Colaboradores ACSC devem atualizar seus dados cadastrais até 30 de maio

Nos próximos dias, a ACSC iniciará uma campanha interna para que todos os colaboradores atualizem seu cadastro para atender a uma exigência legal.

Detalhes de como você fará a atualização do seu cadastro serão disponibilizados nas Casas em breve.

É importante que todos estejam cientes que a meta da ACSC é atingir 100% de atualização de dados e, com isso, apoiar uma mudança importante no cenário brasileiro: a implantação do eSocial, um sistema unificado de informações dos trabalhadores, que deve facilitar no futuro uma série de processos, como o recebimento de benefícios sociais, tais como aposentadoria e auxílios doença, acidente e licenças. Fique atento à atualização cadastral!

O tempo pascal e olhar ao irmão

Em discurso proferido recentemente pela ocasião da Páscoa, o Papa Francisco lembrou a todos nós a importância da busca de um mundo com mais paz e solidariedade, no qual as pessoas não estejam expostas a tragédias como a guerra, a fome e a degradação do ser humano.

“Ajuda-nos Senhor a derrotar a praga da fome, agravada pelos conflitos e pelos imensos esbanjamentos dos quais, frequentemente, somos cúmplices. Ajuda-nos também a proteger os indefesos, sobretudo as crianças, as mulheres e os idosos, tantas vezes objeto de abandono”, disse o pontífice.

Neste tempo pascal é importante que nos questionemos sobre o nosso posicionamento em relação a estes temas. Será que estamos olhando verdadeiramente para as necessidades daqueles que nos cercam? Será que estamos preocupados em oferecer auxílio àqueles que mais sofrem, que estão excluídos, que já não conseguem se levantar sozinhos? Será que, a exemplo do que nos pede Jesus, estamos amando nosso próximo como a nós mesmos?

Se tivermos dúvidas em relação a nossa postura nesse sentido, vale aproveitarmos este tempo para resgatarmos atitudes que nos reaproximem dos valores pregados por Jesus e disseminados pelos seus apóstolos.

Páscoa significa passagem. A passagem de Cristo deste mundo para o Pai, da morte para a vida, das trevas para a luz. Também nós devemos aproveitar este período para renovar não apenas a nossa fé, mas também a nossa conduta, como cristãos que, de fato, querem glorificar a Deus, evangelizar e anunciar o projeto de Jesus a partir de ações práticas, que levem mais amor e irmandade à vida das pessoas.

ACSC celebra os resultados de sua participação na Reatech

Em abril, a ACSC participou, pelo segundo ano consecutivo, da XIII Feira Internacional de Reabilitação, Inclusão, Acessibilidade e Esporte Adaptado (Reatech), em São Paulo. A Feira é o maior evento do segmento de inclusão do Brasil.

Durante a Reatech, além de apresentar o trabalho que oferece nas áreas de Saúde, Educação e Assistência Social, a ACSC apresentou aos visitantes de seu estande o Programa Vida Plena – programa institucional que tem como premissa oferecer oportunidade de trabalho às pessoas com deficiência.

Estima-se que mais de quatro mil pessoas passaram pelo estande da ACSC ao longo dos quatro dias do evento. Os interessados tiveram a oportunidade de participar de um concurso cultural promovido pela instituição durante o evento, que propôs a formulação de uma frase a partir do tema: “Ter uma Vida Plena significa…”. Mais de 200 frases foram inscritas e as duas melhores serão premiadas com um Tablet. O resultado do concurso será divulgado no dia 30 de maio. 

ACSC lança um olhar sobre suas práticas em Gestão de Pessoas

Desde o ano passado, a ACSC vem se dedicando a analisar suas práticas em Gestão de Pessoas, com o objetivo de fortalecer a relação com seus colaboradores, por meio de iniciativas que reflitam os Valores da instituição e que também estejam alinhadas ao que é praticado no mercado.

Nessa direção, ao longo de 2014, a ACSC realizará a revisão de suas Políticas Corporativas de Gestão de Pessoas. A primeira fase, que abrange oito Políticas, a exemplo das Políticas de Recrutamento e Seleção e da Política de Admissão, em breve será disponibilizada para consulta de todos os colaboradores através de um Portal na intranet. O mesmo processo ocorrerá para a publicação das demais Políticas ainda em revisão.

Os ganhos deste trabalho são inúmeros. Independente da Casa onde atua, o colaborador será assistido com o padrão ACSC de gerir pessoas, que é baseado no princípio de que todos são iguais e merecem o mesmo respeito, cuidado e atenção.

Um exemplo prático desse posicionamento é a parceria estabelecida com o portal VAGAS.COM para apoiar a ACSC na divulgação das oportunidades de trabalho de todas as suas Casas. Com essa parceria, além do candidato externo, o colaborador da ACSC poderá inscrever-se às oportunidades de recrutamento interno que forem divulgadas através da ferramenta.

Com manutenção deste foco, a área de Gestão de Pessoas está realizando projetos em diferentes frentes de trabalho, a exemplo de ações em temas como Inclusão de Pessoas com Deficiência, Benefícios e Qualidade de Vida. Vale destacar o projeto voltado à revisão das descrições de cargo da área de Educação, cujo resultado subsidiará a ACSC na avaliação de iniciativas para esta área e, a partir da experiência, desdobrá-la para as áreas da Saúde e Assistência Social.

A ACSC quer ser o melhor lugar para que seus colaboradores desenvolvam suas carreiras. Para isso, manterá o olhar atento e cuidadoso com a Gestão de Pessoas. Afinal, sua razão de existir é cuidar de pessoas!

Entre o hospital e a livraria

A rotina é cheia de desafios. Dr. Manoel e sua equipe trabalham na linha de frente do Hospital Regional de Cáceres, referência de atendimento não apenas no Mato Grosso, mas em Estados e até países vizinhos. É lá que ele aplica, em plantões de 24 horas, suas habilidades de traumato-ortopedista. Manoel Campos Neto se formou em medicina há 38 anos, no Rio de Janeiro. “Desde criança quis estudar medicina”.

Escolheu se mudar com a família para o interior para levar uma vida mais tranquila. Chegou a Cáceres em 1980, onde alavancou a carreira. Ele conta que o início não foi fácil. “Só comecei a ser respeitado na cidade depois que operei o pai idoso de uma ex-prefeita”, diz. Depois disso a vida profissional só foi expandida. Em 1992 se tornou, oficialmente, perito legal contratado pelo Estado do Mato Grosso, e dois anos depois prestou concurso para o cargo.

Manoel Neto em um congresso em Istambul

A experiência na área da medicina legal foi a motivação para escrever dois livros. O primeiro – “Mulas Humanas”: No narcotráfico internacional Bolívia – Brasil, suicidas em potencial – foi publicado pela Editora Millenium. Já o segundo – Atlas de Medicina Legal: Guia prático pra médicos e advogados – tem previsão de lançamento em junho.

Por causa do seu trabalho como médico legista, traumato-ortopedista e escritor, Manoel Neto, ministrou palestras em várias partes do Brasil, em outros países e concedeu entrevista no Programa do Jô, da Rede Globo.

Creche Monteiro Lobato adota iniciativas simples para preservar o meio ambiente

As questões ambientais ganharam força na última década e o termo sustentabilidade está em voga. No dicionário, sustentabilidade se traduz pela característica ou condição de um processo ou de um sistema que permite a sua permanência, por um determinado prazo. Sustentabilidade também pode ser definida como a capacidade do ser humano interagir com o mundo, preservando o meio ambiente para não comprometer os recursos naturais das gerações futuras. Ultimamente este conceito tornou-se um princípio. E nada melhor que cultivá-lo desde cedo, com as crianças. Por isso, consciente de seu papel de trabalhar temas relevantes para a boa vida no planeta, a Creche Monteiro Lobato (MG) montou um projeto que objetiva economizar água e diminuir a produção de lixo na instituição.

