Brinquedoteca Sustentável

Na volta às aulas da Escola Santa Catarina/ ES, os alunos do primeiro ano do ensino fundamental inauguraram a Brinquedoteca Sustentável, produzida pela professora Fátima. É um espaço para as crianças brincarem e  contextualizarem de forma lúdica os conteúdos trabalhados em sala de aula.

A Brinquedoteca foi produzida com materiais recicláveis e com doações de brinquedos dos próprios alunos e, segundo Fátima, esse trabalho despertou a conscientização dos alunos quanto ao reaproveitamento dos materiais que seriam descartados. No espaço, as crianças trabalham a leitura e produção de texto por meio de cardápios e listas de compras, e noções de valor com o manuseio de moedas e notas e operações de adição e subtração.

ACSC no combate à exploração sexual

Maior país da América Latina, o Brasil ocupa também o primeiro lugar em um triste ranking: o da exploração sexual de crianças e adolescentes. O dado divulgado pela Organização das Nações Unidas (ONU) ganha ainda mais força com a realização da Copa do Mundo de 2014. De olho na importância desse debate, a Associação Congregação de Santa Catarina (ACSC), entidade filantrópica, entra no combate à exploração sexual de crianças e adolescentes, a partir de uma campanha que mobilizará suas 34 Casas existentes em sete Estados brasileiros.

Responsável pela gestão de serviços nas áreas de saúde, educação e assistência social, a ACSC conta atualmente com cerca de 15 mil colaboradores em todo o País. A Associação aposta no poder de disseminação de informações entre os membros deste grupo para, a partir de uma campanha interna, ampliar o debate e a vigilância em torno desta questão nas comunidades onde a entidade está presente.

Todas as áreas de atuação da ACSC estão sendo envolvidas na campanha, cujo potencial de disseminação e orientação junto às famílias é ainda maior.

“Esta é uma questão muito séria para o país, cujo combate demanda a sensibilização e o empenho de todos os brasileiros. Se cada cidadão, empresa ou instituição fizer a sua parte, certamente, conseguiremos fazer a diferença. Para nós da Associação Congregação de Santa Catarina tratar o ser humano com respeito e dignidade é um valor maior, que rege tudo em que acreditamos, por isso estamos propondo essa ação nas nossas Casas, para levar às comunidades que atendemos a consciência de que é importante batalharmos juntos para dizimar este crime”, diz Antônio Azevedo, diretor corporativo de filantropia da ACSC.

Triste estatística

Por se tratar de um tema delicado, o próprio Governo Brasileiro tem dificuldade de precisar a quantidade de crianças e adolescentes vítimas de exploração sexual. No entanto, o Ministério da Saúde, por meio do Sistema de Vigilância de Violências e Acidentes (VIVA), no ano de 2011, traçou o perfil das vítimas. Dos 14.625 casos pesquisados, 22% envolveram crianças de até um ano de idade, e 77% dos abusos são praticados contra meninas e meninos de até nove anos. Nessa última faixa etária, a agressão sexual é o segundo tipo de crime mais praticado, atrás apenas de abandono e negligência.

“As estatísticas da exploração sexual de crianças e adolescentes no Brasil são deploráveis. Se não agirmos incisivamente no cerne desta questão, observando, orientando e denunciando qualquer suspeita de exploração sexual, jamais combateremos esse mal. Por isso, esta ação vem ao encontro ao Lema da Campanha “Esquecer é Permitir, Lembrar é Combater”, visto que é um tema que deve ser lembrado em todos os dias do ano. Por termos uma quantidade grande de atendimentos de crianças e adolescentes na entidade, temos a responsabilidade social de participar ativamente de todos os movimentos no Combate à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes”, conclui Juliana Lie Ioshimatsu, analista de responsabilidade social da ACSC.

NESC visita a Amazônia Mundi

A Amazônia Mundi é uma exposição em cartaz no Sesc Itaquera que leva um pedaço de selva Amazônica à Zona Leste de São Paulo.  A exposição traz as cores e os cheiros da região e apresenta ao público animais e plantas típicas. As crianças do Centro para Crianças e Adolescentes (CCA) do Núcleo Educacional Santa Catarina (NESC), visitaram a exposição.

O NESC, atende atualmente 270 crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade e risco social, proporcionando atividades sócio educativas, pedagógicas e recreativas além de alimentação e acompanhamento de saúde. Crianças entre 0 e 6 anos permanecem em período integral na instituição, enquanto as crianças e adolescentes de 7 a 14 anos permanecem no contra turno escolar, para atividades de acompanhamento, atividades de artes, de corpo e movimento e de sociabilidade.

Além das atividades oferecidas diretamente as crianças e adolescentes atendidos, o NESC oferece para comunidade em geral cursos em parcerias com ONGS e Empresas Privadas tais como: Palestras, oficinas, cursos, bazares entre outras atividades.

Universalização – Obra Social oferece cursos de inglês

A Obra Social Santa Catarina, construída e administrada pelo Colégio Santa Catarina de Juiz de Fora (CSC – JF), passou a oferecer mais uma oportunidade para adultos e crianças do Bairro Jardim Casablanca e adjacências: um curso de inglês. A novidade está atraindo pessoas de todas as idades e de ambos os sexos, inclusive, famílias inteiras que, pela primeira vez, estão tendo a oportunidade de estudar juntas. As aulas são realizadas toda sexta-feira, às 9h30, graças a uma parceria firmada com o CNA.

“A comunidade do Casablanca é muito carente de cursos desse nível. E trazer um curso de inglês, com essa qualidade, para dentro da nossa Obra é, realmente, a realização de um sonho. A gente está dando a oportunidade para pessoas que não teriam condições de pagar um curso fora, fazer um curso de uma língua estrangeira aqui. E o bacana é que a procura não é só dos jovens. Tem muito adulto e até idoso que tinha o sonho de fazer uma língua estrangeira. E a gente poder proporcionar isso é emocionante. Realmente, cada vez
que conseguimos uma nova parceria para cá, para ampliar a nossa oferta de cursos e oficinas, damos continuidade ao legado de Madre Regina”, afirma emocionada Carla Cristina, coordenadora da Obra Social.

“Trabalhar com as crianças e os adultos na Obra Social é extremamente gratificante porque temos a oportunidade de transformar não só o futuro dessas pessoas, mas os nossos também. É um aprendizado a cada aula. Os alunos são interessados e nos recebem de braços abertos. Participar de um projeto social, que tem como objetivo real transformar a vida das pessoas através da educação, é maravilhoso. Só temos a agradecer a oportunidade”, declarou Michelle Monteiro, supervisora operacional do CNA.

Quem também agradece a oportunidade é a família Queiroz, que tem pai, mãe e filho aprendendo junto. “É um aprendizado novo, do qual a gente nunca havia experimentado. Não teríamos condições de pagar um curso para os três, com essa qualidade e próximo de casa. Isso nos abre uma oportunidade e tanto. Só temos a agradecer às Irmãs de Santa Catarina”, conta a mãe, Márcia de Sousa Queiroz.

“Com certeza está nos unindo mais, porque a gente divide os exercícios em casa, um esclarece a dúvida do outro. A gente não
esperava essa oportunidade de estudar todo mundo junto, perto de casa. É algo único, mesmo, para aprender. E a gente espera evoluir cada vez mais”, orgulha-se o vendedor Lucas Evangelista de Queiroz. “Nunca imaginei poder estudar com meus pais. Tem sido bacana, diferente. Em casa a gente troca algumas palavras e na escola, onde eu também tenho aula de inglês, está me ajudando bastante”, conta Lucas de Souza Queiroz, filho do casal.

A dona de casa Lucileia Magda Campos Costa também vivencia pela primeira vez duas novidades: fazer inglês e poder estudar junto com o filho de 10 anos. “Nunca tinha estudado inglês antes. Quando fiquei sabendo que a Obra Social ia oferecer o curso eu me empolguei. Na realidade, eu vim para fazer a matrícula do meu filho. Mas aí, eu pensei: eu vou ficar aqui parada, esperando a aula dele acabar, então decidi me matricular também e estou adorando. É sempre importante aprender coisas novas, não é?”. “Estudamos juntos
em casa e eu até ensino minha mãe, porque eu sei um pouco mais que ela”, exibe-se o Gabriel Campos Costa, que nos mostrou algumas das frases que já sabe dizer em inglês.

