ACSC inicia plano de comunicação integrado entre as casas

Neste mês, a Associação Congregação de Santa Catarina (ACSC) inicia a implantação do Projeto Colméia, programa de visibilidade da entidade.  A iniciativa tem como objetivo ampliar a transparência e exposição da organização para todos os seus públicos, preservando seus princípios e valores.

Além disso, as ações do projeto também visam melhorar e consolidar a integração entre mantenedoras financeiras e mantenedoras filantrópicas, por meio de um discurso alinhado.

O plano de comunicação se baseia em 6 valores da ACSC, que devem estimular o espírito de cooperação entre colaboradores e agentes internos:

1.   Compromisso e ética;
2.   Inovação e eficiência;
3.   Auto-sustentação e sustentabilidade;
4.   Espiritualidade e ecumenismo;
5.   Cuidado e humanização;
6.   Amor à vida.

O nome, Projeto Colméia, faz referência as abelhas –  analogia da imagem da natureza com uma abordagem sustentável, visão sistêmica e global da ACSC.

O primeiro passo do projeto pode ser visto com a reformulação do  Congregar e a aderência às redes sociais. Você está convidado a nos seguir no Twitter, curtir a nossa página no Facebook e aderir à nossa comunidade no Orkut!

Em paralelo, um Código de Conduta de Comunicação está sendo elaborado em conjunto com todas as casas da ACSC para parametrizar as ações nesta área. Em breve, divulgaremos o resultado.

Lar Madre Regina dará curso gratuito de cuidadores de idosos

O Lar Madre Regina, de São Paulo, oferece, a partir de março, o 3º Curso Básico de Cuidadores de Idosos – “O autocuidado no envelhecer”. O curso é uma oportunidade para os profissionais interessados na capacitação teórica e prática básica sobre gerontologia (ciência que estuda o envelhecimento humano).

As aulas começam dia 1ºde março e vão até 26 de junho de 2011. O curso é ministrado  todas as terças-feiras, das 13h30 às 17h. O curso é aberto para comunidade e colaboradores da Associação Congregação de Santa Catarina.

As disciplinas são ministradas por colaboradores do Lar Madre Regina (dançarina, enfermeira, nutricionista, fisioterapeuta, assistente social e médico geriatra), professores convidados do CRI/Norte (fonoaudióloga, psicóloga e terapeuta ocupacional) e as Irmãs do Colégio Santa Catarina de São Paulo, com aulas de espiritualidade.

Os módulos estudados são enfermagem, nutrição, fisioterapia, educação física, serviço social, geriatria, fonoaudiologia, psicologia, terapia ocupacional, espiritualidade, farmácia, dança sênior e aula prática. Todas as matérias são especializadas em Gerontologia.

A ideia nasceu da ampla procura por vagas na instituição. A iniciativa propicia uma oportunidade profissional de uma área em ascensão, com o aumento da longevidade e, consequentemente, a ampliação do mercado de trabalho.
“O autocuidado no envelhecer” está em seu terceiro ano, com avaliação positiva dos participantes. O curso é gratuito e as vagas são limitadas.

ACSC: uma orquestra de valor compartilhado

Alguma vez você parou para pensar sobre como funciona o negócio da empresa em que você trabalha? Independente da instituição em que atua, seja ela prestadora de serviços de saúde, educação ou assistência social, pública ou privada, você faz parte de uma grande engrenagem chamada Associação Congregação de Santa Catarina.

É curioso o fato de um mesmo grupo manter obras sociais e negócios essencialmente privados. Mas porque a ACSC atua entre estes dois tipos de negócio? Os estudiosos Michael Porter e Mark Kramer denominam este modelo como sendo criação de valor compartilhado. Para os acadêmicos, este é o único modelo que garante sustentabilidade para as empresas. Não é a toa que a Associação Congregação de Santa Catarina já tem mais de 100 anos de história, com um crescimento cada vez maior.

Porter e Kramer defendem que uma companhia que atua com o modelo de valor compartilhado não trata as questões sociais de forma periférica, mas sim como o centro. O princípio do Valor Compartilhado está baseado em um negócio, no qual o valor econômico também cria valor para a sociedade. “É preciso reconectar o sucesso da empresa ao progresso social”, pontuam os estudiosos. Nesta linha, a Associação Congregação de Santa Catarina vem atuando de forma alinhada a este pensamento empresarial contemporâneo.

É comum no setor social as organizações e entidades avaliarem o sucesso apenas em termos de benefícios alcançados ou dinheiro gasto em prol de determinada causa. A medida que esta mentalidade mudar para o conceito de valor gerado, a iniciativa privada passará a ser fundamental para perenizar os valores sociais. Hoje, a transferência de recursos das casas privadas para as ações sociais da Associação exemplifica justamente esta questão.

