Semana da Qualidade do HST tem integração com outras Casas da ACSC

O Hospital Santa Teresa (RJ) promoveu, no fim de novembro, a 2º Semana da Qualidade e Segurança do Paciente do hospital, com o tema “aprendendo com a ciência da melhoria”.

Neste ano, houve uma integração entre as Casas do Rio de Janeiro, com apresentação de projetos da qualidade do Hospital de Traumatologia e Ortopedia Dona Lindu (RJ) e do(RJ), em dois dias do evento.

Casas de Saúde participarão de treinamento itinerante sobre ventilação mecânica

Os Hospitais São José e Santa Teresa, na região serrana do RJ, e os Hospitais São Luiz e Regional de Cáceres, localizados em Mato Grosso, entrarão na rota do “Dräger Truck”, um projeto itinerante de educação continuada, que visa treinar profissionais assistenciais em ventilação mecânica e terapia intensiva.

Idealizado pela Dräger, fabricante mundial de equipamentos hospitalares, os treinamentos são realizados em um caminhão totalmente customizado, que tem por meta percorrer 18 mil quilômetros, passando por cinco regiões brasileiras. Com 45 m² de área útil, o caminhão dispõe de um moderno showroom e uma sala de treinamento equipada com recursos audiovisuais, capaz de acomodar até 30 pessoas. Neste ambiente, médicos intensivistas, fisioterapeutas, enfermeiros e engenheiros clínicos discutem situações rotineiras em sua prática clínica e aprendem a contorná-las utilizando ventiladores mecânicos.

O treinamento da Dräger na ACSC é uma iniciativa da área de Logística Corporativa em conjunto com os hospitais, que buscam nas negociações oportunidades que ultrapassam as tratativas comerciais, com o objetivo de atingir os usuários e pacientes de toda ACSC. Foram incluídas na programação as Casas de Saúde que estão localizadas na rota traçada pela Dräger. O conteúdo dos treinamentos abordará fisiologia respiratória, ventilação mecânica básica, ferramentas para melhorar a sincronia entre paciente-ventilador, ventilação não invasiva, ferramentas avançadas e prática nos equipamentos. Os colaboradores do Rio de Janeiro participarão dos treinamentos no final de setembro. O caminhão chegará ao Mato Grosso em novembro.

Novembro Azul no Hospital São José

O Hospital São José (HSJ) promoveu, no dia 27 de novembro, uma palestra com o tema “Doenças da Próstata”. O evento faz parte das atividades programadas pelo Setor de Oncologia para celebrar o Novembro Azul – campanha de conscientização dirigida à sociedade e aos homens em especial sobre a importância da prevenção e do diagnóstico do câncer de próstata e outras doenças masculina.

A palestra foi proferida pelo urologista e chefe do setor de urologia do HSJ, Manoel Pombo. Com o auditório lotado de colaboradores – em sua maioria homens – Pombo falou sobre as diversas doenças que podem acometer os homens a partir dos 50 anos. O médico falou sobre a prostatite (infecção aguda ou crônica causada por bactérias); hiperplasia benigna da próstata (aumento benigno do volume da próstata) e sobre o câncer.

“Essa é a segunda causa mais comum de morte por câncer nos homens”, alertou Pombo. Ainda segundo o médico, dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), atualmente há 400 mil casos no Brasil. “No entanto, o diagnóstico precoce pode salvar muitas vidas. A estimativa é de que apenas 6% dos casos diagnosticados precocemente levem a óbito dos pacientes”.

O palestrante explicou ainda que casos de câncer de próstata são diferentes para cada homem. “É sempre importante levar em consideração o perfil de risco, tais como idade, hormônios, histórico familiar, raça, país e alimentação”. (Confira no quadro abaixo o grupo de risco, sintomas e tratamentos para a doença).

Outro grande problema é que o câncer de próstata é assintomático no início. Por isso a importância do diagnóstico precoce, que é obtido através do exame de PSA (exame de sangue que indica possibilidade do paciente ter câncer de próstata) e toque retal.

Médico palestrante com a equipe organizadora da palestra

Ao final da palestra foram sorteados brindes para a platéia. Segundo Danilo Leon, diretor executivo do São José, esses eventos são importantes porque trazem informações aos colaboradores. “Nossos esforços hoje estão concentrados na busca pela qualidade no atendimento aos nossos pacientes. Essa qualidade começa pelos nossos colaboradores, que dão o melhor de sua contribuição profissional a esta instituição”, informou o diretor. Além da palestra, foram distribuídos folhetos explicativos, marcadores de livros e fitas azuis (símbolo da campanha).

Grupos de risco:Homens a partir dos 50 anos de idadeCom histórico familiar

Homens de raça negra

Maus hábitos alimentares e sedentários

Sintomas:

A maioria dos cânceres de próstata cresce lentamente e não causa sintomas. Entretanto, caso o tumor já esteja em um estágio mais avançado, é possível sentir dificuldade para urinar, sensação de não conseguir esvaziar completamente a bexiga e presença de sangue na urina, conhecida como hematúria. Dor óssea, principalmente na região das costas, também é sinal de que a doença evoluiu para um grau maior de gravidade.

Tratamentos:

Cirurgia – pode ser realizada por via retropúbica aberta (incisão abdominal); laparoscópica (pequenas incisões abdominais) ou via perineal (incisão na região do períneo).

Radioterapia – por meio de radiação externa, esse método tem eficácia satisfatória com o mínimo de efeito colateral.

Braquiterapia – método interno, leva a radiação  para o interior da próstata por meio de pequenas “sementes” radioativas.

Terapia hormonal – utilizada quando o câncer já se espalhou ou quando o paciente está sob radioterapia  ou fez cirurgia, para prevenir o retorno da doença.

Fontes: www.drauziovarella.com.br;

Almanaque DOC – Câncer de Próstata