O CNA disponibilizou dois professores para atuar na Obra Social. São duas turmas com cerca de 15 alunos cada: uma para crianças e adolescentes e outra de adultos. Natália da Costa Foster ficou responsável por ensinar para o grupo mais velho, o que a deixa bastante motivada. “Não é a primeira vez que faço um trabalho social e adoro. Sempre gostei de trabalhar com todas as idades, mas com os adultos é muito legal porque eles têm um interesse muito grande em aprender, em buscar conhecimento, eles nos dão muito prazer
em trabalhar, porque eles dão valor à oportunidade e isso é muito gratificante. A estrutura que tem aqui é muito legal, completa, e como oferece várias oficinas, para todas as idades, as famílias podem vir todo mundo junto”, avalia a professora.

Para a Irmã Ana Maria Silva, da Congregação das Irmãs de Santa Catarina, o colégio cumpre com seu papel de educador ao oferecer oportunidade a quem a vida não deu oportunidade. “Ainda mais agora, com a Copa do Mundo, com pessoas de vários países vindo para o Brasil, penso que é uma oportunidade muito boa de crescimento, de aprimoramento, de interação. É um momento de essas pessoas que estão sendo beneficiadas se expandirem e realizarem seus sonhos. Por mais que não saiam falando com fluência, mas só o
fato de entender e pronunciar uma palavra, uma frase, você não se sente tão excluído”.

“Muita gente achou que o curso fosse só em função da Copa do Mundo, que depois acabaria. Foi uma coincidência começarmos agora, mas é um curso de um ano, no mínimo. Todos vão ganhar certificado do CNA e isso surpreende os nossos assistidos, porque eles sabem que todo esse carinho, esse cuidado, esse esforço é para eles. É oportunidade de conhecimento, de qualidade de vida”, complementa Carla, adiantando que, para o próximo ano, já existe o projeto de ampliar o curso no período noturno e dar oportunidade a quem
trabalha durante o dia.

Creche Monteiro Lobato adota iniciativas simples para preservar o meio ambiente

As questões ambientais ganharam força na última década e o termo sustentabilidade está em voga. No dicionário, sustentabilidade se traduz pela característica ou condição de um processo ou de um sistema que permite a sua permanência, por um determinado prazo. Sustentabilidade também pode ser definida como a capacidade do ser humano interagir com o mundo, preservando o meio ambiente para não comprometer os recursos naturais das gerações futuras. Ultimamente este conceito tornou-se um princípio. E nada melhor que cultivá-lo desde cedo, com as crianças. Por isso, consciente de seu papel de trabalhar temas relevantes para a boa vida no planeta, a Creche Monteiro Lobato (MG) montou um projeto que objetiva economizar água e diminuir a produção de lixo na instituição.

Bomba utilizada para captação de água da chuva

Em relação à água, a Creche improvisou um sistema para captar água da chuva. “Eu comecei a contabilizar o nosso consumo mensal de água e aí pensei que seria possível fazer alguma coisa para economizar. E então comecei a pesquisar, inclusive, eu li que o Lar Madre Regina, em Guarulhos, que pertence à Congregação das Irmãs de Santa Catarina, inovou com um projeto para aproveitar a água das chuvas e me inspirei”, explica Karine Rezende, coordenadora geral da Creche. Foi comprada uma bombona, com capacidade para 230 litros, que foi anexada num local alto, a mais ou menos três metros do chão, para que a água tenha força para sair pela torneira adaptada quase na base do recipiente. Essa bombona está ligada à calha do telhado, onde foi instalada uma espécie de filtro, a fim de evitar que caia folha ou qualquer tipo de impureza maior. Dentro da bombona é colocada uma pequena quantidade de água sanitária, que preserva a água armazenada por cerca de uma semana. “Nós usamos essa água para aguar a nossa horta e para lavar o pátio externo”, completa Karine.

