ACSC assume a gestão de hospitais catarinenses

A Associação Congregação de Santa Catarina (ACSC) iniciou em 1º de abril uma parceria com a Sociedade Divina Providência (SDP).  Com o acordo, a ACSC assume a gestão de três novos hospitais na região Sul do País: Hospital Nossa Senhora da Conceição, em Tubarão/SC, Hospital Santa Isabel, em Blumenau/SC e o Hospital São José e Maternidade Chiquinha Gallotti, em Tijucas/SC.

No mesmo dia, foi realizada uma cerimônia conjunta de integração entre as duas instituições, na qual foram reforçadas as missões cristãs e humanitárias iniciadas pelos fundadores Madre Regina Protmann (da Congregação das Irmãs de Santa Catarina, V.M.) e Padre Eduardo Michelis (da Congregação das Irmãs da Divina Providência), fazendo memória ao que a Igreja pede com relação a unir forças, agir em conjunto e zelar pela continuidade dos valores e princípios que os fundadores legaram.

Durante a cerimônia, a Irmã Maria Elisa De Brida, da Sociedade Divina Providência, mencionou o documento do Papa João Paulo II, Vita Consecrata, no qual o pontífice dá o seguinte recado a todas as Congregações de Vida Consagrada: “Vós não tendes apenas uma história gloriosa para recordar e narrar, mas uma grande história a construir! Olhai para o futuro, para o qual vos projeta o Espírito, a fim de realizar convosco ainda coisas maiores”. Foi com base nesta orientação recebida da Igreja que a Congregação das Irmãs da Divina Providência foi em busca de ajuda para perpetuar sua história. Já Irmã Lia Gregorine, da ACSC, reforçou: “Eu vim para servir” (Mc 10,45)…Esse chamado nos desafia a estarmos atentos e compreendermos o tempo de Deus na história de vida das Irmãs da Divina Providência e das Irmãs de Santa Catarina, no caminhar juntas para que as Casas, Hospital Nossa Senhora da Conceição, Hospital Santa Isabel e Hospital São José e Maternidade Chiquinha Gallotti, possam continuar na missão do cuidar.”

A celebração de acolhida foi realizada simultaneamente nos três hospitais, na Província do Coração de Jesus (Irmãs da Divina Providência), em Florianópolis, na Província Madre Regina, em Petrópolis, na capela do Hospital Santa Catarina, em São Paulo, assim como todas as Casas da ACSC multiplicaram a oração até o dia 17 de abril.

Com a incorporação dos três novos hospitais, a ACSC passa a ter presença em oito Estados brasileiros, com um quadro de 17 mil colaboradores e 15 milhões de atendimento ao ano. Além disso, torna-se responsável pela administração de uma rede de 34 Casas, sendo 21 na área da Saúde, 10 na área de Educação e 3 Casas de Assistência Social. As instituições formaram uma equipe de transição com o objetivo de possibilitar uma transferência de gestão de forma fluída e eficaz. Pela ACSC, essa equipe é dirigida por Antônio Azevedo, Diretor Corporativo de Filantropia, apoiado por Rosimara Silva, Diretora Corporativa de Organização Social de Saúde, com a participação de profissionais de todas as áreas corporativas.

Para a ACSC, a principal premissa da nova gestão é dar continuidade ao trabalho de alta relevância já prestado por estes hospitais às comunidades onde eles estão instalados, contribuindo para que a população dessas regiões permaneça tendo acesso a serviços de saúde de alta qualidade.

Conheça um pouco mais sobre cada nova Casa:

O Hospital Nossa Senhora da Conceição, localizado em Tubarão/SC, tem 110 anos de existência e é tido hoje como hospital de referência no sul de Santa Catarina. Com mais de 400 leitos, atende pessoas vindas de diversas regiões do Estado em busca de atendimentos especializados e cirurgias. Alguns dos serviços oferecidos por esse hospital, que atende em média 73% de pacientes do SUS, são: tratamentos oncológicos; agência transfusional; centro de diagnóstico de última geração, com hemodinâmica, ressonância e tomografia computadorizada; ambulatório de alta complexidade; UTI neonatal e pediátrica. O HNSC é um Hospital de Ensino, que serve de campo de estágio para todos os cursos da área da saúde da Unisul e SENAC da Região Sul. Artur José Hummel é o executivo responsável pela gestão deste hospital.

