Profissionais do Amparo Maternal discutem a real importância da amamentação

Como hoje, 1º de agosto, é o Dia Mundial da Amamentação, vamos dividir com você o que vivenciamos em nossa prática diária na assistência às mães que acabaram de dar à luz no Amparo Maternal, maternidade pública de São Paulo, administrada pela Associação Congregação de Santa Catarina.

No dia a dia, percebemos a grande necessidade de uma orientação maior e mais consistente quanto ao aleitamento materno ainda durante o pré-natal.

Segundo o ministério da Saúde, estudos mostram que a maioria dos bebês que são apenas amamentados nos primeiros seis meses cresce bem e são saudáveis. Os profissionais de saúde podem ajudar as mães a compreender a importância de amamentar exclusivamente seus bebês nestes primeiros meses de vida.

O colostro e o leite materno são adaptados à idade gestacional e o leite muda mês a mês, dia a dia, de mamada a mamada para satisfazer cada necessidade específica do bebê. Acrescentar qualquer outro alimento, inclusive água, aumenta os riscos e diminui os benefícios.

Portanto, não existe leite materno fraco, o teor de proteínas é perfeito para o crescimento e desenvolvimento cerebral do bebê. As gorduras são sua fonte principal de energia (calorias). Sua absorção no organismo é muito superior a de qualquer outro leite, seja de vaca ou fórmula, fazendo com que os nutrientes sejam melhor aproveitados.

Quando os bebês recebem a  amamentação como única fonte de alimentação, todos os benefícios são usufruídos ao máximo. De um modo geral, a taxa de doenças que exigem cuidados médicos é mais baixa entre bebês amamentados exclusivamente. O aleitamento materno exclusivo oferece a melhor nutrição e crescimento ao bebê, continuando a promover seu crescimento após a introdução de outros alimentos a partir dos seis meses.

Entre os inúmeros benefícios do aleitamento materno exclusivo comprovados cientificamente podemos citar:

  • Prevenção contra infecções
  • Proteção contra alergias
  • Menor risco de incidência da morte súbita do recém nascido no berço;
  • Menor risco de diabetes, câncer e infecções nos ouvidos na infância;
  • Melhor resposta a vacinações e capacidade de combater doenças mais rapidamente;
  • Menos problemas ortodônticos e dentais (ausência de problemas dentários associados ao uso da mamadeira);
  • Melhor desenvolvimento psicomotor, emocional e social;
  • Associação com um coeficiente de inteligência mais elevado.

Todos estes fatores já são mais do que suficientes para a adoção rotineira por todas as instituições de saúde que tem como foco de atuação a atenção à saúde materno infantil da promoção da prática de incentivo ao aleitamento materno. Mas também existem benefícios para a mãe, como:

  • O índice de depressão pós parto é reduzido;
  • A carga de trabalho com a preparação da alimentação do bebê é reduzida;
  • A recuperação física no pós parto é mais rápida;
  • A ligação afetiva é estimulada, resultando em menos abuso e negligência de crianças;
  • O leite não estraga e não há preocupação com a falta de estoques.

Para nós, que trabalhamos no Amparo Maternal, a amamentação é o alicerce do ser que acaba de chegar, é a base da sua estrutura emocional, psicológica e motora. Cada vez que o bebê chora e a mãe traz ao peito é como colocar um “tijolinho” de amor, segurança, tranquilidade, é nutri-lo de todas as formas, de maneira plena e satisfatória.

O leite da mãe é a seiva divina que jorra do seu peito e chega ao bebê como a mais pura manifestação de amor. É a comunhão de duas almas que se encontram, se fortalecem, se alimentam e se ligam para sempre!

A promoção e apoio às práticas de aleitamento materno no Amparo Maternal acontecem por meio da dedicação e acompanhamento das equipes multiprofissionais em busca do aumento da prevalência do aleitamento natural, adequando nossos profissionais com treinamentos para o efetivo incentivo ao aleitamento.

 

Autoras: Albermari Sobreira (Doula), Francisca  C.M. Morais  (Enfermeira Neonatologia), Paula Martins Novaes (Enfermeira Educação Permanente), Renata Carolina Garcia Lamano ( Neonatologista) e  Sueli Matsuda (Gerente Assistencial). Todas as profissionais compõem a equipe do Amparo Maternal, maternidade gerida pela Associação Congregação de Santa Catarina.

 

3 thoughts on “Profissionais do Amparo Maternal discutem a real importância da amamentação”

  1. Meu TCC foi exatamente sobre este assunto! De primeira vista este parece um assunto muito simples, mas existe um globo de informaçoes que giram em torno disso, como Legislaçoes que defendem, duvidas de mulheres e muitas associaçoes que se preocupam com o tema e agem em prol dele. PARABENS A TODAS AS MÃES QUE AMAMENTAM, POIS GARANTEM A SAUDE E O DESENVOLVIMENTO DE SEUS FILHOS. E PARABENS AOS QUE AUXILIAM QUE ISSO ACONTEÇA!

  2. e parabens tambem a todos nós da ACSC. SEM DUVIDA SOMOS REGIDOS POR MUITOS VALORES QUE FAZEM COM QUE A ACSC EXISTA!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *