Com este título, as instituições podem solicitar a isenção de taxas e tributos municipais, como IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) e tarifa de água.

Universalização – Obra Social oferece cursos de inglês

A Obra Social Santa Catarina, construída e administrada pelo Colégio Santa Catarina de Juiz de Fora (CSC – JF), passou a oferecer mais uma oportunidade para adultos e crianças do Bairro Jardim Casablanca e adjacências: um curso de inglês. A novidade está atraindo pessoas de todas as idades e de ambos os sexos, inclusive, famílias inteiras que, pela primeira vez, estão tendo a oportunidade de estudar juntas. As aulas são realizadas toda sexta-feira, às 9h30, graças a uma parceria firmada com o CNA.

“A comunidade do Casablanca é muito carente de cursos desse nível. E trazer um curso de inglês, com essa qualidade, para dentro da nossa Obra é, realmente, a realização de um sonho. A gente está dando a oportunidade para pessoas que não teriam condições de pagar um curso fora, fazer um curso de uma língua estrangeira aqui. E o bacana é que a procura não é só dos jovens. Tem muito adulto e até idoso que tinha o sonho de fazer uma língua estrangeira. E a gente poder proporcionar isso é emocionante. Realmente, cada vez
que conseguimos uma nova parceria para cá, para ampliar a nossa oferta de cursos e oficinas, damos continuidade ao legado de Madre Regina”, afirma emocionada Carla Cristina, coordenadora da Obra Social.

“Trabalhar com as crianças e os adultos na Obra Social é extremamente gratificante porque temos a oportunidade de transformar não só o futuro dessas pessoas, mas os nossos também. É um aprendizado a cada aula. Os alunos são interessados e nos recebem de braços abertos. Participar de um projeto social, que tem como objetivo real transformar a vida das pessoas através da educação, é maravilhoso. Só temos a agradecer a oportunidade”, declarou Michelle Monteiro, supervisora operacional do CNA.

Quem também agradece a oportunidade é a família Queiroz, que tem pai, mãe e filho aprendendo junto. “É um aprendizado novo, do qual a gente nunca havia experimentado. Não teríamos condições de pagar um curso para os três, com essa qualidade e próximo de casa. Isso nos abre uma oportunidade e tanto. Só temos a agradecer às Irmãs de Santa Catarina”, conta a mãe, Márcia de Sousa Queiroz.

“Com certeza está nos unindo mais, porque a gente divide os exercícios em casa, um esclarece a dúvida do outro. A gente não
esperava essa oportunidade de estudar todo mundo junto, perto de casa. É algo único, mesmo, para aprender. E a gente espera evoluir cada vez mais”, orgulha-se o vendedor Lucas Evangelista de Queiroz. “Nunca imaginei poder estudar com meus pais. Tem sido bacana, diferente. Em casa a gente troca algumas palavras e na escola, onde eu também tenho aula de inglês, está me ajudando bastante”, conta Lucas de Souza Queiroz, filho do casal.

A dona de casa Lucileia Magda Campos Costa também vivencia pela primeira vez duas novidades: fazer inglês e poder estudar junto com o filho de 10 anos. “Nunca tinha estudado inglês antes. Quando fiquei sabendo que a Obra Social ia oferecer o curso eu me empolguei. Na realidade, eu vim para fazer a matrícula do meu filho. Mas aí, eu pensei: eu vou ficar aqui parada, esperando a aula dele acabar, então decidi me matricular também e estou adorando. É sempre importante aprender coisas novas, não é?”. “Estudamos juntos
em casa e eu até ensino minha mãe, porque eu sei um pouco mais que ela”, exibe-se o Gabriel Campos Costa, que nos mostrou algumas das frases que já sabe dizer em inglês.

O CNA disponibilizou dois professores para atuar na Obra Social. São duas turmas com cerca de 15 alunos cada: uma para crianças e adolescentes e outra de adultos. Natália da Costa Foster ficou responsável por ensinar para o grupo mais velho, o que a deixa bastante motivada. “Não é a primeira vez que faço um trabalho social e adoro. Sempre gostei de trabalhar com todas as idades, mas com os adultos é muito legal porque eles têm um interesse muito grande em aprender, em buscar conhecimento, eles nos dão muito prazer
em trabalhar, porque eles dão valor à oportunidade e isso é muito gratificante. A estrutura que tem aqui é muito legal, completa, e como oferece várias oficinas, para todas as idades, as famílias podem vir todo mundo junto”, avalia a professora.

Para a Irmã Ana Maria Silva, da Congregação das Irmãs de Santa Catarina, o colégio cumpre com seu papel de educador ao oferecer oportunidade a quem a vida não deu oportunidade. “Ainda mais agora, com a Copa do Mundo, com pessoas de vários países vindo para o Brasil, penso que é uma oportunidade muito boa de crescimento, de aprimoramento, de interação. É um momento de essas pessoas que estão sendo beneficiadas se expandirem e realizarem seus sonhos. Por mais que não saiam falando com fluência, mas só o
fato de entender e pronunciar uma palavra, uma frase, você não se sente tão excluído”.

“Muita gente achou que o curso fosse só em função da Copa do Mundo, que depois acabaria. Foi uma coincidência começarmos agora, mas é um curso de um ano, no mínimo. Todos vão ganhar certificado do CNA e isso surpreende os nossos assistidos, porque eles sabem que todo esse carinho, esse cuidado, esse esforço é para eles. É oportunidade de conhecimento, de qualidade de vida”, complementa Carla, adiantando que, para o próximo ano, já existe o projeto de ampliar o curso no período noturno e dar oportunidade a quem
trabalha durante o dia.

Campanha Nacional de Vacinação contra Influenza

Vacinação no HTDO

Com o objetivo de garantir a saúde dos seus colaboradores e a segurança dos pacientes, o Hospital de Traumatologia e Ortopedia Dona Lindu (HTODL), em Paraíba do Sul, aderiu pelo quarto ano consecutivo à campanha nacional promovida pelo Ministério da Saúde e disponibilizou para seus funcionários a vacina contra o vírus influenza (causador da gripe). A vacinação no HTODL aconteceu nos dias 05 e 06 de maio e foi uma parceria do hospital com a Secretária de Saúde de Paraíba do Sul. Os profissionais de saúde estão entre os grupos prioritários para a imunização.

O CRI Norte também participou da Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza 2014.  As vacinações aconteceram do dia 22 de abril a 9 de maio.

Alunos do CSC-JF participam do Parlamento Jovem de Minas

Alunos do Colégio Santa Catarina (CSC) participaram, no dia 24 de abril, de uma mesa de debates promovida pela Assembleia Legislativa de Minas (ALMG) e pela Câmara Municipal de Juiz de Fora, sobre envelhecimento, tema central do Parlamento Jovem 2014. O evento, realizado no Colégio dos Santos Anjos, reuniu estudantes das cinco escolas de Juiz de Fora participantes desta edição do projeto, além de alunos de Matias Barbosa, Leopoldina e Santos Dumont. Foi um momento muito proveitoso, em que os palestrantes – Regina Garcia, presidente do Conselho Municipal dos Direitos dos Idosos/JF; Fernanda Machado Freitas, analista de projetos educacionais da ALMG; e Robson Sávio Reis Souza, professor da PUC/MG – instigaram a plateia e colocaram várias questões para os adolescentes refletirem.

O primeiro a falar foi o professor da PUC/MG, que aconselhou os estudantes a fazerem um diagnóstico sobre o que o município onde vivem oferece de política para os idosos. Se há conselho municipal do idoso, legislação específica, entre outros. “É preciso que, no plano do município, em primeiro lugar, vocês conheçam o que existe. Articulem-se para apresentar políticas municipais para os idosos. E, num segundo plano, pensar em legislações que podem ser ampliadas para todo o estado. O Brasil vive um aumento proporcional do número de idosos. Está deixando de ser um país jovem para ser um país velho. Antigamente, um casal tinha dez filhos. Hoje, a média de filhos é de um vírgula cinco por família. Ou seja, não temos mais a produção de crianças em larga escala.

Portanto, o poder público, nas três esferas, deve implementar políticas públicas para favorecer o envelhecimento saudável e garantir os direitos dos mais velhos, que é justamente o tema do Parlamento Jovem este ano”, destacou. A analista de projetos da ALMG falou especificamente sobre o processo de envelhecimento. “Quando falamos em políticas que consideram a questão do envelhecimento, estamos falando de vocês também, da criança, do adulto, porque todos estão em processo de envelhecimento. E quando falamos em qualidade de vida, também existe uma série de outros atributos que sustentam esse conceito. Nós temos a oportunidade, por meio do Parlamento Jovem, de discutir e propor ações, tanto para fazer acontecer o que já existe, quanto para estabelecer aquilo que ainda não existe. Isso olhando os idosos de hoje, mas também para vocês, que vão envelhecer”, afirmou.

Para finalizar, Fernanda lembrou aos estudantes da necessidade de termos projeto de vida, de pensarmos sobre nosso futuro. “Somos seres que estão aqui não simplesmente ocupando lugar no espaço, mas um ser que transcende, que tem a capacidade de se ver além do agora. Ser com existência transformadora, capaz de construir e se transformar e, portanto, capaz de se projetar no futuro”. Regina Garcia foi a que mais cutucou os adolescentes. Ela começou sua fala trabalhando na semântica da palavra aposentado. “Em português, é aquele que vai para o aposento, sai de cena. Em espanhol é jubilado, não no sentido de louros e glória, mas no sentido de exclusão. No inglês retired, o significado é literal, retirado. Esse é o sistema em que nós vivemos, o sistema capitalista em que você é enquanto você é produtivo”.

De acordo com Regina, o Estatuto do Idoso é um avanço, sim, mas ainda tem muito que caminhar, porque é preciso fazer desse estatuto direito de política publica e política social e não proteção, não chamar o velho de coitadinho. Ela aconselhou os estudantes a conhecerem o Estatuto do Idoso, como o primeiro passo para a elaboração de políticas públicas e sociais. Para a especialista, antes de elaborar leis, é fundamental quebrar estereótipos, referindo-se às placas indicativas de idoso, que sempre trazem uma pessoa curvada com bengala na mão. “As mulheres sofrem mais com o envelhecimento, por causa do estigma que vem com ele. Há esse estigma. Precisamos quebrá-lo. Antes de leis, precisamos mudar condutas pessoais, porque, senão, vamos fazer leis retrógadas, antiquadas, cheias de comportamentos estereotipados, já que as leis refletem o que o povo pensa. Então, antes de leis, vamos pensar diferente”, disse em tom provocativo.

Em seguida, Regina perguntou à plateia quem já tinha visitado algum asilo de idosos e indagou aos estudantes se eles, uma vez idosos, ficariam num lugar daquele? “Eu quero uma coisa melhor pra mim e acredito que vocês também. Então, comecem a criar um mundo melhor para vocês. Nós temos que construir um futuro diferente dessa realidade em que os velhos vivem hoje”. E citou Mário Sergio Cortella, que faz um questionamento muito interessante: ‘Vivemos mais. Vivemos bem?’. Para finalizar, Regina remeteu-se a José Saramago: ‘Se puderes olhar, vê. Se puderes ver, repare’. “Esse ‘reparar’ eu uso em dois sentidos: no sentido de observar, e no sentido de consertar. Está em nossas mãos a criação de um país melhor. Contribuam para isso. Reparem como os idosos estão sendo tratados hoje e veja se é assim que você quer ser tratado. Se não for, está na hora de agir para construir o seu futuro melhor”.

Depois da explanação de cada um dos três convidados, os alunos puderam fazer perguntas. Após uma pausa para um lanche compartilhado, coordenadores, monitores e estabelecimentos de ensino se reuniram com a equipe da Escola do Legislativo da ALMG e da PUC-MG e participaram de uma oficina sobre “A arte modifica os modificadores da sociedade”, com Joselma Luquini Chaves, oficial de apoio do Legislativo mineiro.

Um pouco mais sobre o PJMG

O Parlamento Jovem é realizado pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) desde 2004. Em 2010, o projeto foi estadualizado e, desde então, é realizado em Juiz de Fora, em parceria com a Câmara Municipal, a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e as escolas participantes. O objetivo é estimular a formação política de estudantes do Ensino Médio e conduzi-los a um exercício de participação democrática nas questões relevantes da sociedade. É a quarta vez em que o CSC participa.

Este ano, o projeto tem como tema central “Envelhecimento com qualidade de vida”. Nesse contexto, os estudantes terão três subtemas para trabalhar: Direito de envelhecer bem, Promoção da convivência intergeracional e Protagonismo social e político. Nesta edição, além do Santa Catarina, participam do Parlamento Jovem a Escola Estadual Antônio Carlos, a Escola Cinecista Monteiro Lobato e os Colégios dos Jesuítas e dos Santos Anjos. Ao todo, foram selecionados 150 estudantes, 30 de cada colégio.

Até o mês que vem, os estudantes selecionados para integrar o projeto irão passar por uma capacitação, orientados por monitores da UFJF. Entre os meses de maio a julho, eles se reúnem para elaborar as propostas, que serão debatidas em grupos de trabalho, divididos por subtemas. No dia 6 de agosto, será realizada uma plenária municipal para apresentação das ideais elaboradas pelos parlamentares mirins. Este ano, haverá uma etapa regional do PJMG, prevista para o início de setembro. Logo em seguida, as propostas finais serão encaminhadas para a ALMG. O projeto se encerra em outubro, com plenária final, na ALMG, em Belo Horizonte.

CRI Norte realiza ações para a comunidade

O Comitê de Humanização e Centro de Convivência do CRI Norte, em parceria com o curso de Podologia do SENAC Santana, promoveu uma ação de Autocuidado e Hidratação para os pés, atividade voltada à qualidade de vida dos idosos e colaboradores da instituição. Os profissionais do SENAC compartilharam diversas orientações para se pensar alguns hábitos de saúde e o cuidado para com os pés com massagem e hidratação.

 

 

 

 

Outra ação promovida para a comunidade no mês de março foi a celebração do Dia Mundial da Saúde Bucal, comemorado em 20 de Março, que teve o objetivo de reforçar a importância de uma boa saúde bucal para a qualidade de vida e desenvolvimento social de pessoas de todas as idades.

O Centro de Referência do Idoso programou uma sequência de atividades com apresentações do Coral do CRI Norte, de um vídeo com relatos de idosos e dentistas e palestras.

Este evento teve como objetivo conscientizar seus participantes sobre os reflexos da saúde bucal na saúde geral como celebrar o exercício pleno das diversas funções relacionadas à boca.

De acordo com Bruno Guardieiro – cirurgião dentista do CRI Norte, a saúde bucal está presente em diversos aspectos de nossa vida, em várias atividades diárias: quando sorrimos, falamos, comemos ou cantamos.

Confira  o vídeo do evento: Dia da Saúde Bucal – CRI Norte

CRI Norte promove nova edição do Curso de Orientação aos Cuidadores Informais

Neste mês de fevereiro o Centro de Referência ao Idoso – CRI Norte promove a 13º edição do Curso de Orientação aos Cuidadores Informais. O objetivo é informar e orientar o cuidador da pessoa idosa sobre o processo de envelhecimento e os cuidados fundamentais no domicílio; prevenir a sobrecarga e o impacto dos cuidados prestados; preservar o autocuidado do cuidador.

O curso é coordenado pelo Serviço Social e as palestras são ministradas pela equipe multiprofissional, com a abordagem de temas como: Aspectos sociais do envelhecimento, como lidar com as dificuldades de comunicação e engasgo, finitude, cuidados com os pés da pessoa idosa, doenças mais comuns na velhice, saúde bucal, entre outros.