Fonte: Harvard Business Review, acesso em 22/03/2011.

 

As 35 casas da ACSC apresentam resultados de 2010

Nos dias 15, 16 e 17 de março de 2011 ocorreu a reunião de Prestação de Contas das Casas da Associação Congregação de Santa Catarina, no Convento Madre Regina, em Petrópolis, Rio de Janeiro.

O evento foi aberto pelo teólogo, escritor e professor universitário, Leonardo Boff, que abordou a necessidade de reeducação do ser humano em suas mais diferentes áreas de atuação para preservação do meio ambiente. Para isso, apresentou a Campanha da Fraternidade 2011, que discute as ações do ser humano sobre a natureza e propõe saídas para um modo de vida sustentável.

O superintendente da Associação Congregação de Santa Catarina, Euler Baumgratz, apresentou um vídeo sobre a trajetória da ACSC e depoimentos de usuários dos serviços prestados pelas casas da entidade. “Em resumo, queremos lembrar que todas as nossas ações como administradores pretendem aprofundar e vivenciar cada dia mais o Carisma de Madre Regina Protmann”, concluiu o executivo.

Depois de dois dias, durante os quais os administradores das 35 Casas apresentaram um panorama das realizações de 2010, os números apontaram que 2010 foi um ano difícil para as Organizações Sociais de Saúde (OSS). No entanto, o superintendente da ACSC, avalia que a dificuldade com as OSSs não impactou o resultado geral da Associação, que foi melhor no último ano, pois além de atender em maior escala aos mais necessitados, também foi possível fortalecer financeiramente a ACSC.

Por fim, a Irmã Nazareth apontou que nestes mais de 400 anos de existência da Congregação das Irmãs de Santa Catarina, a instituição foi se modificando, para se adaptar às mudanças no mundo. No entanto, a Congregação não nasceu para ser uma empresa, mas para evangelizar e representar o exercício da vida consagrada e expandir o carisma para além das obras. É por isso que contam com o apoio de administradores e profissionais para gerir o negócio.

 

Colégio Santa Catarina de Juiz de Fora tem nova ala

O Colégio Santa Catarina de Juiz de Fora, da Associação Congregação de Santa Catarina, inaugurou no início do ano letivo de 2011 03 salas de aula para alunos do 3º ano do Ensino Médio, bem como espaço para estudo em grupo e um centro de convivência entre alunos, professores e equipe pedagógica.

O novo espaço permitirá que a instituição tenha mais uma turma de 3º ano do colegial, com 40 alunos. A transferência de todo o 3º ano para o novo espaço, possibilitará uma melhor distribuição de outras turmas em todo o prédio escolar.

Com 2.116 alunos distribuídos entre Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio, a instituição possui hoje 61 turmas em dois turnos (matutino e vespertino).

 

HTODL realiza grande número de cirurgias de alta complexidade

O Hospital Estadual de Traumatologia e Ortopedia Dona Lindu (HTODL) tem desempenhado importante papel ao atender a alta demanda das principais patologias eletivas de traumas ortopédicos do estado do Rio de Janeiro, como as de quadril, joelho, coluna e trauma ortopédico. Até a inauguração do Dona Lindu, em julho de 2010, essas patologias eram encaminhadas para o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (INTO), que realizava as cirurgias em regime eletivo.

Com 67 leitos, sendo 60 para internação cirúrgica e sete para Centro de Tratamento Intensivo (CTI) pós-operatório, o HTODL é administrado pela Associação Congregação de Santa Catarina (ACSC) em regime de gestão compartilhada – como as OSSs no estado de São Paulo. O Dona Lindu atende somente o Sistema Único de Saúde (SUS) e recebe pacientes de todo estado do Rio de Janeiro – com exceção da Capital e Região Metro 1.

O coordenador médico do Hospital, Dr. Marcos Correia, cita os principais números da produção cirúrgica. “Desde a inauguração já realizamos 1522 procedimentos cirúrgicos. Vale salientar, no entanto, nossa grande produção na área da alta complexidade: de novembro de 2010 a fevereiro de 2011 realizamos 438 procedimentos como Artroplastias totais de quadril (187); Artroplastias totais de joelho (97) e cirurgias de coluna (57)”.

