DSC_0449

HTO Dona Lindu realiza 2º transplante de tecido musculoesquelético

Especializado em cirurgias de alta complexidade, o Hospital de Traumatologia e Ortopedia Dona Lindu (HTODL), em Paraíba do Sul, vem ampliando sua atuação no serviço de saúde através da realização de transplantes de tecido musculoesquelético. O procedimento consiste em utilizar tecidos ósseos doados para repor perda óssea no paciente receptor. Esta é a segunda vez que o hospital realiza o transplante, a primeira em uma cirurgia de joelho.

A receptora foi Milcea Gomes Marinho, 71 anos, moradora do município de São Gonçalo. Portadora de uma artrose no joelho direito, a paciente passou por operação em 1999 para colocação de uma prótese que corrigiu o problema. No entanto, há cerca de dois anos, dores constantes no mesmo local começaram a atormentar o dia a dia de dona Milcea, que precisou abandonar a profissão de costureira, sendo forçada a se aposentar. Após passar por consulta no HTODL, foi indicada a necessidade de uma nova cirurgia.

De acordo com o cirurgião ortopedista, Vinícius Bonfante, chefe do grupo de joelho do hospital, neste caso o transplante foi indicado, pois a cirurgia foi uma revisão de prótese total do joelho, procedimento com grande quantidade de perda óssea. Segundo o cirurgião, o transplante traz benefícios, pois evita a enxertia autóloga (retirada de tecidos do próprio paciente para reimplante no local necessário), o que torna a operação menos invasiva, menos dolorosa e mais eficaz.

Na última sexta-feira, dia 4, Milcea foi operada no hospital, e agora espera ansiosa para voltar a ter uma vida normal. “Minha vida parou por causa destas dores, mas agora é olhar para frente. Todo o sofrimento que eu e minha família passamos juntos ficou para trás”, afirmou a aposentada.

O marido de Milcea, o aposentado Lozir Marinho, fez questão de agradecer o atendimento do HTO Dona Lindu. “No auge das dores da minha esposa pensei até em vender a casa para que ela pudesse ser operada em um hospital particular. Quando viemos para o HTO tudo foi muito rápido e ela conseguiu a cirurgia. Se fosse dar uma nota para este hospital, certamente seria 10”, disse Lozir.
Para o diretor executivo do HTODL, Artur Hummel, a habilitação para realizar o transplante de tecido musculoesquelético demonstra que o hospital está no caminho certo, pois mantém a preocupação em ampliar a qualidade do serviço, garantindo a segurança do paciente. “Todos os procedimento realizados no hospital seguem protocolos de segurança rígidos, certificados pela Organização Nacional de Acreditação. Nos preparamos para a realização de transplantes, e quem ganha é sempre o paciente”, afirmou Hummel.

Os tecidos musculoesqueléticos utilizados no hospital são fornecidos pelo Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia Jamil Haddad (INTO), responsável pelo banco de tecidos que abastece o HTO Dona Lindu. O INTO também capacitou a equipe do hospital para receber e manusear o enxerto ósseo.

A autorização para realizar o transplante foi concedida ao HTODL pelo Ministério da Saúde, em janeiro de 2013, sendo o primeiro hospital estadual a realizar este tipo de procedimento. Após o período de preparação da equipe, a primeira cirurgia a incluir o transplante foi uma revisão da artroplastia do quadril esquerdo, realizada em 24 de junho, dia em que o Hospital Dona Lindu completava três anos de funcionamento.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *