10 anos de CRI Norte: homenagens e emoção nas comemorações

O CRI Norte celebrou em fevereiro dez anos de atendimento ambulatorial especializado ao idoso no Sistema Único de Saúde (SUS). Para celebrar essa data, foram realizadas diversas atividades voltadas aos colaboradores, voluntários e idosos que fazem parte da história da Casa.

No dia 24 de fevereiro foi celebrada uma missa pelos Arautos do Evangelho com participação especial dos corais Anos Dourados e Primavera do CRI Norte. Ao término da celebração foi realizada uma cerimônia com homenagens proferidas pelo Diretor Executivo, Dr. Carlos André Uehara, para as pessoas que foram fundamentais para a implantação do CRI Norte. No início das homenagens, o diretor fez um emocionado discurso relembrando sua trajetória ao longo desses dez anos. Confira abaixo na íntegra:

“Gostaria de começar agradecendo a Deus, Madre Regina Protmann e Santa Catarina. Agradecer a presença de todos vocês, colaboradores, voluntários, colegas de outros serviços e amigos. Agradecer também a confiança e apoio da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, na pessoa do Dr. Eduardo Ribeiro Adriano e da Associação Congregação de Santa Catarina, na pessoa da Irmã Nilza, e a presença do Sr. Henrique Rubens Jerozolimski, presidente do Conselho Estadual do Idoso e do Prof. Dr. José da Silva Guedes, ex-secretário de Saúde do Estado de São Paulo, da Irmã Adriana e da Dra. Camila Sardemberg, presentes nesse evento.

A inauguração do CRI Norte foi um passo importante na assistência ao idoso daqui da região. O CRI foi fruto da mobilização e anseios de um grupo de idosos que se organizaram: os “Cabeças Brancas”, liderados pela Sra. Edwirges Trigo Rachid, a Didi. Em 2002, esse grupo começou a se organizar no Centro de Convivência, que foi uma “célula inicial” do CRI Norte.

Os valores da ACSC são: tradição, humanização, credibilidade, respeito e dignidade e empreendedorismo. Respeitando estes valores, as irmãs de Santa Catarina aceitaram o desafio e apresentaram uma proposta de gerenciamento vencedora no ano de 2005. Até então, só existia um serviço especializado na atenção ao idoso, o atual Instituto Paulista de Geriatria e Gerontologia, antigo CRI São Miguel inaugurado na gestão do Dr. Guedes, e fomos a primeira iniciativa por Organização Social de Saúde.

Ao longo destes 10 anos, tivemos que reavaliar conceitos, quebrar paradigmas e foi necessário ousar nas ideias para construir o nosso modelo atual de atendimento gerontológico. São poucos os serviços especializados no cuidado ao idoso que realizam a mesma quantidade de atendimentos que realizamos, que são cerca de 22 mil atendimentos por mês, entre consultas médicas, assistenciais, exames e atividades no centro de convivência. Temos serviços inovadores, como o serviço de odontologia, que restabelece a saúde bucal de muitos e realiza a colocação de implantes dentários, o que é raridade no SUS. Desde 2005, já realizamos mais de 2,5 milhões de atendimentos. Neste período, alcançamos a certificação de qualidade da ISO9001 e ficamos em 2º lugar no município e 3º no Estado entre os 40 AME avaliados pelo Compromisso com a Qualidade Hospitalar, o que pode ser evidenciado pelos constantes índices de satisfação de atendimento maiores que 90%. Além da assistência, temos participado ativamente dos diversos comitês, câmaras técnicas, fóruns e conselhos para ajudar na discussão e formulação das políticas públicas à pessoa idosa. Ajudamos na elaboração e concepção dos novos serviços ambulatoriais especializados em idosos que serão inaugurados.

Nestes 10 anos, o CRI Norte teve um impacto importante na vida de muitos idosos da região, muitos voltaram a andar, resgatando sua autonomia e independência, outros descobriram novos amigos e voltaram ao convívio da sociedade, além de inúmeras outras histórias. Isso só foi possível, pelo empenho, dedicação e compromisso dos inúmeros colaboradores do CRI Norte e ACSC. Uma boa parte das pessoas que emprestaram seu conhecimento, capacidade laboral, comprometimento e entusiasmo na construção deste Centro de Referência encontram-se aqui hoje.

Eu tive o privilégio de participar de grande parte destes 10 anos do CRI Norte, conheci o trabalho das irmãs de Santa Catarina e me orgulho em fazer parte desta grande obra. Também tive a oportunidade trabalhar e aprender com Alline Cezarani, que foi Diretora da casa antes de mim e é a atual Diretora Executiva do Hospital Santa Catarina. E sou muito grato por tudo isso.

Parabéns a todos nós que, de uma forma ou de outra, contribuímos com essa obra chamada CRI Norte e que agora completa dez anos.

Obrigado.”

Dr. Carlos André Uehara

Diretor executivo do CRI Norte

Emocionada, Irmã Nilza relembrou a implantação do CRI Norte e a importância da parceria da ACSC com a Secretaria do Estado de Saúde de São Paulo. Mencionou a importância dos colaboradores que contribuíram e os que contribuem diariamente para consolidação desse serviço ambulatorial especializado no idoso, com qualidade e comprometimento, tornando-se parte dessa história e colaborando com a manutenção da filantropia da ACSC.

Dia Internacional da Mulher

No início de março, muitas Casas da Associação Congregação de Santa Catarina fizeram uma programação especial para lembrar o Dia Internacional da Mulher.

Para homenagear as colaboradoras, o Hospital Estadual Central ofereceu consultoria de maquiagem, cardápio especial, bombom de sobremesa e palestra de moda cotidiana ministrada por Tania Maria Crivilin, coordenadora do curso de moda da Faculdade Faesa.

Já o Hospital São Luiz (Cáceres – MT) comemorou a data com um delicioso café da manhã oferecido a todas as colaboradoras que estavam de plantão no dia. Foram entregues lembrancinhas pela equipe da Pastoral da Saúde e Capelania do HSL, além de  homenagens por meio de vídeos e músicas.  No final, a Irmã Consuelo Aparecida da Silva fez uma Oração envolvendo todas as mulheres, em especial duas gestantes que estavam no local.

O Hospital de Clínicas Nossa Senhora da Conceição (Três Rios – RJ) organizou um encontro entre a ginecologista e obstetra Drª. Karen Helena e as colaboradoras do Hospital para tratar de assuntos do universo feminino. O bom humor, característico da médica, deu o tom do encontro e deixou as participantes muito à vontade. “Além de instrutivo, foi bastante divertido! A médica é muito descontraída e deixou todo mundo muito à vontade. Consegui tirar minhas dúvidas e aprender um pouco mais sobre a saúde feminina”, resumiu Luciana Soares Marinho, da Ouvidoria. Após o bate-papo, foi servido um delicioso lanche com alimentos saudáveis e ricos em nutrientes, com dicas sobre os benefícios de cada um deles. Para finalizar o dia, profissionais d’O Boticário deram dicas de maquiagem e foram sorteados 15 kits de beleza entre todas as colaboradoras da Casa.

HEC implanta sistema de gestão de documentos

Pensando na economia de papel e na preocupação com a segurança da informação, o Hospital Estadual Central, por meio do Serviço de Qualidade, está implantando um sistema de gestão eletrônica de documentos que irá impossibilitar as cópias não autorizadas e a alteração na padronização dos documentos internos.

A iniciativa vem para garantir um controle maior da atualização de toda documentação interna, como formulários, instruções de trabalho, fluxogramas e protocolos assistenciais (que padronizam as rotinas de atendimento aos pacientes), além de otimizar os processos de publicação dessa documentação. A utilização do sistema também resultará em uma grande economia de papel, já que as cópias controladas deixam de existir e todo o processo de validação dos documentos passa a ser realizado online.

“Hoje é disponibilizada uma pasta com uma cópia de cada documento para os setores. Essa é uma forma de dar acesso aos documentos para os colaboradores, porém, há um custo com impressão que será eliminado após a implantação do sistema”, esclarece a gerente do Serviço de Qualidade do HEC, Ingryd Nascimento Rodrigues.

Após ser implantado por completo, o que deve acontecer até abril, os mais de 1.200 documentos existentes serão transferidos para o ambiente eletrônico.

HTO Dona Lindu supera a marca de 16 mil cirurgias realizadas

Um balanço divulgado recentemente aponta que o Hospital Estadual de Traumatologia e Ortopedia Dona Lindu (Paraíba do Sul-RJ) ultrapassou a marca de 16 mil cirurgias realizadas em cinco anos de funcionamento. São milhares de pacientes beneficiados por cirurgias seguras em um hospital referência em todo Estado, que é destaque nacional na realização de procedimentos de alta e média complexidade em trauma e ortopedia.

Desde sua inauguração, em junho de 2010, até fevereiro de 2015, o hospital contabiliza 16.415 procedimentos realizados. As especialidades de mão e joelho são as líderes das estatísticas, com 2.815 e 2.794 cirurgias respectivamente. Somente neste ano, contabilizando janeiro e fevereiro, já são 659 procedimentos e, a cada mês, mais pacientes que aguardavam tratamento são atendidos.

Vale ressaltar que também já foram realizadas 16 edições do mutirão de cirurgias ortopédicas. Desde 2012, 450 pacientes foram beneficiados por estas ações. Os participantes de cada mutirão seguiram o fluxo de cirurgias eletivas do SUS no Estado, passando por consultas com médicos especializados em seu município e foram avaliados pelas Secretarias de Saúde locais.

“Essa marca é muito importante para todos nós e mostra como o nosso hospital contribui a cada ano para mudar milhares de vidas em todo o estado do Rio de Janeiro. Vamos seguir trabalhando com seriedade e profissionalismo para que nossos pacientes tenham todo cuidado e atenção que buscam em uma unidade de saúde e saiam daqui satisfeitos”, disse o diretor executivo do hospital, Artur Hummel.

Novidades da Creche Madre Regina: formação, planejamento e aniversário

Recentemente, os colaboradores da Creche Madre Regina (Fortaleza-CE) participaram do primeiro encontro de 2015 para Formação Continuada, que contou com momentos de Espiritualidade com a Irmã Messias, palestras, treinamento da Brigada de Incêndio, vivências e reflexões.

O encontro propôs também a realização do planejamento da Creche para o mês de março e, nesse sentido, o setor pedagógico refletiu sobre o período de adaptação dos alunos e sobre o desenvolvimento das crianças de 1 a 3 anos. Também foi uma oportunidade para o encontro com Amélia Albuquerque, representante da Pastoral da Educação e da CNBB em Fortaleza, que apresentou a Campanha da Fraternidade de 2015 e levou os colaboradores a refletir sobre a atitude do Papa Francisco ao lavar os pés de um fiel, mostrando que a Igreja atualizou o gesto de Jesus.

As novidades não param por aí. No dia 8 de março, a Casa fez aniversário e completou 16 anos de assistência ao próximo. Fundada em 1999, a Creche Madre Regina, em seu início, atendia crianças com vírus HIV ou filhos de pessoas vivendo com HIV. Dois anos após sua fundação, a Casa abriu vagas para toda a comunidade e, desde então, a procura por vagas tem se mantido além da cota ofertada pela Creche.

Atualmente, a creche recebe 230 crianças e sua equipe é formada por 42 colaboradores, distribuídos entre os setores de Administração, Nutrição, Pedagogia, Assistência Social e Serviços Gerais.

CSC-JF oferece vagas no curso de Musicalização para Bebês

A Escola de Música do Colégio Santa Catarina de Juiz de Fora está com inscrições abertas para o curso de Musicalização para Bebês, destinado a crianças de oito meses a dois anos. Para participar das aulas, os bebês deverão estar acompanhados de um adulto responsável, preferencialmente da mãe ou do pai.

De acordo com a coordenadora da Escola de Música, Patrícia Guimarães, o objetivo é desenvolver a relação afetiva entre pai/mãe e filho, além, é claro, de despertar a criatividade musical da criança. “Trabalhar com bebê é algo bastante motivador. O diferencial da nossa proposta é trabalhar a afetividade porque acreditamos que a música proporciona esse vínculo. Nós trabalhamos os sentidos através da música, do toque na criança, estimulamos o bebê a produzir sons com objetos que também exalam cheiro. E isso vai ficar na memória afetiva da criança para o resto da vida”, conta entusiasmada Patrícia.

Segundo Patrícia, a música melhora as conexões neurais da criança para a cognição dela no futuro, como aprendizagem, linguagem, fala, coordenação motora, além das relações sociais. “Também ajuda na percepção de mundo, pois a criança fica mais sensível para perceber tudo em torno dela. A música faz grande diferença na vida de quem tem esse contato desde cedo”, defende Patrícia.

Cresce a procura por Ensino Integral

Dados de 2014 do Censo Escolar da Educação Básica, divulgados em fevereiro, revelam que as matrículas em educação integral apresentaram crescimento de mais de 40% nos últimos cinco anos, tendo passado de 3,1 milhões para 4,4 milhões.

A jornada estendida – sete horas ou mais – abarca hoje pouco mais de 2% e 12% dos alunos de escolas privadas e públicas, respectivamente. No Colégio Santa Catarina de São Paulo, a modalidade funciona das 7h às 18h30 e atende 67 alunos do ensino infantil ao ensino fundamental I. Entre as atividades oferecidas estão: musicalização, artes plásticas e participação ativa dos pais para promover adaptação ao ensino integral, modalidade que vem conquistando a simpatia das famílias.

Adriana Serra Pereira Novaes, Coordenadora Pedagógica de Educação Infantil do Colégio Santa Catarina, alerta que estar atento à escolha da escola e ao método de ensino aplicado é tão importante quanto dedicar-se ao período de adaptação. Justamente pensando nisso, o Colégio desenvolveu um projeto diferenciado para estimular a interação dos alunos.  Esse projeto oferece atendimento individualizado por parte dos professores e outros membros da equipe pedagógica.

A adaptação oferece ainda atividades recreativas, brincadeiras de roda, kits de faz-de-conta, brinquedos de montar, além de contação de história. Enquanto isso, os pais são convidados a participar de rodas de conversas com profissionais convidados das áreas da psicopedagogia e fonoaudiologia, que tratam de questões relacionadas à socialização da criança e ao processo de desenvolvimento da fala. “A participação dos pais é estimulada para que eles possam vivenciar o prazer que seus filhos sentirão em estar na escola e, aos poucos, consigam se sentir seguros da opção pelo colégio e pela proposta pedagógica”, encerra Adriana.

Voluntariado Jovem no Colégio Santa Catarina de Juiz de Fora

Fortalecer os laços de solidariedade com o próximo é uma tarefa permanente do Colégio Santa Catarina de Juiz de Fora, ainda mais nos tempos de hoje. Por isso, desde 2007, o colégio desenvolve um projeto de Voluntariado Jovem, que possibilita aos alunos e educadores resgatarem o sentido da vida nas diversas formas de caridade. Os alunos envolvidos nessa atividade fazem visitas a creches comunitárias e abrigos de idosos, sempre acompanhados por educadores do Colégio. Eles contam histórias para crianças e ouvem relatos de vida dos mais velhos, desenvolvem brincadeiras infantis, além de atividades festivas e celebrações.

 No final de fevereiro, um grupo de ex-alunos do colégio fez questão de participar do projeto mais uma vez. Eles entraram em contato com o professor Juceme Rodrigues, coordenador do projeto e a solicitação foi aceita, demonstrando que o objetivo está sendo alcançado: a semente plantada no coração desses jovens, do trabalho social voluntário, está germinando e dando frutos. O grupo visitou idosos do Abrigo Santa Helena e as crianças do Centro de Proteção do Menor (Ceprom).

 Essa atividade rendeu ao Colégio o Selo Escola Solidária por cinco vezes. A certificação é reconhecida pelo Ministério da Educação, Unesco e Unicef.

Treinamento de coaching para liderança no HMRP

De 10 a 13 de março, os líderes do Hospital Madre Regina Protmann (Santa Teresa – ES) receberam o treinamento Líder Coach – O gestor do futuro, um processo que produz mudanças positivas e duradouras em um curto espaço de tempo de forma efetiva e acelerada.

O processo de Coaching é uma oportunidade de visualização clara dos pontos individuais, de aumento da autoconfiança, de quebrar barreiras de limitação, para que as pessoas possam conhecer e atingir seu potencial máximo e alcançar suas metas de forma objetiva e, principalmente, assertiva.

O treinamento teve o objetivo de identificar entre os colaboradores pessoas com disponibilidade a desenvolver liderança e proporcionar oportunidade de crescimento para os coordenadores do HMRP.

