ENCONTRO DE LÍDERES ACSC 2015

Duzentos e vinte participantes, entre Irmãs e Líderes representantes de todas as Casas da ACSC, estiveram reunidos no Encontro organizado pela Diretoria Corporativa de Gestão de Pessoas e Comunicação, em trabalho conjunto com uma comissão, entre os dias 12 e 15 de março, na cidade de São Roque/SP.

Espiritualidade, Trabalho e Liderança

Esse foi o tema do Encontro, que já na abertura teve um momento marcante: a apresentação de objetos símbolos das Casas e acolhida (boas vindas) dos três novos hospitais do Sul, que foram representados pelas Irmãs da Divina Providência.

Em sua fala de abertura no Encontro, a Coordenadora Provincial da Congregação das Irmãs de Santa Catarina, Irmã Nazaré, destacou a importância de se olhar para o passado com gratidão, viver o presente com paixão e olhar o futuro com esperança. Representando a presidente do Conselho de Administração da ACSC, Irmã Aparecida enxergou no encontro uma oportunidade para os líderes repensarem seu papel e “pintar o mundo com cores novas”.

Cada dia foi dedicado a um tema, que foi amplamente abordado por meio de palestras e atividades lúdicas realizadas em grupos, para que os participantes tivessem a chance de aprender e exercitar na prática conceitos sobre liderança e espiritualidade.

1º DIA – TRABALHO

O primeiro dia foi dedicado ao tema “Economia”. Após uma apresentação sobre o cenário econômico atual, feita pelo economista do Banco Itaú, Luiz Cherman, o diretor Corporativo Financeiro, Maurício Rodrigues, apresentou os resultados financeiros de 2014 da ACSC. O superintendente Corporativo, José Luiz Bichuetti, apresentou as novidades na estrutura corporativa e falou sobre perspectivas e principais projetos para 2015, tais como projeto Salus Vitae, Centro de Serviços Compartilhados (CSC) e a recente incorporação dos três hospitais da Divina Providência, no estado de Santa Catarina.

2º DIA – LIDERANÇA

A liderança foi o tema central do segundo dia. O palestrante e consultor Eugênio Mussak ressaltou a responsabilidade do líder em influenciar o comportamento de suas equipes e “elevar a qualidade humana a partir do exemplo”. Para Mussak, além de competências específicas alinhadas à estratégia do negócio, é fundamental que todo líder tenha como atributos a ambição de transformar as pessoas ao seu redor. “Liderar é juntar nas pessoas a alma ao corpo numa atividade significativa e prazerosa”, afirmou. A diretora Corporativa de Gestão de Pessoas e Comunicação, Elizabeth Leonetti, salientou a preocupação da Instituição em capacitar as lideranças, de forma a preparar sucessores aptos a perpetuar o legado das irmãs de Santa Catarina, e apresentou os resultados do Projeto Liderança.

Com duas frentes de trabalho, o Projeto contemplou 206 líderes dentre o 1º e 2º Nível de Liderança de todas as Casas. Na frente “Mapeamento da Liderança”, o projeto teve como objetivo mapear o potencial dos participantes a partir de um conjunto de seis competências definidas pela ACSC. Já a frente “Cargos & Remuneração”, que foi iniciada a partir da elaboração das descrições de cargos, teve como foco avaliar a estrutura de cargos e salários adotada pela Associação. Entre os meses de fevereiro e março, os participantes receberam a devolutiva de seu mapeamento com a proposta de elaborarem seu plano de desenvolvimento individual. Com base nos resultados, a ACSC implantará um modelo de desenvolvimento da liderança, incluindo políticas e estratégias de Cargos, Salários, Carreira e Sucessão.

3º DIA – ESPIRITUALIDADE

O tema “Espiritualidade” permeou os paineis realizados no terceiro dia. O professor e pesquisador da Fundação Dom Cabral, Ricardo Carvalho, abordou o contexto da espiritualidade na vida e no trabalho. Segundo o professor, a dimensão espiritual é algo que transcende a religião e que no ambiente de trabalho está ligado à clareza que uma pessoa tem de sua missão e propósito de vida. “Estudos mostram que as pessoas que se consideram mais felizes têm uma experiência espiritual. Elas também têm uma percepção mais apurada sobre a diferença que podem fazer no mundo”, diz.

Embora esteja presente nas obras da Congregação desde sua fundação, em 1583, a espiritualidade ganhou um novo enfoque na Instituição após a inclusão da “Gestão Espiritualizada” como objetivo de destaque no Mapa Estratégico, para que a ACSC concretize sua Visão. Neste contexto, a ACSC compreende a espiritualidade como um estilo de vida inspirado no Evangelho, que se traduz em atitudes alinhadas aos valores da Instituição: tradição; humanização; credibilidade; respeito e dignidade; empreendedorismo. Em outras palavras, a espiritualidade é algo que deve ser vivenciado em todas as ações e atitudes praticadas pelos colaboradores da ACSC. Para fomentar essa reflexão, foi criada a Coordenação Corporativa de Espiritualidade, que tem entre seus objetivos contribuir para a unidade das Casas da ACSC, em relação à espiritualidade, respeitando suas particularidades.

SERVIR E CUIDAR DA VIDA

Para o superintendente da ACSC, o primeiro princípio da espiritualidade está no “servir, tratar gente como gente”. Ele destacou a importância de termos colaboradores que praticam e vestem os valores da Instituição e que perseguem com zelo o melhor resultado. “Precisamos ter uma conduta prática que inspire confiança, mostrando competência para desempenhar o papel, mas com transparência e honestidade. É preciso olhar a Instituição com os olhos das irmãs”, afirma Bichuetti. “Sejam a mudança que vocês querem ver no mundo e vivam esta vida construindo a cada dia o seu próprio paraíso”, completou. Em uma mensagem enviada por telefone, Irmã Lia encerrou o encontro citando uma versão atual da parábola do Bom Samaritano: “… Somos e queremos ser esses samaritanos que continuam a aliviar as dores, ensinar as crianças, educar o jovem, zelar pelos idosos. Enfim, cuidar da vida. Cuidar da Vida. Cuidar da Vida…”.