O Hospital Santa Isabel possui 105 anos de existência e se caracteriza pela liderança nos serviços de alta complexidade em Santa Catarina, tais como: urgência/emergência, cirurgias de alta complexidade em neurologia, cardiologia, cirurgia geral, vascular e transplantes. Pioneirismo, infraestrutura, atendimento humanizado e competência da equipe hospitalar são marcas dos serviços nele desenvolvidos, com uma média de 15 mil internações por ano e um Serviço de Emergência que atende toda a Região do Médio Vale do Itajaí. O trabalho multidisciplinar das equipes permite uma atenção especial a todos os aspectos da saúde do paciente, para proporcionar uma recuperação rápida e completa. Juliano Petters é o diretor responsável pelo Hospital Santa Isabel.

O Hospital São José e Maternidade Chiquinha Gallotti, com 73 anos de existência, atende os nove municípios do Vale de Tijucas nas quatro especialidades básicas, mais ortopedia e psiquiatria. Conta com 69 leitos. Está passando por uma fase de melhorias e implantação do centro de diagnóstico e tratamento. O executivo responsável pela gestão da Casa é Vagner Vicheli dos Anjos.

HEC supera dois mil atendimentos em AVC

A Unidade de AVC do Hospital Estadual Central, em Vitória/ES, ultrapassou a marca de dois mil atendimentos, uma média de 58 por mês nos quase três anos de funcionamento do serviço. Referência no acolhimento de vítimas de acidente vascular cerebral (doença popularmente conhecida como derrame) na rede estadual de saúde, o Hospital conseguiu, nesse período, um grande avanço na investigação para determinar as causas do AVC em seus pacientes.

Uma dos coordenadoras da Unidade de AVC do HEC, a neurologista Rubia Rasseli Sfalsini, afirma que todos os pacientes, hoje, deixam o hospital com a causa do AVC definida. Ela explica que isso é importante porque, a partir do momento que se define a causa da doença, é possível adotar medidas de prevenção secundária, ou seja, aquela que pode evitar a ocorrência de outro derrame.

“Realizamos a prevenção com uso de medicamentos e, associado a isso, conseguimos fazer um bom controle dos fatores de risco, como hipertensão arterial, diabetes e dislipidemia (aumento do nível de colesterol e de triglicerídeos no sangue), e também orientar o paciente quanto aos riscos do tabagismo, do consumo de bebida alcoólica e do sedentarismo”, detalha a médica.

“Nem todo paciente chega com AVC, mas são diabéticos, hipertensos ou apresentam outras doenças que podem levar ao acidente vascular cerebral. Em casos selecionados, fazemos o tratamento e realizamos a prevenção primária visando evitar que o paciente venha a ter um AVC”, explica.

AME Itapevi inicia especialidade de Pré-natal de alto risco

A gestação é um fenômeno fisiológico e deve ser vista pelas gestantes e equipes de saúde como parte de uma experiência de vida saudável, envolvendo mudanças dinâmicas do ponto de vista físico, social e emocional. Entretanto, trata-se de uma situação que pode implicar em riscos tanto para a mãe quanto para o feto. Há um determinado número de gestantes que, por características particulares, apresentam maior probabilidade de evolução desfavorável – são as chamadas “Gestantes de Alto Risco”.

Com intuito de atender este público, o AME Itapevi iniciou em março a especialidade de pré-natal de alto risco, a fim de realizar o acompanhamento das gestantes nas consultas médicas durante a gravidez para a avaliação de toda gestação, além de realizar os diversos exames.