Bomba utilizada para captação de água da chuva

Em relação à água, a Creche improvisou um sistema para captar água da chuva. “Eu comecei a contabilizar o nosso consumo mensal de água e aí pensei que seria possível fazer alguma coisa para economizar. E então comecei a pesquisar, inclusive, eu li que o Lar Madre Regina, em Guarulhos, que pertence à Congregação das Irmãs de Santa Catarina, inovou com um projeto para aproveitar a água das chuvas e me inspirei”, explica Karine Rezende, coordenadora geral da Creche. Foi comprada uma bombona, com capacidade para 230 litros, que foi anexada num local alto, a mais ou menos três metros do chão, para que a água tenha força para sair pela torneira adaptada quase na base do recipiente. Essa bombona está ligada à calha do telhado, onde foi instalada uma espécie de filtro, a fim de evitar que caia folha ou qualquer tipo de impureza maior. Dentro da bombona é colocada uma pequena quantidade de água sanitária, que preserva a água armazenada por cerca de uma semana. “Nós usamos essa água para aguar a nossa horta e para lavar o pátio externo”, completa Karine.

 Outra preocupação da coordenadora era em relação ao lixo produzido pela Creche. “Eu comecei a perceber que boa parte do nosso lixo era resto de alimentos, como casca de ovo, casca de legumes e de frutas. E eu quis saber se haveria uma forma de utilizar isso, de alguma maneira. Novamente comecei a pesquisar e cheguei à técnica da compostagem”, conta Karine, com entusiasmo. O processo consiste em colocar todo o resto orgânico do lixo num tambor e cobrir com uma fina camada de serragem ou de terra. Essa mistura é remexida todos os dias e, ao fim de três meses, vira adubo orgânico que é utilizado na horta e no jardim da Creche.

 A coordenadora ressalta que a horta foi criada este ano e já está produzindo alface, tomate cereja, salsa e cebolinha, erva cidreira, boldo, manjericão, hortelã e rúcula. Tudo será utilizado para consumo interno, na produção das refeições para as crianças. Além de estimular o hábito da alimentação saudável, tudo o que for consumido fresquinho, direto da horta, será orgânico, sem agrotóxico algum. “Em ambos os processos, tanto da captação da água da chuva quanto na compostagem, estamos começando com uma pequena escala, como um projeto experimental e, se der certo, pretendemos ampliar a ideia. O custo do nosso investimento foi apenas de 230 reais. O resto é só benefício, para creche e para o meio ambiente”, destaca Karine.

As bombonas utilizadas no projeto foram pintadas pelas crianças das salas de três anos como uma oportunidade para introduzir o tema da sustentabilidade. As educadoras falaram sobre meio ambiente, lixo e compostagem. A partir daí, as crianças começaram a fazer visitas à horta para acompanhar o crescimento das hortaliças. Agora, as turminhas maiores estão elaborando uma horta vertical, feita com garrafa PET, onde serão plantadas algumas ervas. O próximo passo, segundo Karine, é replicar a iniciativa com as famílias das crianças e também com a comunidade do entorno da creche. “A ideia é convidá-los a conhecer o projeto e explicar como funciona, mostrando que qualquer pessoa pode fazer isso em casa, porque é simples e barato”.

Escola Santa Catarina participa de projeto voltado à inclusão

Em parceria com o Instituto Federal do Espírito Santo – Campus Santa Teresa, os alunos da 6ª série da Escola Santa Catarina participaram do Projeto Jardim Sensorial Orgânico, voltado à elaboração de estratégias que propiciem a acessibilidade atitudinal às pessoas com necessidades específicas. O objetivo desta experiência é investigar, por meio da metodologia de Pesquisa-Intervenção, os efeitos inclusivos proporcionados pelo contato dos alunos com o Jardim Sensorial e, consequentemente, os conteúdos atitudinais desenvolvidos.

 

 

Educadoras do Colégio Santa Catarina de Juiz de Fora participam de Congresso

Um grupo de 11 educadoras (entre professoras, supervisoras, orientadora e psicóloga) do Colégio Santa Catarina (CSC – JF) participou, no final de março, do VII Congresso Internacional de Transtornos e Dificuldades de Aprendizagem, que ocorreu simultaneamente ao Seminário Internacional de Educação Infantil, em Belo Horizonte. O objetivo é capacitar professores, com foco na melhoria da qualidade do ensino. O evento foi realizado no Centro de Convenções do Dayrell Hotel.