MAIS DE 80% DOS PARTICIPANTES APROVARAM O EVENTO

O Encontro de Líderes teve uma repercussão bastante positiva. Mais de 80% dos participantes afirmaram estar muito satisfeitos com o evento em uma pesquisa de satisfação realizada posteriormente. Entre os pontos positivos mais citados estão a integração das lideranças e a troca de experiências, a oportunidade de reflexão sobre os temas propostos (espiritualidade, valores e cultura), os palestrantes convidados, a organização e profissionalização do evento.

Um dos desdobramentos do Encontro foi a criação de um grupo de discussão no Facebook de temas ligados à espiritualidade. Além disso, os diretores executivos de todas as Casas receberam o conteúdo do evento (apresentações e facilitações gráficas) para ser replicado junto às respectivas equipes.

 

A festa de Corpus Christi

Corpus Christi, afinal, o que essa data representa? De tradição antiguíssima, esta festa representa o sacramento do Corpo e Sangue de Cristo ou mais conhecida como a Santa Eucaristia. É comemorado todos os anos através de uma festa cristã, sempre na quinta-feira por todos aqueles que têm fervor de fé e devoção à Cristo.

Segundo o Padre Alexandre do Hospital Santa Catarina, a Eucaristia, realmente, é o maior tesouro da Igreja, é a preciosa herança que o Senhor Jesus nos deixou. “A Igreja conserva a Eucaristia com o máximo empenho e cuidado, celebrando-a diariamente na Santa Missa, bem como adorando-a nas igrejas e nas capelas, levando-a como viático aos doentes que partem para a vida eterna”, explica.

Celebrando o Corpus Christi estamos renovando nosso autêntico compromisso de batizados, sendo assim, reafirmando nosso compromisso pastoral e, com ela, celebrando a eucarística: “um compromisso irrenunciável, abraçado não só para obedecer a um preceito, mas como necessidade para uma vida cristã verdadeiramente consciente e coerente” (João Paulo II, “Novo Millennio Ineunte”, 36).

 

Alunos do Ensino Fundamental exibem talentos em tarde de apresentações

Alunos das cinco turmas do 2º ano do Ensino Fundamental do Colégio Santa Catarina (CSC) reuniram-se na tarde dessa quarta-feira, 24, na Biblioteca Infantil, para uma tarde de apresentações, onde cada um pode mostrar seu talento. Teve contação de histórias, adivinhações, teatrinho de fantoches, karatê, números de dança, flauta, coreografia de música da novela Carrossel e até um grupo de rappers. De acordo com a supervisora pedagógica, Sandra Mautoni, esse tipo de atividade é realizada com as crianças uma vez por bimestre.

“As turmas do segundo ano apresentam para as de terceiro e vice-versa, e as do quarto e quinto ano também fazem apresentações entre si. Essa ideia surgiu porque a gente queria um espaço em que as crianças pudessem se expressar para o outro, no intuito de ensiná-las o respeito ao próximo, tanto que é uma coisa muito descontraída. As professoras perguntam aos alunos quem quer apresentar algum talento. Quem sabe tocar algum instrumento, toca, quem sabe cantar, canta, quem sabe dançar, dança. A participação é voluntária, mas acabam todos contagiados.”, explica Sandra.

E ficam mesmo. O clima é de total descontração e enquanto os coleguinhas apresentam, quem assiste fica prestando atenção, participa quando há interatividade e, ao fim da exibição, todos aplaudem. Além da questão do respeito ao próximo, a Tarde de Talentos serve também para trabalhar a timidez de muitos alunos. “Esse é outro objetivo. Desinibir. Porque muitas vezes a criança é tímida, mas junto com outros colegas ela tem coragem de ir lá na frente dançar ou cantar”, relata a supervisora.

A data da apresentação é definida durante uma reunião pedagógica e as turmas têm prazo para se prepararem e ensaiarem a apresentação. Conforme explica Sandra, a professora, junto com os alunos, define como serão os números, se a apresentação vai envolver a sala toda ou se haverá mais de uma apresentação. “Fica a cargo da professora e dos alunos estabelecer isso”.

AME Itapevi e Residencial Santa Catarina recebem Relíquia de Madre Regina

A Relíquia de Madre Regina, fundadora da Associação Congregação de Santa Catarina (ACSC) passou pelo Residencial Santa Catarina e pelo AME Itapevi entre os dias 16 e 20 de abril e agora no último dia 03 de maio, em comemoração ao IV Centenário da Páscoa.

Para recebê-la foi realizada uma missa que teve direito a chuva de pétala de rosas. A relíquia ficou a disposição de todos os colaboradores e pacientes do AME Itapevi e Residencial Santa Catarina.  Ao final do dia foi realizada a despedida da Relíquia com um momento de reflexão entre os colaboradores. Nos três dias que antecederam a chegada da relíquia foi realizada uma tarde de orações com o tríduo onde proporcionou momentos de reflexão e espiritualidade entre seus colaboradores.

No Residencial Santa Catarina em seu último dia foi feito uma encenação realizada por uma de nossas residentes que se caracterizou de Madre Regina. Agradecemos a participação da Sra. Myrthes Bosisio Gonçalves e sua ótima atuação. Após a missa de despedida, a relíquia foi levada pela nossa Diretora Geral Irmã Fátima e pela nossa Diretora Executiva Maria Norma, ao Amparo Maternal.

Alunas do CSC participam de ação com a Câmara Municipal para garantir direitos dos idosos

O Colégio Santa Catarina (CSC), representado por três alunas da 8ª série do Ensino Fundamental, participou, nessa segunda-feira, 29, da primeira Blitz do Idoso, realizada pela Comissão Permanente do Idoso, da Câmara Municipal. O objetivo da ação, pioneira na cidade, foi averiguar o cumprimento, por parte dos órgãos públicos, das leis criadas para garantir os direitos das pessoas com mais de 60 anos. “A meta dessa empreitada é fazer uma cidade melhor para a terceira idade”, afirmou o vereador Isauro Calais, presidente da Comissão, composta, ainda, pelos vereadores Ana Rossignoli, Rodrigo Mattos e Vagner de Oliveira.

A blitz contou também com a participação de representantes do Conselhoj Municipal do Idoso, da Secretaria de Assistência Social, do Departamento de Fiscalização da Prefeitura e Guarda Municipal. O grupo visitou o Centro de Atenção ao Cidadão da Câmara Municipal, o JF Informação, o PAM-Marechal e a unidade do INSS, da Rua Santo Antônio. Antes de iniciar a ação preventiva, ainda na Câmara, os vereadores parabenizaram o envolvimento dos jovens do CSC com a questão do idoso.

“Obrigado aos alunos do Colégio Santa Catarina que nos honram com a presença. Nós temos um planejamento de vários eventos ao longo do ano. Tenho certeza do sucesso dessa primeira blitz para que todos conheçam os direitos dos idosos e os respeitem”, discursou Rodrigo Mattos. “Tenho certeza de ser dado hoje um grande passo em Juiz de Fora para que todos os órgãos, privados e públicos, passem a cumprir a legislação. Essa ação de hoje será um marco para a cidade”, complementou o vereador Vagner.

“A gente quer fazer um trabalho sério para que o idoso seja valorizado. Parabenizo o grupo de alunos do Santa Catarina por participarem dessa iniciativa conosco porque vocês serão os idosos de amanhã, então vocês precisam, desde já, conhecer os direitos e as leis dos idosos praticando desde agora. Infelizmente, o idoso ainda é muito pouco reconhecido, não só na nossa cidade, mas no Brasil todo”, manifestou Ana Rossignoli.

“Foi uma experiência muito legal. Nós não conhecíamos a Câmara nem os vereadores e foi muito bom poder conversar com eles, acompanhar o trabalho e ver que tem gente séria lutando pela sociedade, querendo o melhor, nesse caso, para os idosos. Nós nos sentimos importantes e valorizados com os vereadores citando o nosso nome. Os jovens também têm participação, da mesma forma que os adultos de hoje serão os idosos de amanhã, nós jovens seremos os adultos de amanhã, e poderemos estar ali, para ajudar a todos”, avaliou a aluna Luana Cardoso, que estava acompanhada das colegas de turma Bruna Delgado e Letícia Irandy.

Ao longo da blitz, as estudantes abordaram a aposentada Edna Catarina Cruzeiro Pereira, que passava pela Rua Marechal e ficou curiosa com a ação, que ela julgou necessária e oportuna. “Acho que nossos direitos não são respeitados principalmente nos ônibus coletivos. Não conseguimos entrar pela porta da frente porque as pessoas avançam, querem descer e não nos dão passagem. Já cansei de perder ônibus por isso. Uma vez eu fui até xingada por um rapaz, que me chamou de sem educação, mas eu apenas estava exercendo um direito meu. Em determinadas filas, também, a gente vai para o atendimento prioritário e tem pessoas que ficam olhando de cara feia. É muito comum idoso ser desrespeitado até mesmo pela família. Conheço uma senhora que vive sendo agredida fisicamente pelo próprio filho. Eu morro de pena dela. Graças a Deus não passo por isso, mas infelizmente, tem muitos idosos que passam”, queixou-se a aposentada.

Durante a visita aos quatro órgãos, os vereadores entregaram cópia do catálogo de leis municipais que tratam da questão do idoso e sobre a prioridade do atendimento aos maiores de 60 anos. “Nossa ação é importante para que possamos desenvolver uma política efetiva no município e realizar as intervenções necessárias”, ressaltou o presidente da Comissão. A blitz foi também uma oportunidade para a Fiscalização da Prefeitura de dar ciência aos órgãos públicos municipais para que se adequem, até setembro, ao decreto que regulamenta a lei 10.410, que trata da questão da mobilidade.

Banda Mirim – Oficina de musicalização busca formar novos talentos

Há cerca de um ano, a Obra Social Santa Catarina, em parceria com a Polícia Militar (PM), persegue um nobre objetivo: formar uma banda de música com crianças de bairros carentes de Juiz de Fora. Para isso, a instituição, construída, mantida e coordenada pelo Colégio Santa Catarina (CSC) no Jardim Casablanca, região da Cidade Alta, oferece aulas de musicalização a crianças de 9 a 13 anos de idade. Além do gosto pelos instrumentos, os participantes colecionam histórias de superação e vitória através da música.

As aulas são ministradas duas vezes por semana, às terças e sextas-feiras, das 15h às 16h, por quatro policiais que acompanham o projeto. O curso começa com aulas de teorização, para que os alunos tenham o primeiro contato com notas musicais. Quando já estão aptos, eles fazem a escolha do instrumento que desejam aprender a tocar. De acordo com o subtenente Fontes, auxiliar de regente da Banda da PM, no curso a criança aprende o bê-a-bá da música: notas, pauta, figuras musicais, compasso, tudo para que ela se familiarize e saiba fazer a leitura musical. “A maioria chega aqui sem noção nenhuma, sem nunca ter tido contato com instrumento. Aqui a gente faz questão que elas aprendam a ler partitura, porque no mercado de trabalho quem não lê partitura não tem futuro”, explica.

As aulas de musicalização contam com instrumentos novos e modernos, adquiridos a partir de um projeto do CSC aprovado pela Fundação Itaú Social. “Na época, em 2011, o Colégio buscou uma série de parceiros para a Obra Social como um todo. Apresentamos a iniciativa para a Fundação Itaú Social, que resolveu adotar a oficina de musicalização, patrocinando todos os instrumentos e equipamentos necessários para as aulas, tudo de primeira  linha”, relata Artur Giovannini, diretor executivo do CSC.

Atualmente, o projeto conta com 11 alunos, mas tem capacidade para atender 30. “Nossa intenção é formar uma banda, inclusive, temos instrumentos para isso. Estamos muito satisfeitos com a evolução e dedicação da turma e esperamos despertar o interesse em mais meninos e meninas nessa faixa etária”, observa o regente.  Vanessa Campos de Siqueira, de 12 anos, é um desses aprendizes dedicados. Tanto, que trocou de turno na escola para continuar a frequentar as aulas de música. “Eu nunca tinha tocado instrumento antes e foi paixão à primeira vista. Eu não tinha muita coordenação motora, pegava no lápis de um jeito bem estranho, todo mundo comentava. Agora eu escrevo direitinho. Fiquei também mais concentrada na escola”, conta a estudante.

O contato com o mundo das notas musicais também ajudou Caroline Maria de Souza Almeida, de 10 anos, a melhorar o desempenho escolar. “Nas provas de matemática, por exemplo, eu sempre perdia média. Depois que eu comecei a aprender música eu só tiro nota boa. A música influenciou porque desbloqueou meu cérebro. A música desenvolve a gente, em todos os sentidos. Hoje, eu não sei mais viver sem música”. A menina conta, ainda, que quer tocar profissionalmente e que o pai está juntando dinheiro para comprar um clarinete para ela poder treinar em casa e se aperfeiçoar.

Outro relato emocionante é o da pequena Camilly Araújo Nascimento, de 10 anos, que conta, como gente grande, a diferença que a música fez em sua vida. “Música para mim é felicidade. Quando eu crescer eu quero ser musicista. Minha mãe acha o máximo, porque estou aprendendo muita coisa. Depois que eu vim pra cá eu melhorei muito na escola, porque a música entra na nossa vida e nos faz pessoas melhores, mais calmas. Eu era muito agitada, hoje sou mais quietinha”.

A oficina de musicalização é gratuita. Os pais interessados em inscrever seus filhos devem procurar a secretaria da Obra Social Santa Catarina, localizada Rua Monteiro Lobato, 147, Jardim Casablanca. O telefone de contato é o 3214-3841. Frisando que a prioridade é para quem mora na região da Cidade Alta.

 

ACSC celebra os 400 anos pós-morte de Madre Regina Protmann em Aparecida do Norte.

Em comemoração ao IV Centenário da Morte de Madre Regina Protmann, a Associação Congregação de Santa Catarina receberá no CEAC Sul a relíquia da Madre Regina, e fará uma celebração especial em Aparecida do Norte.

Com apenas 19 anos, Madre Regina Protmann começou a dedicar-se à educação de crianças e aos cuidados dos doentes em uma casa doada por sua família, formando a comunidade que deu origem à Congregação das Irmãs de Santa Catarina. Após uma vida de extrema devoção a Cristo e ao próximo, ela nos deixou um legado de entrega, amor e fé. Hoje, cabe a nós preservarmos seus ideais, reverenciando e colocando em prática seus ensinamentos, por isso, programe-se:

No dia 13 de maio, vamos receber a relíquia de Madre Regina Protmann no Ceac Sul, e no dia 15 de junho faremos a celebração especial pelo IV Centenário da Morte de Madre Regina Protmann, em Aparecida do Norte, às 09h da manhã. Você não pode perder!

 

10º Curso de Orientação para Cuidadores Informais de Idosos

“PROMOVENDO UM OLHAR NA ORIENTAÇÃO DO CUIDADO”

O Curso de Orientação para Cuidadores Informais de Idosos é uma das ações do Programa de Cuidadores do CRI Norte. Em sua décima edição já capacitou mais de 200 cuidadores, com o objetivo de disseminar o conhecimento em gerontologia aos cuidadores informais sobre os cuidados com saúde do paciente e do cuidador, contribuindo com uma melhor atuação no cuidado e na prevenção de possíveis fatores que poderiam colocar em risco a qualidade de vida do cuidador.

O Programa está sob a coordenação de Andréia Magalhães – Gestora do Serviço Social e Fernanda Fávere – Assistente Social, e o curso conta com a participação da equipe multiprofissional do CRI Norte com abordagens que perpassam dos aspectos biopsicossociais do envelhecimento à finitude. O curso tem carga horária de 24 horas e oferece um certificado de participação a todos inscritos que tiverem 80% de presença nos encontros.

O Centro de Referência do Idoso da Zona Norte – CRI Norte, é um ambulatório do Sistema Único de Saúde (SUS) com foco na atenção à saúde ao idoso, um serviço da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, em parceria com a Associação Congregação de Santa Catarina – OSS situado na R: Voluntários da Pátria 4301 – Santana.

As inscrições para a décima edição do curso acontecerão até o dia 01 de abril de 2013. Para informações e inscrições, acesse o site: www.crinorte.org.br

 

PROGRAMAÇÃO

03/04/2013
8h30 – Introdução do Curso
Fernanda Fávere – Assistente Social
9h às 10h15 – Aspectos Sociais do Envelhecimento
Fernanda Fávere – Assistente Social
Doenças mais comuns na Velhice
Anna Carolina Augusto Peres da Silva – Geriatra

10/04/2013
9h às 10h15 – “Cuidar com qualidade: Orientações de higiene e medicamentos;
cuidados com portador de demência e situações de riscos de vida para idosos”
Manoela Pires Couto – Enfermeira
10h30 às 12h horas – Cuidado com os pés da pessoa idosa
Maria Lúcia Bergamini – Podóloga

17/04/2013
9h às 10h15 horas – Como lidar com as dificuldades de comunicação e engasgo
Daniela Horikawa – Fonoaudióloga
10h30 às 12h horas – Alimentação Saudável para idosos dependentes
Amabile G. Bezerra – Nutricionista

24/04/2013
8h às 9h – Como prevenir Quedas e Como transferir o idoso no domicílio
Claudia de Oliveira Raizaro – Fisioterapeuta
9h às 10h15 – Cuidados especiais com a Saúde Bucal
Isabel Tiete Matos – Cirurgiã Dentista
10h30 às 12h – Como lidar com as alterações de comportamento
Estratégias para estimular a memória
A Importância da Independência
Giovanna Amato – Terapeuta Ocupacional

08/05/2013
9h às 10h15 – Finitude
Isabel Leite – Psicóloga
10h30 às 12h – Escutas criativas para um cuidador integrativo
Paulo Betencourt – Musicoterapeuta

15/05/2013
9h às 10h15 – Espiritualidade e o Cuidador
Ana Paula Maeda – Nutricionista
10h30 às 11h45 horas – Envelhecimento, atividade física e qualidade de vida
Danilo Damásio dos Santos – Educador Físico
10h30 às 12h – Encerramento

 

CRI Norte comemora oito anos

Neste mês, o Centro de Referência do Idoso (CRI Norte) completou 8 anos de existência, sob a gestão da Associação Congregação de Santa Catariana.

A instituição que atua com excelência, integrando especialidades médicas, atividades educacionais, culturais e de lazer, é responsável por fazer em média 19 mil atendimentos por mês na parte ambulatorial e cerca de 7 mil atendimentos no Centro de Convivência

Durante estes anos de existência, o CRI Norte obteve várias conquistas, em prol do envelhecimento ativo. É, por isso, que para comemorar o triunfo de sua existência foi realizada uma missa, para os colaboradores e comunidade, com a participação do Coral de Idosos do Centro de Convivência do CRI Norte, realizada em 19 de fevereiro às 9h, no auditório Dr. Luiz Roberto Barradas Barata, do CRI Norte.

 

AME Jardim dos Prados é o 2º melhor AME do Estado de São Paulo

O Ambulatório Médico de Especialidades (AME) Jardim dos Prados, que iniciou as atividades em 2001 sob a gestão da Associação Congregação de Santa Catarina como Organização Social de Saúde (OSS), conquistou nota 96,8 do controle de qualidade da Secretaria de Estado de Saúde e ocupa a posição de segundo melhor AME do Estado de São Paulo.

A auditoria realizada em dezembro de 2012 ficou encantada com a estrutura física, limpeza, comprometimento da equipe e prestação de atendimento humanizado ao paciente e à comunidade. Isso reflete todo o esforço dos colaboradores da entidade.

Hospital Santa Catarina faz missa para celebrar o IV centenário da morte de Madre Regina Protmann

No dia 18 de janeiro é celebrado o IV centenário da morte da Beata Madre Regina Protmann, o Hospital Santa Catarina, em São Paulo, organizou uma missa solene em honra a Madre Regina.

Padres Reginaldo e Pierre conduziram a missa a convite do Padre Alexandre. Durante a celebração, Padre Reginaldo perguntou “como hoje, depois de 400 anos, podemos dar seguimento ao carisma de Madre Regina?” A resposta é dar um sim a Deus, um sim corajoso e transformador, como Deus quer.

Em seguida, a Irmã Berenice fala do ano jubilar em que comemoramos 400 anos da ressureição da Beata Madre Regina fundadora da congregação Irmãs de Santa Catarina, reunindo ao redor da mesa da palavra e da eucaristia, para recebermos de Deus por ela ter sido um dom para toda comunidade, das necessidades que recebeu da igreja em querer fazer o bem a todos.

O Padre Reginaldo faz uma reflexão sobre a celebração da morte da Beata Madre Regina “quando nós celebramos a vida ou a morte de um fundador a primeira pergunta que nos vem é: como hoje depois de 400 anos, nós podemos dar segmento ao carisma dessa mulher que inspirada por Deus, no seu tempo deu o sim, e um sim corajoso, uma jovem que aos 16 anos saiu de casa, porque era uma pessoa que queria fazer a vontade de Deus. E celebrar hoje a morte da Beata Madre Regina é também mergulhar nas fontes primeira desse chamado”.

“Como Deus quer”, lema de vida de Madre Regina, inspirou as Irmãs que trabalhavam com ela e todas as gerações futuras, que ajudaram a perpetuar seu trabalho. “A Associação Congregação de Santa Catarina é mais do que uma associação, é uma profissão de fé que começou em 1552, que chegou ao Brasil com quatro Irmãs e um baú e se transformou em 33 entidades assistenciais. Esse é o legado de Madre Regina. E aquilo que as Irmãs começaram é o que nós damos continuidade hoje. Se esse ideal continua vivo, é graças a todos nós que abraçamos essa causa”, disse o Sr. José Luiz Bichuetti, Superintendente da ACSC.

 

Hospital Santa Catarina faz 2º encontro de preparação ao IV centenário da Beata Madre Regina

O segundo dia do encontro de preparação ao IV centenário de Madre Regina, iniciou com a motivação sobre o testamento espiritual deixado por Madre Regina, que o concluiu pouco antes de sua morte, deixando escrito seu desejo a todas suas irmãs da congregação.

O Padre Alexandre reforça, falando da importância do testamento “então, como, Jesus disse que hoje nós teremos a oportunidade de entender o testamento de Madre Regina, é interessante que todas as religiões nós temos um testamento e, é bem simples, se pegarmos todas as religiões existem um testamento Faça ao outro aquilo que gostaria que fosse feito a você mesmo, Jesus tem um único testamento, se agente pega os quatro evangelistas, Jesus vai dizer Ame, esse é o testamento de Jesus. E os santos fizeram seu testamento também, e Madre Regina fez seu testamento que vem do latim testamentu, que significa aliança, e esse é um dos momentos fortes do nosso dia da nossa oração”.

Além disso, é feita a leitura do evangelho (Mt 5,3-11),onde fala que os bem-aventurados que queiram seguir a vontade de Jesus e alcançar a evolução espiritual.