O curso é gratuito. Em 2011 o CRI Norte iniciou ações voltadas aos cuidadores informais. O Curso de Orientação faz parte das ações desenvolvidas no Programa. Até o momento o curso já capacitou 741 participantes, entre eles, cuidadores informais, profissionais de saúde e demais interessados no assunto.

Captação de água da chuva – Lar Madre Regina

Considerada um recurso natural raro, a água deve ser poupada e reaproveitada ao máximo, sendo que apenas 1% da água existente no planeta está disponível para consumo. Diante desta realidade e preocupado com questões relacionadas à sustentabilidade do planeta, o Lar Madre Regina implantou um sistema inovador de aproveitamento de água da chuva.

De acordo com o gerente executivo do Lar, Gerson Ribeiro Magalhães, o sistema, que coleta cerca de 60 mil litros de água por chuva, é realizado por gravidade, ou seja, sem a necessidade de outra energia (elétrica ou a diesel) envolvida no processo. “Coletamos a água do telhado por meio de calhas e, em uma determinada localidade do terreno, aproveitamos o desnível para captar a água pelo próprio solo”, explica o gerente.

Segundo Gerson, o projeto de reuso de água foi criado com o objetivo de contribuir com a preservação do meio ambiente e garantir uma atuação sustentável do Lar, que fica instalado em um terreno de mais de 22 mil m², sendo aproximadamente 17 mil m² de áreas verdes e pátios externos. “Atualmente, abrigamos 79 idosos, que em geral são dependentes desde os cuidados com a alimentação até os aspectos de higiene. Além deste belo trabalho de assistência social, temos a responsabilidade de preservar o nosso planeta, não apenas para os nossos idosos, mas também para as suas gerações”.

Mesmo tendo a isenção do pagamento de consumo de água, autorizado pelo Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) de Guarulhos, o Lar Madre Regina adota diversas outras práticas voltadas à conscientização sobre o assunto, como estimular o fechamento da torneira durante a escovação dos dentes e o uso consciente do chuveiro.

Vale pontuar ainda que o projeto de aproveitamento de água da chuva feito pelo Lar Madre Regina, foi previsto no seu planejamento estratégico e está alinhado com as diretrizes de responsabilidade socioambiental da Associação Congregação de Santa Catarina.

Sistema para captação de água da chuva

 

Referência de sustentabilidade

Todo o investimento feito pela Associação Congregação de Santa Catarina no Lar Madre Regina em prol da sustentabilidade ambiental, já o torna uma referência, por isso a convite da Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes do Estado de São Paulo (Fehosp), o especialista corporativo de responsabilidade ambiental, Francisco Silvério Neves, realizou uma vídeo conferência sobre Sustentabilidade, no fim de novembro. Durante sua apresentação, Neves apresentou dois casos de sucesso, o do Lar Madre Regina (coleta de água da chuva) e Captação de Energia Solar para aquecimento água do Amparo Maternal.

“Abordamos a escassez de água e energia elétrica no Brasil, e a importância deste trabalho desenvolvido nas entidades da ACSC, focando da importância da Responsabilidade Ambiental por todos nós”, revela o especialista.

Participaram do evento, 38 Instituições da área da Saúde, sendo que 25 delas atuam fora do Estado de São Paulo.

O evento faz parte do calendário de atividades do Educasus, que visa aprimorar a gestão das unidades de saúde em todo o País, permitindo que o processo de educação permanente se perpetue. Com isso, o aprendizado, a implantação de projetos, treinamentos em temas de relevância e a troca de experiências entre as entidades sejam amplamente divulgados e partilhados, contribuindo para a profissionalização.

Para Antônio Carlos Nunes de Azevedo, diretor corporativo de filantropia da Associação Congregação de Santa Catarina, a divulgação das práticas ambientais existentes na entidade, bem como a participação no Educasus em outros temas, vai ao encontro da missão da entidade – Perpetuar o legado de Madre Regina Protmann, mobilizando esforços para uma filantropia autossustentável nas áreas da saúde, educação e assistência social –, reforçando que, “a sustentabilidade ambiental é pauta permanente de preocupação, debate e ações nas Casas da entidade”, finaliza.