Em função de tais números, o HTODL já desponta como segundo hospital que mais realiza cirurgias ortopédicas no estado do Rio de Janeiro, atrás apenas do próprio INTO. Segundo Artur Hummel, diretor executivo, os bons resultados são fruto do trabalho conjunto do corpo funcional. “Acreditamos que o comprometimento das equipes tem se traduzido em bons resultados. Temos colaboradores engajados nas diversas áreas que acolhem o paciente desde sua entrada no Hospital. São pessoas comprometidas com a qualidade, ética, humanização e profissionalismo”, comenta.

A fala do diretor é reforçada pelo depoimento da paciente Clarinda Mattos Ramos, 61 anos, vítima da tragédia das chuvas na região serrana do Rio de Janeiro, moradora do município de Sumidouro, que passou por diversas cirurgias no HTODL. “Sofri um acidente nas enchentes e fui levada para o hospital em sumidouro e depois trazida para o HTO. Agradeço muito a Deus por ter sido encaminhada para cá, pois este hospital e os profissionais que aqui trabalham foram fundamentais para minha recuperação”, conta Dona Clarinda, que teve alta hospitalar no dia 18 de março.

Segundo a diretoria executiva do HTODL, encontra-se em negociação com o Estado a ampliação do número de atendimentos. “Pretendemos ampliar o número de atendimentos com o objetivo de suprimir essa demanda reprimida e diminuir ao máximo possível a fila de espera por cirurgias ortopédicas no estado do Rio de Janeiro”, conclui Hummel.

 

Amparo Maternal lança campanha “Madrinha das Estrelas” e “Quanto Vale”

O Amparo Maternal começa o ano de 2011 com a campanha “Madrinha das estrelas”  e “Quanto Vale”. A maternidade pública, administrada pela Associação Congregação de Santa Catarina, cria estratégias para sensibilizar investidores e melhorar suas instalações.

A ação ”Madrinha das estrelas” se baseia em convidar uma celebridade por mês para ser a madrinha das crianças que nasceram, durante o período, no Amparo Maternal. Para realizar a ação, serão convidadas as celebridades de maior enfoque no momento e a famosa fará uma visita a instituição.

Na campanha “Quanto Vale”, imagens mostram mães, bebês e exame de ultrassom com as frases, como: “Quanto vale uma lágrima”, “ Quanto vale uma surpresa” e “Quanto vale um sorriso”. As peças de comunicação serão veiculadas em espaços solicitados como apoio social, em editoras.

A finalidade das campanhas é evidenciar o papel social do Amparo Maternal e suas necessidades materiais, para captar novas fontes de recursos, além de mostrar o trabalho desenvolvido pela entidade gerida pela Associação Congregação de Santa Catarina.

 

Programa Viva mais Saúde reúne iniciativas de todas as casas

Desde 2008, a Associação Congregação de Santa Catarina mantém o programa Viva Mais Saúde (PVMS), com o objetivo de orientar o uso consciente dos planos de saúde Bradesco ou Golden Cross, promover o equilíbrio de custo da assistência médica, melhorar a produtividade no ambiente organizacional, reter talentos e aumentar a satisfação dos colaboradores.

Mas, desde fevereiro de 2011, o PVMS recebeu um novo impulso: a criação de um logotipo. Segundo Melissa Conti, supervisora administrativa da superintendência, a criação do logo tem como objetivo fortalecer a imagem do programa e dar mais vida e força para os projetos desenvolvidos nas Casas que contam com o Programa. “Todas as ações de qualidade de vida das casas que usam o Bradesco e Golden devem estar associadas ao programa Viva Mais Saúde”, reforça.

Viva Mais Saúde em Ação


Com foco na qualidade de vida dos colaboradores, o Hospital Santa Catarina, de São Paulo, promoveu na semana do dia 14 a 19 de março, a III Semana da Saúde e Bem-estar do HSC.

O evento foi realizado no Espaço do Colaborador e contou com ações dedicadas à Saúde Ocular, Avaliação Nutricional, Saúde Bucal, Avaliação Postural, Avaliação da Pisada, Anti-Stress e Cuidados com a Beleza.

Ao todo, 1.200 colaboradores participaram das atividades, fazendo exames como medida de acuidade visual, avaliação postural, teste do pedígrafo e outros, que indicavam se havia algum problema e quais as medidas para solucioná-lo. Para descansar a mente, os colaboradores fizeram sessões de massagem e reflexologia e participaram de uma aula de mosaico, onde puderam levar de lembrança um porta-retrato feito por eles mesmos. “Esse é o tipo de evento que descontrai e valoriza o funcionário. A parte do mosaico ajudou muito a aliviar o stress do dia a dia”, conta Douglas Fernando, do departamento de Contas a Receber.