O AME Itapevi conta com equipamentos de alta tecnologia, como: Detector fetal (para verificação das batidas do coração do feto), Amnioscópio (para verificação da cor do líquido amniótico da placenta da gestante) e Carditocógrafo (onde registra as contrações uterinas e avalia o bem star do feto).

No primeiro mês de atendimento, foram disponibilizadas 108 vagas para a nova especialidade e foram atendidas 32 gestantes pelo profissional da unidade, Dr. Fábio Spagnuolo.

HST lança projeto saudável em Petrópolis

O Hospital Santa Teresa é o idealizador do projeto Viva Mais Saúde Petrópolis, que busca incentivar hábitos de vida mais saudáveis por meio da atividade física e contribuir para a valorização da utilização dos espaços públicos de lazer.

A iniciativa proporciona a inclusão social favorecendo a melhoria das condições de saúde e qualidade de vida para todos os petropolitanos que participam do projeto. Os treinos acontecem todos os domingos em dois locais simultaneamente: Polo 1, no Parque Municipal de Petrópolis, em Itaipava, e Polo 2, na Casa da Educação Visconde de Mauá, no Centro, sempre às 9h.

Para participar é preciso se cadastrar no site e, após a validação do cadastro, o participante receberá uma camiseta e poderá usufruir da estrutura oferecida nos polos de treinamento – guarda-volumes e hidratação, bem como da orientação gratuita de profissionais de Educação Física.

 

Caminhada Contours 2015 beneficia Amparo Maternal

A rede de academia feminina Contours comemorou o mês das mães com a ação beneficente Caminhada Contours 2015, em prol do Amparo Maternal. O evento aconteceu no dia 23 de maio em parques dos estados do Amazonas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Pernambuco, Paraná, Rondônia, Rio Grande do Sul, São Paulo e Tocantins, e destinou 30% do valor de cada camiseta ao Amparo Maternal, Casa da ACSC com atuação nas áreas da saúde, com uma Maternidade 100% SUS, e assistência social, por meio do Centro de Acolhida, um abrigo provisório para mães, gestantes e bebês em vulnerabilidade e risco social.

“Escolhemos o Amparo Maternal pelo trabalho idôneo que fazem junto às gestantes, proporcionando a elas um atendimento digno e seguro. Por prestar serviço a um público feminino, a Contours se identificou com a organização desde o primeiro contato”, afirmou o Coordenador de Marketing da rede, Luciano Gavazzi.

A caminhada reuniu alunas e pessoas engajadas com a causa do bem para uma caminhada de, no mínimo, 30 minutos. “Nós, do Amparo Maternal, marcamos presença nessa ação, que ressalta a importância de se fazer filantropia e cuidar da saúde. Com certeza, a Contours e todos os participantes contribuíram com o desenvolvimento de nossos projetos”, completou Marcelle Machado, Analista de Comunicação do Amparo Maternal.

Hospital Santa Catarina inaugura UTI multidisciplinar

Com o objetivo de conciliar os avanços tecnológicos com a excelência na qualidade dos serviços, sempre aliados à segurança e ao atendimento humanizado, o Hospital Santa Catarina inaugurou em abril a Unidade de Terapia Intensiva voltada para o atendimento multidisciplinar.

A implantação do espaço é parte do projeto de expansão do hospital que, dividido em duas fases, conta com um total de R$ 12 milhões investidos. Os médicos Antônio Luis Eiras Falcão e Domingo Vicente Lopez são os coordenadores da nova UTI. “O hospital está se adequando à nova realidade brasileira”, explica Dr. Falcão. “Com o envelhecimento da população, precisamos nos preparar para melhorar ainda mais o atendimento dos pacientes críticos”, completa Dr. Lopez.

A nova área tem dez leitos e conta com infraestrutura completa, farmácia exclusiva, corpo clínico com 100% dos profissionais especializados em terapia intensiva e equipe multidisciplinar formada por enfermeiros, fonoaudiólogos, fisioterapeutas, nutricionista e psicólogo.

Com infraestrutura moderna, equipamentos de última geração e profissionais altamente qualificados, o Hospital Santa Catarina dispõe de 148 leitos de internação, 73 leitos de UTI, 16 salas de cirurgia, 4 Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs neurológica, cardiológica, pediátrica e geral) e pronto-atendimento 24 horas.

Alunos do CSC/GO realizam plantio de árvores

Em abril, os alunos do 6º ano do Fundamental do Colégio Santa Catarina de Petrolina de Goiás participaram do Projeto Sustentabilidade por meio do plantio de mudas de espécies nativas e frutíferas.

Durante a atividade, os alunos receberam informações importantes sobre sustentabilidade e recuperação do solo. De uma forma divertida, os alunos absorveram o conteúdo e ajudaram a natureza. Logo depois do plantio assistiram a uma palestra sobre o solo: os tipos, a flora, fauna, entre outros temas.

Educadoras do CSC/JF incentivam alunos com contação de histórias e músicas

Criado há sete anos pela equipe pedagógica do Colégio Santa Catarina de Juiz de Fora, o projeto “Desenvolvendo o hábito de estudo” tem ajudado muitas crianças do Ensino Fundamental I a melhorar o desempenho escolar, a capacidade de interpretação e o nível de argumentação. O “Bom no estudo, bom em tudo”, como é chamado, é um projeto permanente do colégio com o objetivo de ajudar os alunos a construir hábitos saudáveis, inclusive o hábito de estudo. Quando foi implantado, era voltado apenas para o 5º ano, visando à transição de segmento e de turno de aula. Porém, há dois anos, o trabalho foi ampliado para todas as séries do Ensino Fundamental I. E mudou também a forma de aplicação do projeto.

Desde o ano passado, as educadoras responsáveis trabalham com uma metodologia que as aproximou mais das crianças: falar do hábito de estudo por meio de histórias e de símbolos conhecidos dos estudantes. “As histórias variam de acordo com a idade”, conta a psicóloga Anna Paula Gomes da Silva. A ideia, segundo Anna, é motivar as crianças que, por meio da própria história contada, passam a criar expectativas em cima da narrativa. “Com as historinhas, elas são capazes de relatar sobre os personagens, dizer com quem se identificaram e, ao final dessa interpretação, conseguem estabelecer uma relação com o hábito de estudo. Tem criança que, por conta da história, faz essa associação muito rápido, justamente porque consegue vivenciar a história”, afirma.

A equipe tem quatro encontros com cada turma ao longo do ano, um por bimestre. No restante do tempo, são as professoras que conduzem o processo, tendo elas uma participação fundamental. Os resultados são rapidamente percebidos. “As crianças levam a sério o que é proposto. Há uma diminuição do número de reclamações das professoras quanto ao cumprimento de tarefas, as crianças têm maior compromisso, elas se veem mais responsáveis pelos resultados delas”, garante a coordenadora de série Maria Aparecida Grossi.

Escola Santa Catarina comemora o Dia Nacional do Livro Infantil

Os livros nada mais são do que portas abertas ao conhecimento. Para despertar nas crianças a criatividade, a curiosidade, os sonhos e o prazer pela leitura, no final do mês de março os alunos do 5º ano do Ensino Fundamental I transformaram o recreio da Escola Santa Catarina no mundo do “Era uma vez”, onde tudo pode acontecer… Entre mágicos, palhaços engraçados e personagens do Sítio do Pica Pau Amarelo, eles arrancaram gargalhadas dos colegas e encantaram todos os presentes com a apresentação de teatro infantil.

Para dar continuidade ao projeto, prestigiando o Dia Nacional do Livro Infantil, durante todo o mês de abril foram realizadas oficinas – de dobraduras, show de calouros, arte e contação de histórias – com os alunos de 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental I, no horário do recreio. Com a ajuda das irmãs, professores, colaboradores e dos próprios alunos, todos foram envolvidos no universo mágico dos livros. O momento mais esperado por todos foi o teatrinho de encerramento – “A cigarra, a Formiga e a tal da Joaninha numa Aventura Congelante” -, uma envolvente história que encantou e despertou o que há de mais belo no mundo mágico das histórias infantis.

Educação Financeira: disciplina resulta em projeto solidário e ajuda famílias carentes no CSC/JF

Desde 2013, o Colégio Santa Catarina de Juiz de Fora adota a Educação Financeira como disciplina ministrada uma vez por semana a todos os alunos do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental II. O objetivo é formar novas gerações de cidadãos educados e equilibrados financeiramente, face ao desenfreado consumismo da sociedade contemporânea.

Durante as aulas, os adolescentes têm a oportunidade de refletir sobre a sua relação com o dinheiro e como poderão construí-la de maneira eficaz para estruturar o seu futuro. No primeiro semestre do ano passado, a professora Kely Zampier trabalhou o conceito de “cesta básica” com os estudantes da 8ª série. “Eu fiz uma apresentação para os meninos com um histórico da cesta básica. Assim, eles aprenderam quando e por que ela surgiu, como é calculado seu preço, os itens que a compõem e as relações entre cesta básica e salário mínimo”.

A partir desse pontapé inicial, a professora pediu aos alunos que fizessem pesquisas sobre as variações da cesta básica em Juiz de Fora e em todo o país. O envolvimento dos estudantes com o trabalho foi tão surpreendente, que surgiu a ideia de realizar um gesto concreto, unindo o aprendizado em sala de aula com sua aplicação prática. Assim, nasceu o projeto “Alimentando uma família”, em que os jovens arrecadaram alimentos e montaram 25 cestas básicas para serem doadas a famílias em vulnerabilidade e risco social. O trabalho proporcionou aos alunos a oportunidade de trabalhar em grupo, aprender a respeitar as diferenças e a solidarizar-se com seu semelhante. As doações foram entregues ao Ambulatório Nossa Senhora da Glória – administrado pelo colégio – e distribuídas às famílias cadastradas.

Como o gesto solidário deu certo, a professora de Matemática II, Rosângela Santos, resolveu desenvolver o mesmo projeto na 7ª série, tendo sido arrecadadas doações suficientes para alimentar mais 25 famílias carentes. Para este ano, já está no planejamento das professoras repetir a iniciativa, inclusive, a pedido dos próprios estudantes. “A educação financeira é uma necessidade da população, já que a sociedade atual incentiva cada vez mais o consumo. Cai por terra aquele ideia de que para se educar, é necessário saber mexer em planilhas e fazer cálculos. A chave da questão é a conscientização, acompanhada de mudança de hábitos e comportamentos”, garante Rosângela.

Lar Madre Regina recebe a Pet Terapia

No final de março, os residentes do Lar Madre Regina receberam a visita do Instituto MAPAA para mais uma sessão da Terapia Assistida por Animais – Pet Terapia – para trabalhar o bem-estar e crescimento por meio da interação homem-animal.

A terapia ocorre quinzenalmente e é uma inovação no atendimento de reabilitação física e saúde mental. No mesmo dia, os residentes foram presenteados com uma bolsa do Instituto MAPAA que também fez muito sucesso entre eles.

NESC realiza a II Caminhada Sustentável: “Cada Gota Conta”

O Núcleo Educacional Santa Catarina – NESC realizou a II Caminhada Sustentável no final de março. Aberto à participação da comunidade, a iniciativa chamou a atenção dos participantes para temas ambientais importantes, como o uso consciente da água.

O evento contou com o apoio da subprefeitura de Pirituba/Jaraguá, CET, SPTrans e Guarda Civil Metropolitana, além da Sabesp, que disponibilizou folhetos e informativos sobre o consumo consciente.

As crianças que participaram da II Caminhada receberam o livro “Juca brasileiro: a água e a vida”, doado pela fundação D´Paschoal.