Obra Social Santa Catarina-JF promove debate sobre questões femininas

Em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, a Obra Social Santa Catarina (Juiz de Fora -– MG), reuniu as frequentadoras da Casa para um momento de reflexão. Acompanhado pela coordenadora geral da Obra, Carla Cristina, pela psicóloga Luciana Lucchesi e pela professora Míriam Costa, o grupo assistiu ao filme “Histórias Cruzadas” (The Help). Após assistirem ao filme, as mulheres presentes debateram sobre as questões levantadas na narrativa, que tem muito a ver com o dia a dia feminino.

O filme se passa na década de 1960 e mostra a história de uma escritora que começa a entrevistar mulheres negras de uma pequena cidade do Mississipi/EUA. Em comum, as entrevistadas têm o fato de terem deixado suas vidas para trabalhar na criação dos filhos da elite branca, da qual a própria escritora faz parte. A trama vai além da discriminação racial e aborda a dificuldade de mulheres no mercado de trabalho, de mulheres sem maridos, casadas, porém, sem filho e a desvalorização do trabalho da empregada doméstica. Fala também da força, da união e sobre a possibilidade de mudar uma realidade enfrentando-a com coragem.

 “Elas puderam transpor a ficção para o mundo de suas realidades e pediram mais momentos como estes, uma vez que, se for depender delas, nunca acharão tempo para fazer isso”, contou a coordenadora da OSSC-JF. Como o resultado foi positivo, a psicóloga da casa sugeriu organizar, de tempos em tempos, uma tarde de café cultural na Casa. “Deixaríamos a cargo delas os temas a serem abordados, tendo o nosso olhar de profissional atento para direcionar a discussão e até mesmo encaminhar o tema para outro momento”, afirmou Luciana.

Poesia: Secretária do CSC-JF tem o dom de brincar com as palavras

“Não acho que tenho o dom de escrever, porque as palavras estão aí. Às vezes, as pessoas têm dificuldade de se expressar, mas por quê? As palavras só vêm se você adquire o hábito de ler”. Apesar de sua modéstia, a secretária do Colégio Santa Catarina de Juiz de Fora, Maria das Graças de Medeiros Andrade é, sim, uma poetisa, com letra maiúscula, e vive a encantar os colaboradores e alunos da Casa com seus textos. Ela sabe que as palavras têm poder e que, quando usadas com amor, provocam um efeito encantador, capaz de fazer brotar sorrisos, alegrar corações e derramar lágrimas.

Para quem desconhece seus textos, basta ir um dia à secretaria do Colégio e observar um ficheiro de acrílico sempre em destaque em cima do balcão. É nele que Graça (como é conhecida na Casa) compartilha seu dom. Começou até como uma brincadeira. Eu disse: “Vamos colocar aqui uma mensagem de Natal, porque acho que isso humaniza o ambiente. O pai ou a mãe que vier aqui para fazer a matrícula e ler a mensagem vai sair tocado. Aí, no início do ano, colocamos uma mensagem de boas-vindas. E assim foi surgindo uma mensagem para cada data especial”, conta.

E lá se vão mais de 100 poesias belíssimas. A diretora geral do CSC, Irmã Ernestina Lemos, vive incentivando Graça a selecionar algumas e publicá-las em livro. Ela desconversa, mas não descarta a ideia. Diz que vai amadurecê-la. O dom de escrever, segundo a secretária, é consequência do gosto de ler. “Isso é uma herança que minha mãe me deixou. Ela sempre foi uma mulher um passo à frente e sempre me deu muitos livros, me incentivou muito a ler”.

Peregrinação da Imagem de Nossa Senhora de Fátima passa pelo HSC

No dia 23 de março, a capela do Hospital Santa Catarina (SP) promoveu uma programação especial: a peregrinação da imagem de Nossa Senhora de Fátima, que contou com um momento de espiritualidade, oração do terço e missa.

Nossa Senhora de Fátima, também conhecida como Nossa Senhora do Rosário de Fátima, é um dos muitos nomes atribuídos à Virgem Maria. Por seis meses consecutivos, em 1917, exceto em agosto, Nossa Senhora apareceu para três crianças, pastores da região de Fátima, Portugal. Em suas aparições, Nossa Senhora pedia para que fosse rezado o terço todos os dias, para a conquista da paz e o fim da guerra. A mensagem de Fátima é uma mensagem de conversão e arrependimento.