Assim com alguns trechos do testamento de Madre Regina, a Irmã Berenice associa com o evangelho, onde o testamento diz para andar sempre diante de Deus e de todas as pessoas com dignidade, com simplicidade, com profunda humildade, com verdadeira paciência, com perfeita obediência e caridade cristã, no evangelho fala que os pobres em espírito, pois deles é o Reino dos céus, os que choram, pois serão consolados. Essas bem aventuranças, elas praticamente sintetiza, toda a convivência cristã, resumem a mensagem evangélica de Jesus, e Madre Regina fala que amem todos diante de Deus, o testamento termina dizendo: assim o bom Deus vos ajudará em tudo e vos abençoará.

Hospital Santa Catarina faz 1º encontro de preparação ao IV centenário da Beata Madre Regina

Em 2013, no dia 18 de janeiro, é comemorado o jubileu de 400 anos da morte da Beata Madre Regina Protmann. Para celebrar esta data, o Hospital Santa Catarina preparou três dias de comemoração do IV Centenário de Madre Regina, em sua capela, em São Paulo.

Inicialmente, a Irmã Ana Maria contou a história de Madre Regina, uma garota nobre que renunciou seu estilo de vida para auxiliar pessoas necessitadas de sua cidade (Brounsberg- Alemanha, hoje Braniewo atual Polônia). Saiu de casa, para viver em um lugar pobre, se dedicando ao serviço do amor ao próximo. Madre Regina era devota da Igreja Santa Catarina, onde teve inspiração para criar a Congregação das Irmãs de Santa Catarina.

Em seguida, a Irmã Maria José levou ao altar a relíquia com pedaços de ossos de Madre Regina para a veneração dos fieis. A relíquia ficou exposta junto com uma vela, uma imagem de Madre Regina e o barril, que simboliza a partilha do pão e da vida.

Além disso, a Irmã Juliana fez a leitura do Evangelho de São Mateus (Mt 22, 1-14) que aborda o amor pelo próximo. De acordo com Irmã Berenice, é possível associar o evangelho à vida de Madre Regina, explicando a coragem que Madre Regina teve para sair de sua casa e seguir os passos de Santa Catarina e Jesus Cristo, optar por auxiliar pessoas necessitadas de sua cidade, atraindo muitas jovens interessadas em também seguir a vida religiosa.

O padre Alexandre, falou da carta escrita pela Irmã Vera, Madre Geral da Congregação, que mora em Roma. Em sua carta fala do 4º centenário da morte de sua querida, Madre Regina, e a tradicional festa jubilar que é comemorada dia 18 de janeiro.

Carta de Irmã Vera

Circular 05/2012

Grottaferrata, 27 de dezembro de 2012.

Queridos irmãos!

No próximo dia 18, celebramos o 4º centenário da morte de nossa querida Madre Regina. Para nós, Irmãs da Congregação, é um tempo muito especial, “um momento favorável” ( 2 Cor 6,2), uma oportunidade que a graça de Deus nos oferecer e que podemos aceitar ou não.

Celebramos 400 anos de presença do dom que o pai deu ao mundo, através de sua humildade serva, a Beata Madre Regina e das gerações de irmãs que a sucederam, com sincero empenho de responder com fidelidade ao chamado de Deus lhes fez. Como seres humanos e pessoas religiosas, nos alimentamos do simbólico, celebramos os “momentos especiais” da nossa historia, em torno dos quais realizamos ritos que tornam um dia diferente do outro. A festa faz parte da memoria histórica das pessoas e dos povos. Quem não recorda e celebra sua historia acaba perdendo sua identidade.

A festa jubilar, na tradição bíblica, “é uma coisa santa” (Lv 25,12ª), um tempo especial, para recordar o presente que Deus deu e continua dando ao mundo através da B. Madre Regina e da Congregação por ela fundada; é um tempo para reconhecer e agradecer a presença fiel do senhor, ao longo desses 4 séculos de historia; é um tempo para reconhecer que tantas vezes nos desviamos do caminho que ele nos designou, e, humildemente, pedir perdão de nossos pecados e oferecer o perdão aos que nos ofenderam; é um tempo para retribuir aos mais necessitados os dons recebidos e acumulados através dos anos; é um tempo para reavivar e retornar ao primeiro amor.

Quando Madre Regina morreu tinha 61 anos, dos quais, mais de 40 foram vividos na comunidade por ela fundada. O seu primeiro biografo diz que: “Quando Regina percebeu que seu dia estava chegando ao fim, como avistasse de longe o ideal que se havia proposto, com seriedade, empregou todo esforço e atenção, e preparou-se do melhor modo, para chegar ao fim almejado. Sentia fome e sede de ver a Deus seu criador”. Nesta circunstância, consciente de sua missão e guiada pelo Espirito Santo, sintetizou, com tanta sabedoria, num testamento espiritual, a herança que transmitia suas filhas. Nele, ela descreve o perfil que Deus quer de nós, como mulheres consagradas, ao longo dos tempos. Na conclusão de sua biografia o autor testemunha que sua vida foi como um raio d eluz, que iluminou as queridas Irmãs e a todo mundo. Recomenda-nos “louvar e agradecer a grande bondade e a sabedoria de Deus, por ter ornado nesta vida esta sua esposa com tais excelentes e particulares dons e fez com que ela surgisse, ‘naquele tempo’ como uma nova e brilhante estrela”.

Em nosso programa de aprofundamento estamos refletindo sobre o significado da mesa em nossa vida. Certamente nossas mesas estarão muito bem preparadas para a festa jubilar. A parábola do banquete (Mt 22, 11-12) nos apresenta duas categorias de convidados: os que não aceitam o convite por estarem muito ocupados com seus bens e os que padecem de diferentes formas de necessidades. Em que categoria nos encontramos? E, entre os necessitados que aceitaram o convite, um foi expulso porque não trazia a veste nupcial. O que pode significar para nós, nesta festa jubilar, apresentar-se à mesa da eucaristia ou da comunidade com a veste nupcial?

O verdadeiro espírito do Natal

No evangelho de Lucas 2, 1-12, os anjos vêm trazer aos pastores a boa nova de que Jesus havia nascido. Ontem, no dia 25 de dezembro, comemoramos justamente o nascimento de Cristo. No Natal, mais do que papai noel, árvore de natal e uma série de símbolos criados ao longo do tempo, não devemos perder de mente o grande espírito, que é o nascimento do Salvador.

Por isso, nesta data devemos renovar a nossa espiritualidade e agradecer a Deus, que enviou seu filho em nome da Paz e para nosso bem, mesmo sabendo de seu caminho cheio de contradições, perseguição e sofrimento. Um ato de Amor Pela Vida de Deus, que sacrificou seu filho em nome de toda a humanidade.

Lucas 2, 1-12

Naqueles tempos apareceu um decreto de César Augusto, ordenando o recenseamento de toda a terra. Este recenseamento foi feito antes de o governo de Quirino, na Síria. Todos iam alistar-se, cada um na sua cidade. Também José subiu da Galiléia, da cidade de Nazaré, à Judéia, à Cidade de Davi, chamada Belém, porque era da casa e família de Davi, para se alistar com a sua esposa Maria, que estava grávida.

Estando eles ali, completaram-se os dias dela. E deu à luz seu filho primogênito, e, envolvendo-o em faixas, reclinou-o num presépio; porque não havia lugar para eles na hospedaria.

Havia nos arredores uns pastores, que vigiavam e guardavam seu rebanho nos campos durante as vigílias da noite. Um anjo do Senhor apareceu-lhes e a glória do Senhor refulgiu ao redor deles, e tiveram grande temor. O anjo disse-lhes: “Não temais, eis que vos anuncio uma boa nova que será alegria para todo o povo: hoje vos nasceu na cidade de Davi um Salvador, que é o Cristo Senhor”. Isto vos será um sinal: achareis um recém-nascido envolto em faixas e posto numa manjedoura.

 

Hospital São Luiz promove projeto “Contadores de História”

Em parceria com o “Doutores da Alegria”, o Hospital São Luiz, gerido pela ACSC em Cáceres, no Mato Grosso, desenvolveu o projeto “Contadores de História”, que visa levar alegria às crianças e adulto internados nos hospitais ou em escolas.

Colaboradores e pessoas do entorno do hospital atuam de forma voluntária, promovendo a contação de histórias de forma mais alegre. Os integrantes fizeram cursos para se qualificarem. São belas e simples histórias que encantam e alegra os corações jovens e adultos. O projeto, que existe há 5 meses, tem obtido ótimo resultados e boa aceitação tanto meio hospitalar como nas escolas, com vário pedidos de apresentações para este ano e o próximo.

 

MT: Hospital Regional de Cáceres investe em TI

Referência para 22 municípios do oeste mato-grossense e parte da Bolívia, o Hospital Regional de Cáceres atinge cerca de 300 mil pessoas, registrando, em média, mil atendimentos de urgência mensais. Também são realizadas aproximadamente 500 cirurgias e mil consultas ambulatoriais por mês. Toda essa demanda de trabalho passará a contar com o apoio da tecnologia. Com o objetivo de ter as informações de todos os setores integradas, está sendo implantada na instituição a solução SOUL MV, da fornecedora de sistemas de gestão de saúde MV, que permite otimizar os processos, evitando desperdícios e retrabalhos.

O processo de implantação está na fase inicial, mas estão previstos cerca de 150 estações de trabalhos. “Meu primeiro contato com o sistema MV foi em 1991, na Santa Casa de Campo Grande. Conhecemos as ferramentas e estamos bastante confiantes nos benefícios que trará para a instituição que nunca usufruiu das vantagens de utilizar um sistema de gestão”, conta o diretor geral do Hospital, Idelvan Macedo.

A MV é fornecedora de sistema de saúde da Associação Congregação de Santa Catarina, sendo responsável pela tecnologia utilizada nas 17 unidades que a instituição administra. O processo facilita a rotina dos administradores hospitalares, disponibilizando indicadores administrativo-financeiros e clínico-assistenciais para a melhor gestão dos recursos.

Santa Catarina de Alexandria: Saiba um pouco mais sobre sua vida

Em comemoração ao Dia de Santa Catarina de Alexandria, celebrado em 25 de novembro, a Associação Congregação de Santa Catarina (ACSC) preprarou um vídeo especial gravado com o Padre Alexandre, Capelão do Hospital Santa Catarina, contando um pouco sobre a história desta Santa, que inspirou Madre Regina Protmann a criar a Congregação das Irmãs de Santa Catarina.

Abaixo, assista ao vídeo e conheça um pouco mais sobre a história de nossa padroeira.

Confira a participação da ACSC no Programa da Família, da Rádio 9 de Julho

Desde fevereiro, a Associação Congregação de Santa Catarina (ACSC) apóia o Programa da Família, da Rádio 9 de Julho.

O programa vai ao ar aos sábados, às 14h na AM 1600 Khz, e trás semanalmente entrevistas com algumas das casas gerenciadas pela ACSC.

Abaixo, confira as edições que já foram ao ar:

Programa da Família edição 71 (11/02/2012) – Irmã Lia Gregorine

Programa da Família edição 72 (18/02/2012) – Lar Madre Regina

Programa da Família edição 73 (25/02/2012) – Creche Sagrada Família

Programa da Família edição 74 (03/03/2012) – NESC

Programa da Família edição 75 (10/03/2012) – AME Jardim dos Prados

Programa da Família edição 75 (10/03/2012) – Dr. Nahor Pedroso / Amparo Maternal

Programa da Família edição 76 (17/03/2012) – OS-Santa Catarina

Programa da Família edição 78 (31/03/2012) – Casa da Criança de Vila Mariana

Programa da Família edição 79 (07/04/2012) – CRI Norte

Programa da Família edição 80 (14/04/2012) – Serviço Estadual de Diagnósticos por Imagem (SEDI I)

Programa da Família edição 80 (14/04/2012) – Dr. Éder Viana / Amparo Maternal

Programa da Família edição 81 (21/04/2012) – CEAC – Centro de Análises Clínicas Zona Sul

Programa da Família edição 82 (28/04/2012) – PAI ZN

Programa da Família edição 83 (05/05/2012) – Residencial Santa Catarina

Programa da Família edição 84 (12/05/2012) – Amparo Maternal

Programa da Família edição 85 (19/05/2012) – Amparo Maternal – Centro de Acolhida

Programa da Família edição 85 (19/05/2012) – Amparo Maternal – Testemunho do ouvinte

Programa da Família edição 86 (26/05/2012) – Colégio Santa Catarina

Programa da Família edição 88 (09/06/2012) – Hospital de Clínicas Nossa Senhora da Conceição (RJ)

Programa da Família edição 90 (23/06/2012) – Hospital Santa Catarina (SP)

Programa da Família edição 91 (30/06/2012) – Casa de Saúde São José (RJ)

Programa da Família edição 92 (14/07/2012) – Colégio e Obra Social de Santa Catarina em Juiz de Fora

Programa da Família edição 93 (21/07/2012) – Hospital Regional de Cácares

Programa da Família edição 94 (28/07/2012) – Centro de Convivência e Creche Madre Regina

Programa da Família edição 95 (04/08/2012) – Colégio e Creche Santa Catarina de Petrópolis

Programa da Família edição 96 (11/08/2012) – Colégio Santa Catarina – Santa Teresa, ES

Programa da Família edição 97 (18/08/2012) – Hospital Central Estadual de Vitória – ES

Programa da Família edição 98 (10/11/2012) – Hospital São Luiz de Cáceres

Inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho

As empresas com mais de 100 empregados são obrigadas por lei a contratar pessoas com deficiência. Elas têm que cumprir uma cota de contratação de deficientes que varia de 2% a 5% do número total de funcionários. Este foi o mecanismo encontrado para garantir a inclusão deste perfil de profissional no mercado de trabalho, que é altamente competitivo.

Mais do que uma cota, o Hospital Santa Teresa, gerido pela ACSC, acredita que é preciso ofertar oportunidade de trabalho de forma igualitária, tanto para pessoas com, como sem deficiência. As pessoas devem ser contratadas pela sua capacidade de exercer função, a qual se candidatou e não pela sua condição física. O Hospital precisaria ter 29 funcionários com deficiência, mas contratou 43.

O RJ TV, da Rede Globo, fez uma matéria especial sobre o Dia Nacional de Luta das Pessoas Deficientes onde aborda o assunto.

ACSC faz missa para celebrar 90 anos

No último mês de setembro, a Associação Congregação de Santa Catarina celebrou 90 anos de existência. Para encerrar as comemorações, a entidade organizou uma missa na Capela do Hospital Santa Catarina, em São Paulo, no dia 27 de setembro às 12h, aberta para todos (colaboradores e comunidade).

A celebração teve início com a leitura da 1ª Carta de São Paulo aos Coríntios (I Cor 12, 4-11), pelo superintendente da ACSC José Luiz Bichuetti, que aborda a questão da diversidade. “Há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo. Há diversidade de ministérios, mas o Senhor é o mesmo. Há diferentes atividades, mas é o mesmo Deus que realiza tudo em todos”, diz o primeiro trecho da leitura.

Além disso, o Padre Alexandre fez a leitura do Evangelho de São Mateus (Mt, 7, 24-28), que aborda a postura do homem prudente, que constrói sua casa sobre a rocha.

Para o ecumênico, nestas duas leituras da palavra de Deus é possível encontrar 2 etapas da história da Associação Congregação de Santa Catarina. A rocha, sobre a qual a Associação Congregação de Santa Catarina foi edificada, foi colocada no século 16, pela bem aventurada Madre Regina, tendo como alicerce a sua fé no próprio Jesus Cristo. Mas o Padre lembra que Madre Regina não conseguiria dar continuidade a sua vocação sozinha e é neste momento em que relembra a 1ª leitura, de que há variedade de dons e pessoas, mas um só é o amor que nos aquece e nos anima: o amor a Deus.

Portanto, todos os colaboradores que participam da continuidade da história da Associação Congregação de Santa Catarina, com seus dons e carismas distintos, são perpetuadores do amor pela vida, colocando em prática aquilo que o próprio Mestre nos revelou: “Eu vim para que todos tenham vida e a tenham em plenitude”!

Trabalhando a Espiritualidade

Viver a espiritualidade no ambiente de trabalho nem sempre é possível para as organizações. Mas o Colégio Santa Catarina de Juiz de Fora, Minas Gerais, encontrou uma forma de trabalhar a espiritualidade junto aos colaboradores.

Em agosto, cerca de 90 colaboradores da instituição se reuniram no Seminário Floresta para mais um Encontro de Espiritualidade. Neste ano, a temática teve como inspiração a parábola do Bom Samaritano e como desafio revisitar o movimento espiritual de Madre Regina que percebeu nos pobres a face do Cristo.

Foram três dias de uma experiência rica em criatividade, onde a pergunta do Criador foi nos conduzindo: Onde está o teu irmão? E a cada momento, o desejo renovado de seguir os passos trilhados pelas irmãs de Santa Catarina, “o Amor do nosso Deus mantém a casa aberta: acolhe os sofredores, procura em hora certa os pobres que não têm nem casa nem abrigo e a nós nos recomenda: escutem o que eu digo! É tarde, já escurece e o povo está cansado. Repartam-lhes o pão!”

A todos que participaram, o Colégio agradece pelos momentos vividos e faz a prece generosa ao Senhor da messe que cultive em todos os colaboradores a Graça de concretizar o que foi meditado.

Para refletir: “NOS POBRES, O ROSTO DE CRISTO; EM NÓS, A FACE DA IGREJA”.