Ao longo do evento foi aplicada uma pesquisa de satisfação. Foram feitas perguntas sobre a avaliação do participante quanto ao evento, e quais as principais atividades que eles gostariam de ter no próximo ano. Foi obtido o retorno de 720 questionários preenchidos, e o  resultado superou as expectativas  alcançando  100% de satisfação do público.

O objetivo da III Semana da Saúde e Bem-estar do HSC, organizado pelo Serviço de Medicina Ocupacional, foi conscientizar os colaboradores para o auto-cuidado de sua saúde, além do lançamento do Programa de Caminhada e Corrida do HSC, que contribui para um estilo de vida mais saudável e equilibrado.

A Semana foi finalizada com a III Caminhada “Agita HSC”, na manhã do dia 19 de março, no Parque Vila Lobos, que contou com a participação de 60 pessoas, incluindo os familiares dos funcionários.

Saiba mais sobre o Programa Viva Mais Saúde nas próximas edições do Congregar ou pelo e-mail: administrativo@acsc.org.br

CRI ZN organiza grupo de idoso para caminhada no Agita Mundo

O Centro de Referência do Idoso da Zona Norte (CRI ZN), da Associação Congregação de Santa Catarina, participou do Programa Agita Mundo 2011, com o objetivo de promover o envelhecimento ativo.

É por isso que no dia 3 de abril reuniu os idosos e seus colaboradores para a caminhada, que saiu do Trianon Masp, na Paulista, e se encerrou na Assembléia Legislativa. Ao todo, saíram do CRI ZN 3 ônibus para levar em torno de 150 idosos.

Ainda para comemorar a data, a entidade promoveu no dia 6 de abril uma programação com yoga, ginástica e dança para mais de 350 idosos, na parte da manhã. Já na parte da tarde, houve um circuito de palestras sobre alimentação e atividade física na terceira idade. O evento foi aberto para a comunidade idosa da zona norte e demais públicos interessados.

 

Casa de Saúde de São José tem programa para divulgar valores

A Casa de Saúde de São José (CSSJ), do Rio de Janeiro, que faz parte da Associação Congregação de Santa Catarina, trabalha baseada em 8 valores, herdados da ACSC: Responsabilidade, Inovação, Espiritualidade, Carisma, Tradição, Humanização, Qualidade e Ética. Considerando que são muitos valores e cada um deles possui um desdobramento no cotidiano dos colaboradores, a instituição criou uma mândala de valores, que fica exposta tanto para os colaboradores quanto para os clientes nos corredores, mouse pads, comunicações internas, etc. Além da exposição, as pessoas podem pegar mensagens que estão atreladas aos valores e carregar consigo.

O objetivo é criar um ambiente envolvido pelos valores da associação. Segundo André Gall, diretor da CSSJ, os valores são explorados e traduzidos para a realidade dos colaboradores, seja através de decisões, treinamento, mural, jornal, etc. “Os valores sempre são levados em consideração quando tomamos decisões, participamos de discussões, análises e no dia a dia da casa”, conta.

De acordo com Gall, o trabalho realizado com os valores faz com a atitude dos profissionais que atuam na CSSJ seja alinhada a tradição da casa e gera um maior comprometimento. “Conseguimos fazer com o colaborador compreenda e vivencie os valores, passando a ter o sentimento de pertencer ao grupo, o que é muito mais abrangente e produtivo”, reforça.

Os valores não são percebidos apenas pelos colaboradores. Recentemente, a instituição conquistou a Acreditação Internacional Canadense e a própria auditora do Canadá, que avaliou o CSSJ reforçou que os valores são realmente observados na prática.

Preparado para atuar em 24 especialidades médicas, a Casa de Saúde de São José é referência em serviços de emergência cardiológica e ortopédica, além de serviços diagnósticos e de apoio ao tratamento. Com um Centro de Terapia Intensiva mais moderno do país nas especialidades neurológica, geral, coronariana e neonatal, a instituição conta com 22 salas cirúrgicas e capacidade para 2.500 procedimentos cirúrgicos ao mês.

 

ACSC agradece aos envolvidos no HSJ Solidário

O movimento HSJ Solidário, criado pelos colaboradores do Hospital São José (HSJ) e do Hospital Santa Teresa, por ocasião da tragédia das enchentes que ocorreu em janeiro de 2011, ultrapassou todas as expectativas.