Nos dois dias de evento, os participantes puderam assistir a 21 palestras, com 11 autores renomados, sendo dois especialistas de Portugal. “As palestras, embora tivessem temas diferentes,  se entrelaçavam na questão do afeto na relação professor-aluno e, principalmente, a questão do transtorno dos alunos com mais dificuldade. Em todas as palestras, de uma maneira ou outra, falou-se sobre a importância do afeto”, lembra Rosângela Belo, uma das supervisoras do Ensino Fundamental I, contando que no Congresso foi muito falado que a criança com algum transtorno precisa, mais que tudo, do afeto das professoras e do meio escolar, como um todo.

Sandra Mautoni, também supervisora do Ensino Fundamental I, diz que a prescrição sistemática de medicamentos para Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) foi outro assunto relevante abordado no Congresso. “Um dos palestrantes, inclusive, afirmou que para se chegar a um diagnóstico de TDAH, é preciso, mais ou menos, seis meses de acompanhamento, mas hoje em dia, os médicos dão o diagnóstico em uma única consulta. Isso é algo muito sério”, ressalva. Segundo Sandra, o CSC tem vários alunos com laudos de TDAH, disgrafia e Processamento Auditivo Central (PAC), que são crianças que têm dificuldade na aprendizagem. “E lá tomamos conhecimento de outro transtorno que é a Síndrome de Irlen, um distúrbio na percepção visual, que afeta o aprendizado da mesma forma que outros tipos de transtorno”, explica.

De acordo com as educadoras, a neurociência foi outra abordagem frequente nas palestras. “Por ser algo novo, muitas de nós não tivemos essa formação da neurociência, da neuropsicologia, que estão chegando agora às escolas para ajudar no trabalho pedagógico. Se o órgão responsável pela aprendizagem é o cérebro, a gente precisa conhecê-lo e estudá-lo. E isso implica muito na importância do professor sempre se reciclar e buscar uma formação contínua”, destacou Rosângela, lembrando a fala de um especialista no Congresso. “Um palestrante falou do fracasso escolar e perguntou: ‘De quem é o fracasso escolar? Quem é o responsável? Não existe receita pronta em educação, mas se eu tivesse que dar uma receita, seria a formação do professor. É você preparar o professor, o professor estudar, abraçar de corpo e alma a profissão, e tem que gostar do que faz’. Os desafios do século XXI não são os mesmos dos do século passado, e a gente fica muito presa ao que acontecia no século XX. Então, o professor precisa abraçar essa nova caminhada, que só é possível quando a gente busca se capacitar continuamente. Só assim conseguiremos avanços dentro da sala de aula. O professor precisa entender como o aluno aprende, até para entender a dificuldade que ele traz”.

Todas as palestras assistidas pelo grupo do CSC- JF falavam, em geral, da importância da figura do professor, exaltando sua missão. Segundo Sandra, em uma das apresentações, um especialista terminou sua fala com a seguinte frase: ‘Nada substituiu um bom professor’. “Ele quis dizer que hoje em dia nós estamos no mundo da tecnologia, ou seja, os alunos aprendem na ponta dos dedos, no computador. Mas que nada substitui um bom professor. E por quê? Por causa do afeto. O resto das coisas são todas frias, ele vai lá e adquire o conhecimento que ele quer, mas nada substitui aquele professor que é envolvido, afetuoso, que procura saber as especificidades de cada aluno, que programa suas aulas de forma dinâmica”, esclarece Sandra.

“Muita coisa a gente aprende de novo. A gente sabe, mas aquilo fica adormecido, e então vem aquela palestra e te cutuca, te chama de novo para a responsabilidade de ter aquele olhar diferenciado que o dia a dia engole, a prática engole”. A revelação de Rosângela prova que a capacitação contínua é fundamental para a realidade escolar. A partir de agora, as onze educadoras que participaram do Congresso irão se reunir para elaborar um material com a síntese de tudo o que foi visto no evento e, a partir daí, compartilhar com as demais educadoras do Colégio, a fim de que isso reflita no trabalho de toda a equipe.