 Outra preocupação da coordenadora era em relação ao lixo produzido pela Creche. “Eu comecei a perceber que boa parte do nosso lixo era resto de alimentos, como casca de ovo, casca de legumes e de frutas. E eu quis saber se haveria uma forma de utilizar isso, de alguma maneira. Novamente comecei a pesquisar e cheguei à técnica da compostagem”, conta Karine, com entusiasmo. O processo consiste em colocar todo o resto orgânico do lixo num tambor e cobrir com uma fina camada de serragem ou de terra. Essa mistura é remexida todos os dias e, ao fim de três meses, vira adubo orgânico que é utilizado na horta e no jardim da Creche.

 A coordenadora ressalta que a horta foi criada este ano e já está produzindo alface, tomate cereja, salsa e cebolinha, erva cidreira, boldo, manjericão, hortelã e rúcula. Tudo será utilizado para consumo interno, na produção das refeições para as crianças. Além de estimular o hábito da alimentação saudável, tudo o que for consumido fresquinho, direto da horta, será orgânico, sem agrotóxico algum. “Em ambos os processos, tanto da captação da água da chuva quanto na compostagem, estamos começando com uma pequena escala, como um projeto experimental e, se der certo, pretendemos ampliar a ideia. O custo do nosso investimento foi apenas de 230 reais. O resto é só benefício, para creche e para o meio ambiente”, destaca Karine.

As bombonas utilizadas no projeto foram pintadas pelas crianças das salas de três anos como uma oportunidade para introduzir o tema da sustentabilidade. As educadoras falaram sobre meio ambiente, lixo e compostagem. A partir daí, as crianças começaram a fazer visitas à horta para acompanhar o crescimento das hortaliças. Agora, as turminhas maiores estão elaborando uma horta vertical, feita com garrafa PET, onde serão plantadas algumas ervas. O próximo passo, segundo Karine, é replicar a iniciativa com as famílias das crianças e também com a comunidade do entorno da creche. “A ideia é convidá-los a conhecer o projeto e explicar como funciona, mostrando que qualquer pessoa pode fazer isso em casa, porque é simples e barato”.

Integração Social na Creche Madre Regina

Mês de dezembro, mês consagrado para solidariedade, para manifestar o Amor pelos nossos semelhantes de forma universal.

Na Creche Madre Regina, não foi diferente, a Casa teve a prova concreta da existência desse amor.

O Colégio Santa Cecília, parceiro da creche, os convidou para uma tarde de lazer. A instituição ofereceu o ônibus para o transporte e organizou uma programação especial para as crianças, que foram recebidas com muita alegria e calor humano. Elas se divertiram, lancharam e ganharam presentes.

Projeto Árvore do Bem promovido pelo Shopping Benfica

A Creche Madre Regina, que também possui uma parceria com o Shopping Benfica, foi convidada para participar de um projeto que o Shopping realiza, chamado “Projeto Árvore do Bem”. As crianças passaram uma manhã divertida, assistiram filme e ganharam presentes dos clientes. Em um momento mágico para todos, o orgulho de fazer parte desse projeto foi ressaltado no olhar das crianças, que brilhou ao ver a decoração natalina e a presença do Papai Noel.

Entrega de presentes do Natal Solidário

A Coordenação da entidade ressalta que o recebimento dos presentes do Natal Solidário, ajudou a fortalecer o seu trabalho e o aumentou o compromisso da equipe. “Só nos resta agradecer a “Deus” e a “Madre Regina” por nos dar força e coragem para continuar a sua obra”, comenta Valdenira Capibaribe, Coordenação do Setor Pedagógico.

Natal Solidário

Tornar mais feliz o fim de ano de 910 crianças e 80 idosos atendidos pela Associação Congregação de Santa Catarina em todo Brasil. Este foi o objetivo do Natal Solidário, uma iniciativa muito especial que contou com a colaboração de muitos dos nossos colaboradores!