A iniciativa, que inicialmente visava auxiliar os colaboradores impactados, ganhou força e gerou a mobilização de outras casas da Associação Congregação de Santa Catarina, como o Hospital Santa Catarina, Hospital Geral de Pedreira, Hospital Geral do Grajaú, Amparo Maternal, CRI ZN, Pai ZN e Hospital Geral de Itapevi, que contribuíram para arrecadar quase 20 toneladas de donativos. A Cooperativa de Crédito aos Funcionários da ACSC arrecadou dinheiro, que foi revertido em produtos para doação. A entidade também conseguiu o apoio da empresa de transporte  RodoJumbo, responsável pelo transporte do material arrecadado.

Além dos próprios colaboradores, o movimento está ajudando outras vítimas da enchente com a Fazenda Esperança Masculina, que recebeu 60 colchões mais alimentos; o Asilo São Vicente, que recebeu 60 colchões e o Asilo Lar Isabel: 67 colchões, fraldas e roupas.

É, por isso, que a Associação Congregação de Santa Catarina gostaria de agradecer ao empenho de todas as casas, colaboradores, parceiros e envolvidos neste movimento em prol da solidariedade.

 

ACSC inicia plano de comunicação integrado entre as casas

Neste mês, a Associação Congregação de Santa Catarina (ACSC) inicia a implantação do Projeto Colméia, programa de visibilidade da entidade.  A iniciativa tem como objetivo ampliar a transparência e exposição da organização para todos os seus públicos, preservando seus princípios e valores.

Além disso, as ações do projeto também visam melhorar e consolidar a integração entre mantenedora, mantidas e assistidas, por meio de um discurso alinhado.

O plano de comunicação se baseia em 6 valores da ACSC, que devem estimular o espírito de cooperação entre colaboradores e agentes internos:

1.   Compromisso e ética;
2.   Inovação e eficiência;
3.   Auto-sustentação e sustentabilidade;
4.   Espiritualidade e ecumenismo;
5.   Cuidado e humanização;
6.   Amor à vida.

O nome, Projeto Colméia, faz referência as abelhas –  analogia da imagem da natureza com uma abordagem sustentável, visão sistêmica e global da ACSC.

O primeiro passo do projeto pode ser visto com a reformulação do  Congregar e a aderência às redes sociais. Você está convidado a nos seguir no Twitter, curtir a nossa página no Facebook e aderir à nossa comunidade no Orkut!

Em paralelo, um Código de Conduta de Comunicação está sendo elaborado em conjunto com todas as casas da ACSC para parametrizar as ações nesta área. Em breve, divulgaremos o resultado.

HSJ Solidário auxilia vítimas da tragédia das chuvas

O Hospital São José (HSJ), do Rio de Janeiro, que faz parte da Associação Congregação Santa Catarina, reuniu uma equipe de 17 voluntários, que se  mobilizaram para ajudar os trabalhadores do Hospital, que foram vítimas das chuvas de janeiro, em Teresópolis.

O grupo nomeado HSJ Solidário iniciou suas atividades em  janeiro, sob a coordenação de Izabela Curti, secretária da direção do HSJ.

A primeira ação do grupo foi reunir os voluntários e, através do Hospital, adquirir 15 cestas básicas que foram distribuídas no dia 15 de janeiro às primeiras vítimas da enchente.

O  HSJ Solidário  se transformou em uma ferramenta de  distribuir as doações de forma justa. Para isso, parte dos integrantes  ficou responsável pelo cadastramento dos necessitados. Ao todo, 35 trabalhadores do HSJ foram impactados pela tragédia. Após o cadastramento, esses colaboradores passaram por entrevistas, para relatar suas histórias. Em seguida,  foram realizadas visitas sociais  nos finais de semana, através das quais os voluntários do HSJ Solidário conheceram o local onde os desabrigados vivem atualmente e visitaram a casa abandonada (condenada pela Defesa Civil) ou simplesmente o terreno onde estava a residência de muitos. “Eles perceberam que, para o São José, cada trabalhador é muito mais que um número. São seres humanos com os quais a direção se preocupa, cuida. A emoção deles foi muito gratificante para nós”, conta Izabela.

Na semana da tragédia, a superintendência da Associação Congregação de Santa Catarina (ACSC) iniciou  um projeto de recolhimento de doações em todas as Casas que compõem a rede. No dia 10 de fevereiro, o HSJ recebeu a doação de 20 toneladas de doações (alimentos, água e roupas), das Casas que atenderam o chamado da ACSC. Todo esse material foi separado para a montagem de cestas básicas, que estão sendo entregues diretamente às vítimas.

A colaboradora do setor de higienização do Hospital, Fabiana Santos de Souza, 24 anos, perdeu tudo na enchente. Salvou-se apenas com as duas filhas menores – de 3 e 5 anos – com as quais mora atualmente em um local improvisado num sítio próximo à sua antiga casa. “A ajuda que estou recebendo do Hospital está sendo fundamental para mim, porque chegou quando eu já não tinha mais esperança de nada”, conta Fabiana.

Raimundo Viana, 38 anos, sobreviveu com sua esposa, Maria Aparecida Viana, também 38 anos, à enchente. Mas perdeu todos os bens, inclusive sua filha, de 15 anos. O casal está internado no HSJ, em recuperação das cirurgias de múltiplas fraturas que sofreram no dia da tragédia. “Nossa sorte é o Hospital que está cuidando da gente: os médicos, funcionários, os diretores, todos. Estou recebendo muitas doações do Hospital. O armário aqui está cheio de roupas, comida e água. O diretor já me falou também que vão me doar geladeira, fogão e cama quando eu sair”, comenta o paciente.

Para o diretor executivo do HSJ, Nélisson do Espírito Santo, a ajuda aos colaboradores faz parte do trabalho e da história da Associação. “A Congregação tem valores como a solidariedade e respeito à vida, que norteiam as ações de todas as Casas por ela mantidas. Ajudar as pessoas que necessitam é tão importante para nós, quanto foi poder receber e cuidar das vítimas da tragédia, no início de janeiro. Nosso trabalho ainda não terminou”, reforça.

Além de seus colaboradores, o HSJ está prestando assistência à outras vítimas da chuva, além da Fazenda Esperança, Asilo São Vicente, Creche e Asilo Lar de Isabel.

Nossa Senhora da Conceição cria área de gestão de pessoas

O Hospital de Clínicas Nossa Senhora da Conceição (HCNSC), de Três Rios, implantou  a área de Gestão de Pessoas (GP), em abril de 2010. O novo setor, que já era um antigo desejo da atual administração, já está apresentando  resultados positivos.

Uma das primeiras realizações da GP foi a Reintegração 2010. Através desta iniciativa, os colaboradores do HC conheceram um pouco mais sobre a história do Hospital e da ACSC. Neste evento, 90% dos colaboradores estiveram presentes.

Além disso, a nova área também realizou a Pesquisa de Clima Organizacional (PCO), que contou com 89% de participação dos colaboradores, em outubro do ano passado. A PCO foi uma ferramenta fundamental para identificar os anseios dos colaboradores e seu resultado mostrou um diagnóstico fiel das necessidades da Casa e do público interno. Com as informações obtidas através da Pesquisa, a GP deu início aos planos de ação que visam contemplar todos os pontos abordados para curto, médio e longo prazo.

Nesses quase 10 meses de trabalho, o setor organizou várias palestras e treinamentos para os colaboradores. Os temas são sempre de interesse geral e voltados para públicos específicos, como o grupo de PCD’s do HC e o grupo de menores aprendizes do instituição.

No fim de 2010, foi desenvolvido o projeto de avaliação MBTI, que visa identificar as competências e características pessoais dos líderes do Hospital. Ao todo, 41 lideranças participaram do projeto que foi desenvolvido em parceria com a Casa de Saúde São José, do Rio de Janeiro.

O ano de 2011 também começou com muitas novidades. A GP deu início ao projeto aniversariantes do mês. Trata-se de uma festa mensal, organizada pelos próprios colaboradores para comemorar o aniversário. Toda última sexta-feira de cada mês um grupo de colaboradores organizados previamente pela GP recebe um orçamento para organizar a festa e, no final do ano, o grupo que fizer a melhor ganhará uma festa extra como sinal de reconhecimento pelo trabalho realizado. Outra novidade implementada é o projeto “Amigos da Balança”. Através dele, os colaboradores com sobrepeso estão recebendo orientação nutricional, tendo acesso a diversos tipos de atividades físicas (como desconto em academia disponibilizado por convênio firmado entre as empresas e o HC), palestras e contando com a ajuda do setor de nutrição, que prepara opções saudáveis para os participantes do projeto.

Em 2011 a grade de treinamentos já está pronta e engloba treinamentos técnicos, comportamentais e de lideranças.

CRI da Zona Norte faz homenagem às mulheres

No próximo dia 15 de março, o Centro de Referência do Idoso da Zona Norte de São Paulo comemora o dia internacional da mulher (8 de março) com coral, vídeo, workshop e palestras. As atividades pretendem valorizar a mulher e gerar atividades construtivas para a comunidade idosa da Zona Norte.