MUSA monta exposição sobre A Saúde no Brasil Colonial no Museu Emílio Ribas

O Museu da Saúde (MUSA), iniciativa do Instituto Nacional de Desenvolvimento Social e Humano (INDSH) e de parceiros como a ACSC, tem o objetivo de preservar a memória do setor e está promovendo de 7 de abril a 25 de junho, a exposição ‘A Saúde no Brasil Colonial’, no Museu Emílio Ribas, em São Paulo. A mostra é baseada no livro A Saúde no Brasil, da historiadora Sônia Maria de Freitas, patrocinado pelo INDSH e lançado no ano passado durante a Feira+Fórum Hospitalar 2014.

A exposição foi dividida em cinco módulos, com 28 painéis no total. As práticas da saúde são tratadas do ponto de vista institucional e pelo modo como são praticadas pela sociedade por meio de textos e imagens. “As pesquisas sobre a história da saúde no Brasil são escassas”, explica a museóloga Cecília Machado, curadora da exposição e consultora do MUSA. “Esta exposição concretiza mais esse importante mapeamento”, diz.

A gerente de Projetos do INDSH e coordenadora do MUSA, Márcia Mariani, antecipa que o objetivo é levar a exposição para outras cidades brasileiras. “Nosso propósito é expandir o MUSA para que ele seja um verdadeiro catalizador da memória da Saúde brasileira e de valorização de seus pioneiros e grandes personalidades”, afirma Márcia.

A parceria entre o MUSA e o Museu de Saúde Pública Emílio Ribas, vinculado ao Instituto Butantã e ao governo do Estado de São Paulo, na viabilização desta exposição é importante na medida em que reúne esforços conjuntos para a valorização e a divulgação da história da saúde no Brasil. O Museu Emílio Ribas, cujo nome homenageia o grande médico sanitarista brasileiro,  foi criado em 1965, instalado no edifício construído em 1893 e onde funcionou um dos primeiros equipamentos de Saúde Pública do Estado – o Desinfectório Central de São Paulo.

A entrada é gratuita, está aberta de terça a quinta, das 10h às 16h. Visitas de grupos de escolas e empresas devem ser agendadas pelo telefone (11) 2627-3880 ou pelo e-mail museuer.ib@butantan.gov.br.

ACSC encerra sua participação na Reatech com sucesso

A ACSC participou pelo terceiro ano consecutivo da Reatech – Feira Internacional de Tecnologias em Reabilitação, Inclusão e Acessibilidade, o maior evento do País neste segmento. Realizada no São Paulo EXPO (Centro de Exposições Imigrantes), entre os dias 9 e 12 de abril, a Reatech recebeu um público de 52 mil visitantes. Mais de 1.500 pessoas passaram pelo estande da ACSC durante o evento.

Ao longo dos quatro dias da feira, uma equipe de colaboradores voluntários da Administração Corporativa e de algumas Casas apresentou aos visitantes o trabalho realizado pela ACSC nas áreas de Saúde, Educação e Assistência Social, além do Vida Plena, programa da ACSC voltado à inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho. Atualmente, cerca de 450 profissionais com deficiência trabalham nas unidades da Associação espalhadas pelo Brasil.

Nesta edição da Reatech, a ACSC esteve presente com um estande maior, de 16m², com bancada em altura adaptada a cadeirantes para preenchimento de fichas. No estande foi exibido um vídeo gravado especialmente para a feira, com depoimentos de pessoas com deficiência que integram o quadro de profissionais de diversas Casas da ACSC.

Os visitantes do estande da ACSC também se divertiram com a experiência proposta pela Caixa Sensorial, uma atividade lúdica que desafiava os participantes a descobrir, só a partir do tato, os objetos escondidos em uma caixa com três compartimentos, onde havia conteúdos de diferentes texturas. A brincadeira gerou uma verdadeira sensação entre os visitantes!

A ACSC promoveu ainda no evento o concurso cultural “O que é ter uma Vida Plena no trabalho para você?”, que premiará as melhores respostas para esta pergunta com um tablet (1º lugar) e um Kit Experiência (para os 2º e 3º lugares), com o qual se pode ter acesso a experiências diversas, como esportes radicais, tratamentos de beleza e relaxamento, entretenimento, vouchers para SPAs e restaurantes, entre outros.  O resultado será divulgado em maio de 2015.

Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos

“Dá-nos um pouco da tua água”. Esse é o tema escolhido para a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos (SOUC) deste ano, que foi comemorada entre 17 e 24 de maio. Celebrada anualmente por igrejas de todo o mundo, a Semana é promovida pelo Conselho Pontífice para Unidade dos Cristãos (CPUC) e pelo Conselho Mundial de Igrejas (CMI), sendo celebrada no mês de janeiro no hemisfério Norte e próximo à festividade de Pentecostes no hemisfério Sul.

A Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos é um momento privilegiado para oração, encontro e diálogo, uma oportunidade para reconhecer a riqueza e o valor que estão presentes no outro, no diferente, e para pedir a Deus o dom da unidade. O tema escolhido para este ano é um trecho do Evangelho de João: “Dá-nos um pouco da tua água”. O encontro entre Jesus e a mulher samaritana é um convite para experimentar água de um poço diferente e também a oferecer um pouco de sua própria água, um símbolo de amor que tem o poder de diminuir as barreiras baseadas na religião, etnia ou cultura.

No Brasil, o CONIC – Conselho Nacional de Igrejas Cristãs lidera e coordena as celebrações da semana de oração em diversas regiões do país. Uma visão de unidade cristã acompanhada por respeito pela diversidade inspirou o processo de elaboração dos materiais que subsidiam as reflexões deste ano. Formado por representantes de igrejas e organismos ecumênicos, o grupo responsável ressaltou o valor da unidade cristã numa época em que a intolerância religiosa cresce ao redor do mundo.

A ACSC celebra a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos por reconhecer a importância de orar e trabalhar pela unidade, criando momentos de vivência e de partilha, a partir dos valores fundamentais do Evangelho.

Para saber mais: O CONIC foi fundado em 1982 e, atualmente, tem como membros a Igreja Católica Romana, a Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB), a Igreja Episcopal Anglicana do Brasil (IEAB), a Igreja Presbiteriana Unida (IPU) e a Igreja Sirian Ortodoxa de Antioquia (ISOA). Os objetivos do CONIC estão ligados à promoção e estímulo das relações ecumênicas entre Igrejas cristãs e ao fortalecimento do testemunho comum delas em favor dos Direitos Humanos. Mais informações em www.conic.com.br.

Educadora alia arte e ensino tradicional

Em Juiz de Fora, os alunos de Marcela Suerus sentem-se privilegiados. Professora de língua portuguesa e literatura infantil, ela dá aulas no Colégio Santa Catarina há 29 anos. A professora leva para a sala de aula os benefícios da arte, unindo o dinamismo das crianças ao universo encantado da literatura, da arte, do teatro e dos fantoches. Participou de cursos de contação de histórias e de produção de bonecos, inclusive em um famoso grupo de São João Del Rey. Desde então produz seus próprios fantoches, adotados em aulas.

Sedenta por desafios, vislumbrou na biblioteca do Colégio Santa Catarina, há 12 anos, novas possibilidades que vão além da leitura. Escreveu um projeto para a direção propondo trabalhar com contação de histórias, estimulando nas crianças, de forma lúdica, o gosto pela leitura. “A ideia foi aprovada e eu comecei a dar aulas para as turmas do primeiro ano do Ensino Fundamental”, relata Marcela.

Deu tão certo que no ano seguinte Marcela passou a adotar o projeto com as turmas do 2º ao 5º ano do Ensino Fundamental e até hoje está em vigor. Toda a decoração da biblioteca, cenários, figurinos, fantoches usados nos teatrinhos são confeccionados por Marcela com material reciclável.

Os benefícios são visíveis: os alunos participam das apresentações de teatro, se envolvem, vencem a timidez, melhoram a autoestima, a interpretação de texto. “Eles aprendem brincando. As atividades despertam a parte sensorial, a criatividade, a expressão corporal. É fundamental oferecer momentos que resgatem a imaginação, a fantasia e o lado lúdico”, finaliza Marcela.