A ação, que existe desde 2007, com o apadrinhamento das crianças atendidas pela ACSC, este ano, teve como diferencial a inclusão de presentes para os idosos do Lar Madre Regina.

O Natal Solidário consiste em fazer uma grande surpresa para centenas de pessoas, entregando a elas presentes de Natal ofertados pela nossa ampla rede de colaboradores, que para participarem, retiraram sacolas identificadas com os dados da pessoa a ser presenteada.

Número de beneficiados com a ação

O prazo para entrega de todas as sacolas encerrou em 10 de dezembro. A área Corporativa de Gestão de Pessoas foi a responsável por organizar o recebimento de todos os presentes e enviá-los às suas respectivas Casas.

Como exemplo de generosidade, algumas Casas assumiram a missão de presentear integralmente as pessoas assistidas por Casas específicas, esse foi o caso do PAI-ZN e do CRI Norte que se uniram para prestigiar exclusivamente todos os alunos do NESC. Já  a Casa de Saúde São José, que participou da iniciativa pela primeira vez este ano, também vivenciou experiências mágicas.

Para comemorar o sucesso desta ação que presenteou 990 pessoas, proporcionando a cada indivíduo momentos de fraternidade e amor, cada uma das Casas realizará uma festa de confraternização de Natal. Com certeza, o Natal Solidário só reforça que estamos no caminho correto em busca do cumprimento da nossa missão de perpetuar o legado de Madre Regina Protmann.

 

Natal Solidário

Tornar mais feliz o fim de ano de 910 crianças e 80 idosos atendidos pela Associação Congregação de Santa Catarina em todo Brasil. Este é o objetivo do Natal Solidário, uma iniciativa muito especial para a qual convidamos todos os nossos colaboradores!

A ação consiste em fazer uma grande surpresa para essas centenas de pessoas, entregando a elas presentes de Natal ofertados pela nossa ampla rede de colaboradores.

E então? Que tal compartilhar o seu carinho com as crianças e idosos atendidos pela ACSC? Descubra quais localidades serão beneficiadas no Brasil inteiro.

Como participar

• Gestão de Pessoas das Casas de São Paulo/colaboradores – Retire sua sacola na área Corporativa de Gestão de Pessoas, de segunda a sexta-feira, das 10h às 16h (Rua Cincinato Braga nº 144 – Térreo). Em caso de dúvidas, entre em contato pelos telefones 3016-2634 (Natália) ou 3016-2666 (Letícia).

• Cada sacola trará a identificação do presenteado com dados como: nome, idade, sexo e a relação dos itens a serem providenciados que deverão ser entregues até 10/12/2013 na área Corporativa de Gestão de Pessoas.

Participe! Se cada um de nós aderirmos, chegaremos à meta de 990 presenteados e faremos a diferença na vida de muitas pessoas!

Saiba mais, abaixo, em Perguntas Frequentes.

Contamos com vocês!

José Luiz Bichuetti                Elizabeth Cerqueira Leonetti

Superintendente                    Gestão de Pessoas

 

 

_______________________________________________________________________________________________________

Perguntas Frequentes:

1.       Como faço para participar?

Se você trabalha em alguma Casa, procure a área de Gestão de Pessoas, que é responsável em retirar as sacolas na área Corporativa de Gestão de Pessoas, na Rua Cincinato Braga nº 144 – Térreo, São Paulo – SP, e entregá-las aos colaboradores que aderirem ao Natal Solidário.

Caso você trabalhe no Hospital Santa Catarina ou Administração Corporativa retire sua sacola na área Corporativa de Gestão de Pessoas, de segunda a sexta-feira, das 10h às 16h.

Em caso de dúvidas, entre em contato pelos telefones 3016-2634 (Natália) ou 3016-2666 (Letícia).

 

2.       Como faço para entregar a sacola com os presentes?

Caso trabalhe em alguma Casa da ACSC a entrega da sacola (agora recheada de presentes) deve acontecer na área de Gestão de Pessoas.

Se você trabalha no Hospital Santa Catarina ou Administração Corporativa, essa entrega deve ser feita na área Corporativa de Gestão de Pessoas (na Rua Cincinato Braga nº 144 – Térreo, São Paulo – SP).