A abertura do evento é feita  às 13h com a apresentação do Coral CRI ZN. Em seguida, 13h15, os participantes assistem ao vídeo de homenagem ao dia das mulheres da entidade. Às 13h30, tem início o workshop Ikebana, da Fundação Mokiti Okada, que trabalha a elevação da espiritualidade humana através do contato com a flor, criando um ambiente familiar de harmonia, elevação e arte.

O evento é encerrado com o bate-papo “Lei Maria da Penha – Vamos dar um basta à violência contra a mulher”, realizado pela Associação Fala Mulher e ministrado pela advogada Christine Rocha Reis e a psicóloga Melina Blanco Amarins.

CRI da Zona Norte promove baile de carnaval

No último dia 25 de fevereiro, o Centro de Referência ao Idoso da Zona Norte promoveu um baile de carnaval com a participação da Escola de Samba Unidos do Peruche. Com o objetivo de  reunir os idosos da comunidade e trazer entretenimento para a melhor idade, o evento teve início às 14h e se extendeu até as 17h30.

A abertura contou com a presença de 30 integrantes da Escola de Samba Unidos do Peruche, como ritmistas, mestre-sala, porta-bandeira, velha guarda e intérprete. O enredo da escola em 2011 é baseado na reconstrução do Teatro Municipal de São Paulo.

Depois da apresentação da escola, a festa foi animada pelo cantor e instrumentista Ivan Luigi, que relembrou as marchinhas de carnaval. A estimativa é que 300 pessoas participaram do evento.

ACSC mantém Patrimônio Histórico

Patrimônio Histórico significa um móvel, imóvel ou natural, que possua valor estético, artístico, documental, científico, social, espiritual ou ecológico para uma sociedade. A Associação Congregação de Santa Catarina (ACSC) tem quadros, vitrais, prédios, móveis, enfeites e instrumentos musicais do começo do século XX, que são caracterizados como patrimônio histórico.

A preservação do patrimônio histórico teve início no século XIX, após a Revolução Francesa e a Revolução Industrial, inicialmente para restaurar os monumentos e edifícios históricos destruídos na guerra. No Brasil, a ACSC é referência em Juiz de Fora (MG) com o prédio arquitetado em 1909.

A memória de um povo está diretamente relacionada à conservação de seu patrimônio cultural. Ao adentrar em muitas instituições constituintes da Associação Congregação de Santa Catarina, a história é revivida.
No hospital Santa Teresa, é possível ver quadros da família real brasileira com molduras pintadas em uma mistura de óleo e ouro.

O Colégio e Creche Santa Catarina de Petrópolis é composto de salas amplas, arquietura rebuscada, com órgãos, livros, vitrais e móveis de 1897. O Lar Madre Regina abriga um convento construído segundo o estilo romântico e neoclássico.

Muitas instituições da Associação Congregação de Santa Catarina foram criadas durante o século XX, como o Colégio Santa Catarina de São Paulo (de 1926), a Casa de Saúde São José (de 1923), o Hospital São José (de 1934) e o Hospital Santa Catarina (de 1906).

Neste contexto, a maioria das instituições da Associação Congregação de Santa Catarina abrigam e constituem patrimônios  históricos, que

Lar Madre Regina dará curso gratuito de cuidadores de idosos

O Lar Madre Regina, de São Paulo, oferece, a partir de março, o 3º Curso Básico de Cuidadores de Idosos – “O autocuidado no envelhecer”. O curso é uma oportunidade para os profissionais interessados na capacitação teórica e prática básica sobre gerontologia (ciência que estuda o envelhecimento humano).

As aulas começam dia 1ºde março e vão até 26 de junho de 2011. O curso é ministrado  todas as terças-feiras, das 13h30 às 17h. O curso é aberto para comunidade e colaboradores da Associação Congregação de Santa Catarina.

As disciplinas são ministradas por colaboradores do Lar Madre Regina (dançarina, enfermeira, nutricionista, fisioterapeuta, assistente social e médico geriatra), professores convidados do CRI/Norte (fonoaudióloga, psicóloga e terapeuta ocupacional) e as Irmãs do Colégio Santa Catarina de São Paulo, com aulas de espiritualidade.

Os módulos estudados são enfermagem, nutrição, fisioterapia, educação física, serviço social, geriatria, fonoaudiologia, psicologia, terapia ocupacional, espiritualidade, farmácia, dança sênior e aula prática. Todas as matérias são especializadas em Gerontologia.

A ideia nasceu da ampla procura por vagas na instituição. A iniciativa propicia uma oportunidade profissional de uma área em ascensão, com o aumento da longevidade e, consequentemente, a ampliação do mercado de trabalho.
“O autocuidado no envelhecer” está em seu terceiro ano, com avaliação positiva dos participantes. O curso é gratuito e as vagas são limitadas.

Amparo Maternal é a maior maternidade de assistência no País

O Amparo Maternal foi fundado em 1939, por um grupo de pessoas lideradas pela franciscana Madre Marie Domineuc, o médico e professor Dr. Álvaro Guimarães Filho e o Arcebispo de São Paulo, Dom José Gaspar de Alfonseca e Silva. Com o objetivo de abrigar  gestantes que não tinham um local digno para dar à luz, a insituição recebe gestantes das mais variadas origens. Atualmente, a instituição tem uma  estrutura de 118 leitos: 85 leitos são de Clínica Obstetrícia, 25 leitos de berçário e 8 leitos de UTI Neonatal.

O atendimento é completo, oferecendo assistência pré-natal, parto e puerpério, berçário de alto e baixo risco, atendimento de emergência e gestante, retorno pediátrico neonatal para os recém-nascidos de alto risco, serviço de fisioterapia neonatal, laboratório de análises clínicas, cartório para registro de recém-nascido no local, teste do pezinho, teste do reflexo vermelho (teste do olhinho), triagem auditiva neonatal, medicina diagnóstica nas áreas de medicina interna, obstetrícia, medicina fetal, e assistência social.
O Amparo Maternal executa um trabalho exclusivo no Sistema Único de Saúde – SUS, maior sistema público de saúde do mundo, com mais de 300 colaboradores e 100 voluntários, realizando mais de oito mil partos por ano.

Organização Social de Saúde

A Associação Congregação de Santa Catarina assumiu, em 2008, a gestão do Amparo Maternal. A nova administração trouxe seus valores de amor à vida, ética, inovação, espiritualidade e qualidade administrativa para a maternidade. O resultado foi a regularização das finanças, redução para zero o número de mortes por infecção hospitalar e diminuição, de 10% para 0,5%, da incidência de casos de sequelas cerebrais no nascimento.
Internamente, a Associação Congregação de Santa Catarina vem desenvolvendo novos projetos sociais, trazendo modernização e formação profissional. Exemplos concretos das iniciativas são a implantação do Serviço de Atendimento ao Usuário e a aquisição de novos equipamentos e materiais de alta qualidade.
A valorização do ser humano desde o momento do nascimento está presente em todas as ações dos profissionais e voluntários da Associação Congregação de Santa Catarina.

Alojamento Social

O Amparo possui um Alojamento Social que abriga gestantes que necessitam de acolhimento por motivos sociais. No local, elas recebem atendimento médico, psicológico e assistência social. Após o parto, seus bebês recebem cuidados de toda a equipe de profissionais e voluntárias do Amparo.

Enquanto alojadas, as mães também têm a oportunidade de participar de oficinas como informática, música, ginástica, costura, culinária, artesanato, entre outras.

O alojamento tem capacidade para 100 vagas, entre gestantes , mães e bebês. O período de permanência no local é, em média, de 02 a 03 meses.

CRI da Zona Norte comemora seis anos

No último  dia 17 de fevereiro, o Centro de Referência do Idoso da Zona Norte, administrado pela Associação Congegação de Santa Catarina, completou seis anos. Para comemorar a data, a instituição compartilha com toda a sociedade e, especialmente com seus colaboradores, o compromisso com a responsabilidade social e com o respeito ao próximo.

O dia começou com uma Missa de Ação de Graças no Auditório Dr. Luiz Robert Barrados Barata. “Optamos comemorar os seis anos, combinando espiritualidade e modernidade, valores da Associação Congregação de Santa Catarina. Ao longo desses anos, o CRI cresceu ouvindo os idosos e com foco em qualidade, amor à vida, inovação e ética. Queremos construir os próximos anos sem abrir mão desses valores e sempre comprometidos com um país melhor”, acredita Alline Cezarani, diretora do Centro de Referência do Idoso da Zona Norte.

No dia anterior (16), a instituição ofereceu sessões de Quick Massage aos colaboradores, levando bem estar e gratidão pela atuação exemplar. O CRI é responsável, anualmente, por 145 mil atendimentos médicos e assistenciais, 23 mil tratamentos odontológicos e 72 mil pessoas passam pelo seu centro de convivência, gerando aprovação e satisfação dos usuários.

Na data, o Centro de Referência do Idoso da Zona Norte recebeu de presente da equipe de comunicação da casa um vídeo, mostrando a instituição, seus valores, estrutura, colaboradores e usuários. Para conhecer mais sobre o CRI e ver o vídeo, clique no play abaixo.

httpv://www.youtube.com/watch?v=OX42hwQyv3M