 

3.       Quando devo entregar a sacola com os presentes?

Os presentes devem ser entregues até o dia 10/12.

 

4.       Como eu vou saber o que dar de presente?

Para você acertar na escolha, confie no seu bom senso. De todo modo, cada sacola terá a identificação do presenteado com dados como: nome, idade, sexo e a relação dos itens a serem providenciados. Separamos algumas sugestões, confira.

Conteúdo sugerido para presentear Idosos:

  • Pijama;
  • Calçado (tênis, sandália, sapato fechado, chinelo);
  • Kit Higiene (sabonete, escova e pasta de dente, shampoo, cotonete, perfume/creme de barbear/pente).

Conteúdo sugerido para presentear as Crianças:

  • Roupa Completa:Calçado (tênis, sandália ou sapato fechado), não substituir por chinelo;
    • Meninas: blusa, saia, vestido, calcinha.
    • Meninos: short, calça, camiseta, cueca.
  • Brinquedo Novo (evite brinquedos que incentivem a violência);
  • Acessórios (enfeite de cabelo para meninas, boné para meninos);
  • Kit Higiene (sabonete, escova e pasta de dente, shampoo, cotonete, perfume, pente/escova de cabelo);
  • Kit Escolar (lápis de cor, caderno, estojo, livro para a faixa etária e outros).

 

5.       Sou muito generoso (a), posso colocar algum item a mais na sacola?

Sugerimos que evite a inclusão de itens que não estão listados na sacola. Nossa preocupação é despertar sentimento de comparação entre as crianças, por isso o ideal é atendermos ao pedido da lista. É desnecessário causarmos qualquer desconforto para quem receberá os presentes, certo?

 

6.       Tenho filhos na idade da criança que consta descrita na sacola que eu peguei e minha avó separou algumas roupas dela para eu doar, posso dar coisas usadas de presente?

Não. Pedimos que participe do Natal Solidário se estiver disposto a dar um presente novo. Lembre-se que tem alguém que tem grande expectativa em receber o seu carinho. Nesta época do ano acontecem muitas promoções, pesquise e aproveite as ofertas para economizar e presentear alguém com produtos bonitos, bons e de qualidade.

 

7.       E se eu me esquecer de entregar a sacola dentro do prazo?

Tente dar prioridade a aquisição dos itens. É importante que você se comprometa a entregar a sacola, afinal tem alguém esperando ansiosamente pela surpresa.

 

8.       Tenho um amigo ou um familiar que quer participar. Pode?

Claro. Toda contribuição será bem-vinda. Mas lembre-se, você é o responsável por retirar e entregar a sacola dentro do prazo, e, se o seu amigo ou familiar deixar de compras os itens você se comprometerá a fazer isto por ele, afinal há alguma criança ou idoso esperando pelo presente.

 

9.       Como devo embrulhar os itens comprados?

Você pode embrulhar os presentes e colocá-los dentro da própria sacola, que é grande o suficiente para abrigar os itens solicitados. E lembre-se que todo mundo gosta de abrir presentes com embalagens bonitas! Por isso, aproveite para fazer embrulhos coloridos e repleto de laços.

 

10.   Quero muito conhecer a criança/idoso que estou presenteando. Posso acompanhar a entrega dos presentes?

Pode, sim. Mas antes converse com seu líder. Ele deve avaliar a possibilidade e disponibilidade para que você se ausente do trabalho. De toda forma, a sua presença é muito bem-vinda.

As entregas acontecerão em datas diferentes, durante as celebrações de Natal das Casas contempladas, por isso se quiser participar destes momentos especiais, programe-se com antecedência.

Em cada sacola de presente existe um convite que consta além das informações da criança a data da entrega da mesma na Casa contemplada. Mas lembre-se que seu presente deverá ser entregue na área Corporativa de Gestão de Pessoas (na Rua Cincinato Braga nº 144 – Térreo, São Paulo – SP) até o dia 10/12.

Caso você não consiga participar na data que está no convite, a Casa estará aberta para visitas, sendo necessário ligar para agendar.