“Todas as palestras foram muito boas e emocionantes. Eu saí dali cutucada, leve e doida para chegar na escola, porque eu sabia que ao chegar na escola eu iria olhar os alunos de maneira diferente. Todas as palestras valorizaram muito a figura do professor e nos mostrou que nós temos muitas armas nas mãos, a gente tem muito como ajudar o aluno, como motivá-lo”, conclui Rosângela. “A motivação tem muita importância. Fomos instigadas a nos lembrar daquele professor que nos marcou positivamente e refletir sobre o que ele fazia que eu ainda me recordo dele com carinho? Então, que eu faça o mesmo. Quer receita melhor do que essa? Você seguir o bom exemplo de um professor que te marcou? Agora, lembra daquele que te marcou negativamente e não reproduza o que ele fazia. São coisas básicas, mas você ouvir isso te alimenta”, complementou Sandra.

Estiveram presentes no Congresso as professoras Valdirene Andrade Honório, Juliane Szymanowski, Vanylene Lessa Dilly, Míriam de Freitas Machado Miranda, Aline Loures, Graciene Fontes Loures, Franscismara Salgado Martins, as supervisoras pedagógicas Sandra Mautoni e Rosângela Belo, a psicóloga Anna Paula Gomes da Silva e a orientadora educacional Alda Lúcia Moura Guimarães.

Encontro Formativo entre Casas de Educação Infantil

No fim de março, aconteceu o I Encontro Formativo de Educação Infantil envolvendo Casas da ACSC, que atuam no segmento em São Paulo – Casa da Criança de Vila Mariana, Creche Sagrada Família e NESC – Núcleo Educacional Santa Catarina.

O objetivo era promover uma maior integração entre as Casas, além da padronização de práticas educativas. O encontro aconteceu na Casa da Criança, na Vila Mariana, e reuniu mais de 40 pessoas, entre educadores, coordenadoras e equipe de enfermagem.

O evento teve início com um momento de espiritualidade e apresentou palestras sobre primeiros socorros e a importância do ato de brincar, com a educadora e pesquisadora Valéria Citta.

Além das palestras, as Casas puderam apresentar seus números e realizações, no formato de prestação de contas, e também compartilharam com o grupo uma experiência pedagógica de sucesso.

 

 

 

15° Curso de Gestantes no HCNSC

Todos os anos o Hospital de Clínicas Nossa Senhora da Conceição (HCNSC) promove o Curso de Gestantes para futuras mamães da rede pública de saúde. O curso é inteiramente gratuito e conta com palestras e aulas práticas que esclarecem as dúvidas das gestantes e também de alguns pais que comparecem ao evento, como o Técnico em Informática Daniel Luiz Steineker que vai ter seu primeiro filho e participou dos dois dias de curso ao lado da sua esposa, Felícia Steineker.

Neste ano, o curso ultrapassou a marca de 500 gestantes atendidas. Elas recebem orientações de profissionais do próprio Hospital nas áreas de obstetrícia, pediatria, infectologia, urologia, enfermagem, nutrição, fisioterapia, psicologia e serviço social.

As participantes interagiram bastante com os palestrantes e demonstraram um grande interesse nos temas abordados, como declarou a estudante Camila Alcântara de 20 anos: “O curso foi muito importante para todas nós, conseguimos tirar dúvidas que às vezes, a sós com o obstetra não conseguimos, talvez por vergonha ou até mesmo por falta de tempo, pois as consultas são bem corridas e no curso tivemos uma ótima oportunidade de conversar e conhecer ainda mais sobre a gravidez”.

A Nutricionista Marcela Pires Freire fala da importância desta iniciativa: “O curso de gestantes é importante, pois abre uma oportunidade para que as futuras mamães possam tirar suas dúvidas com uma equipe multiprofissional e compartilhar experiências com outras gestantes na mesma fase da vida”.

A Assistente Social Ariane Monteiro Cunha declarou que o grande objetivo do curso é tranquilizar as gestantes durante essa fase da vida que gera muitas dúvidas: “Nosso objetivo maior é prestar orientações e informações às futuras mamães, tranquilizando-as para o parto e pós-parto”, finalizou.

Além de participar das aulas, as gestantes são acolhidas com um coffee break especial e recebem um kit de produtos para o bebê ao final do curso. O HCNSC realiza o curso para gestantes desde 2006 e ainda este ano acontece mais uma edição, no mês de setembro.

Parceria com Hepic

A ACSC  fechou, recentemente, um contrato com a First Solutions Brasil, para a implementação do Hepic (Hospital Epidemiologic Control) – um software que permite a prevenção e o controle da infecção hospitalar e associadas aos cuidados de saúde – nas Comissões de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) da sua rede própria de Hospitais.

Na área da Saúde, a ACSC concentra um conhecimento de gestão hospitalar de mais de 100 anos. Com investimentos em planejamento e processos, as unidades geridas pela entidade oferecem atendimento humanizado, diferenciado e moderno.

Atualmente, a ACSC administra vários centros de saúde e oito hospitais próprios, entre os quais o Hospital Santa Catarina (São Paulo) e a Casa de Saúde São José (Rio de Janeiro), onde o Hepic já está em fase de implementação.

O Hepic foi avaliado, entre outras ferramentas, por médicos, enfermeiros e profissionais de TI da ACSC e, de acordo com Dra. Camila Sardenberg, Diretora Corporativa de Qualidade e Segurança do Paciente da Associação Congregação de Santa Catarina, o sistema foi escolhido “pelo funcionamento amigável e pela especialização na gestão e controle das infecções relacionadas à assistência à saúde”.

Com esta ferramenta, o trabalho da CCIH será mais eficaz na recolha e disponibilização de informação em tempo real, “vamos compartilhar conhecimento, economizar tempo nas nossas ações, já que uma experiência bem sucedida poderá ser replicada, além de reduzirmos o desperdício, uma vez que padronizaremos ações e recursos para diagnóstico e tratamento das infecções”, afirma Dra. Camila.

O objetivo da adoção dessa ferramenta de trabalho pela CCIH na ACSC é sobretudo “prevenir danos e sempre melhorar a segurança e assistência ao paciente, uma vez que os indicadores serão padronizados e a comunicação mais rápida. Como somos um grupo grande, com vários estabelecimentos de assistência à Saúde, esperamos que a ferramenta nos ajude a trabalhar melhor em equipe e em rede”, explica Dra. Camila.

Para a Diretora Comercial da First Brasil, Victória Musallam, este projeto vem atestar mais uma vez o diferencial inovador da solução para o mercado da saúde. “Temos tido por parte dos nossos clientes um feedback muito positivo relativo às mais-valias do sistema e na forma de como esta ferramenta facilita o já tão complexo trabalho das equipes das CCIH´s. Para nós é um privilégio poder contribuir ativamente com a nossa solução para esse trabalho”.

Com o Hepic “teremos grandes ganhos” sendo que “o melhor ganho será na assistência aos nossos pacientes”, conclui a Dra. Camila Sardenberg.

 

Cirurgia inédita de coluna é realizada no Hospital Santa Teresa

Cerca de 80% da população sofre com dores na coluna, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). Mas muitos dos que sofrem com as fortes dores temem o diagnóstico e método cirúrgico por acharem complexos e dolorosos. A partir deste ano, os moradores de Petrópolis (RJ),  já não precisam mais se preocupar com o grande trauma de uma cirurgia de coluna.

Já está disponível na cidade a técnica cirúrgica minimamente invasiva para procedimentos da coluna, realizada pela primeira vez  no Hospital Santa Teresa (HST),  pela equipe do médico ortopedista e especialista em coluna Paulo Brum. A XLIF (do inglês Extreme Lateral Interbody Fusion – fusão intersomática por via extremo-lateral) é realizada através de uma incisão (±5 cm) lateral ao corpo do paciente.

De acordo com Dr. Paulo Brum, a nova técnica difere das técnicas tradicionais por ser menos traumática e oferecer alta precoce aos pacientes. Dentro das doenças que podem receber tratamento por este procedimento estão, entre outras, a escoliose, hérnia de disco e a espondilolistese.

Dr. Paulo Brum

“O avanço tecnológico aliado à medicina vem propiciando o desenvolvimento de técnicas minimamente invasivas que visam uma recuperação mais rápida dos pacientes, além de ser menos dolorosa, com risco de infecção reduzido e sem necessidade de transfusão de sangue. O nosso paciente foi embora andando após 48h de realização do procedimento.”, explicou Dr. Paulo Brum.

O diretor executivo do Hospital Santa Teresa, Vinícius Tadeu de Oliveira, parabenizou Paulo Brum pelo sucesso do procedimento, que é o terceiro inédito realizado no Hospital. Em 1982 foi realizada a 1º cirurgia de coluna com instrumentação e em 1983 a primeira cirurgia de escoliose com instrumentação, todas no HST.

“Ficamos lisonjeados em receber Dr. Paulo Brum aqui no Hospital, para realizar mais uma cirurgia inédita no nosso Município. Parabenizamos a toda equipe pelo sucesso do procedimento e estamos abertos para receber outros especialistas que queiram realizar qualquer outro procedimento em nosso Centro Cirúrgico. O Hospital Santa Teresa está muito focado nos avanços da área médica e principalmente na realização de procedimentos inovadores.”, finaliza.

Governança Financeira no Hospital Santa Catarina

No início de 2014, o Hospital Santa Catarina (HSC) passou a trabalhar suas finanças por meio de uma Governança Financeira, um modelo de administração com objetivo de criar dados econômico-financeiros a partir de informações de toda a produção da Instituição.

Com estes dados, será possível verificar se o HSC está cumprindo sua meta orçamentária e o que foi proposto no planejamento estratégico. “A ideia é acompanhar os dados financeiros praticamente em tempo real. As informações quantitativas e qualitativas que chegam com maior agilidade permitem fazer correções rápidas quando necessário, revendo processos e fazendo uma análise de causa e efeito”, explica Anderson Guimarães de Freitas, Gerente Financeiro.

Simplificando…

Este assunto pode parecer complicado a princípio mas, na prática, o que a Governança Financeira propõe é uma reeducação de gastos. “Não estamos simplesmente fazendo economia. Reeducação de gastos é utilizar os nossos recursos de forma consciente. Por exemplo, nem sempre precisamos imprimir os e-mails que mandamos. Por isso, a conscientização envolve todos os colaboradores trabalhando em prol da Instituição. Com pequenos gestos em nosso dia a dia, conseguiremos atingir nosso objetivo para 2014, que é ter um superavit de 8% do total dos nossos rendimentos”, explica Anderson.

“Costumo dizer que a Governança Financeira começa na atividade diária e no papel de cada colaborador dentro da sua área de atuação, ou seja, todos no Hospital, sem exceção, desempenham uma função de extrema importância para que esta meta seja atingida. E como contribuir? Desempenhando seu papel com atenção, com vontade e com dedicação, como se fosse o dono do negócio. Esta motivação colabora para que todo o processo seja bem conduzido e que tenhamos os objetivos alcançados”, comenta Marcelo Coli Fernandes, Diretor Financeiro.

Por que tudo isso é importante?

Com o uso consciente dos recursos da Instituição, o superavit do Hospital Santa Catarina aumentará e poderá atingir a meta proposta para 2014. Como o HSC é um hospital filantrópico e parte da nossa missão é contribuir para a sustentabilidade da Associação Congregação de Santa Catarina (ACSC), com nossa economia, aumentará a verba repassada para a ACSC.

Consequentemente, estaremos ajudando ainda mais as milhares de pessoas que dependem dos atendimentos nas áreas de saúde, educação e assistência social, promovidos pela ACSC.

Troféu Mulher Cidadã 2014

A diretora geral do Colégio Santa Catarina-JF, Irmã Ernestina Simões Lemos,  foi agraciada com o Troféu Mulher Cidadã 2014. O título, concedido pela Prefeitura de Juiz de Fora, busca premiar  as mulheres que tenham prestado relevantes serviços ao município em diversas áreas de atuação social. A entrega ocorre sempre em março, mês dedicado às conquistas e lutas pelos direitos da mulher.

Irmã Ernestina foi uma das quinze homenageadas no evento, realizado no Centro de Formação do Professor, no Centro de Juiz de Fora. As homenageadas receberam o Troféu das mãos do prefeito Bruno Siqueira. “Hoje é um dia muito especial para Juiz de Fora, ao homenagearmos pessoas que tanto contribuem para o desenvolvimento do nosso município. Elas nos dão força para que possamos fazer a nossa cidade cada dia melhor. Cada uma delas – trabalhando na saúde, na educação, nos seus setores específicos – desempenha um papel fundamental no cotidiano do nosso município”, destacou o chefe do Executivo.

Irmã Ernestina ficou bastante emocionada com a premiação, mas fez questão de compartilhar os méritos da homenagem. “Eu estou representando várias mulheres queridas e guerreiras que me ajudam no trabalho diário de educar, seja no Colégio, na Creche Monteiro Lobato, na Obra Social Santa Catarina ou no Ambulatório da Glória. Sem elas isso nada disso seria possível. Esse troféu é de todas vocês”, afirmou.

A indicação das mulheres agraciadas com o Troféu Mulher Cidadã é realizada por um conselho presidido pela Secretaria de Governo e composto por representantes das secretarias de Educação, Desenvolvimento Social e Comunicação Social, Funalfa, Câmara Municipal, Universidade Federal de Juiz de Fora, Conselho Municipal dos Direitos da Mulher e Associação Comercial e Empresarial de Juiz de Fora. O troféu foi instituído pela Lei Municipal número 11.652, de 14 de agosto de 2008, modificada pela Lei Municipal número 12.236, de 4 de fevereiro de 2011.

CRI Norte realiza ações para a comunidade

O Comitê de Humanização e Centro de Convivência do CRI Norte, em parceria com o curso de Podologia do SENAC Santana, promoveu uma ação de Autocuidado e Hidratação para os pés, atividade voltada à qualidade de vida dos idosos e colaboradores da instituição. Os profissionais do SENAC compartilharam diversas orientações para se pensar alguns hábitos de saúde e o cuidado para com os pés com massagem e hidratação.

 

 

 

 

Outra ação promovida para a comunidade no mês de março foi a celebração do Dia Mundial da Saúde Bucal, comemorado em 20 de Março, que teve o objetivo de reforçar a importância de uma boa saúde bucal para a qualidade de vida e desenvolvimento social de pessoas de todas as idades.

O Centro de Referência do Idoso programou uma sequência de atividades com apresentações do Coral do CRI Norte, de um vídeo com relatos de idosos e dentistas e palestras.

Este evento teve como objetivo conscientizar seus participantes sobre os reflexos da saúde bucal na saúde geral como celebrar o exercício pleno das diversas funções relacionadas à boca.

De acordo com Bruno Guardieiro – cirurgião dentista do CRI Norte, a saúde bucal está presente em diversos aspectos de nossa vida, em várias atividades diárias: quando sorrimos, falamos, comemos ou cantamos.

Confira  o vídeo do evento: Dia da Saúde Bucal – CRI Norte

O que foi notícia no HTODL

Os colaboradores que fazem parte do grupo de brigadistas do Hospital de Traumatologia e Ortopedia Dona Lindu (HTODL) foram submetidos, no mês de março, ao treinamento de reciclagem em procedimentos de primeiros socorros e práticas de prevenção e combate ao princípio de incêndio. O treinamento visa garantir a segurança dos pacientes, funcionários, visitantes e também do patrimônio. Participaram da ação 57 brigadistas do hospital.

Além da preocupação no combate ao incêndio, o HTO Dona Lindu, também está atento em manter um excelente sistema de prevenção fixa com a presença de hidrantes, caixas de incêndio e sinalização de rotas de fuga em todos os andares, além de promover investimentos na adequação das instalações elétricas e manutenção do sistema de gás.

O subtenente do Destacamento Bombeiro Militar 1-15 de Três Rios, Ailton Castro, foi um dos encarregados de ministrar o curso para os funcionários do hospital, e elogiou a participação dos colaboradores.

No mês de março, o HTODL também realizou o mutirão de cirurgias de joelho. A ação atendou pessoas de diferentes cidades do Estado, todos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O diretor executivo do HTODL, Artur Hummel, ressalta que o papel principal do mutirão é reduzir o tempo de espera dos pacientes SUS, e que a estrutura avançada e a equipe de profissionais do hospital está preparada para garantir a segurança dos procedimentos.

“Já são quase dois anos realizando mutirões, e todos foram bem sucedidos. As cirurgias do hospital seguem o Protocolo de Cirurgia Segura, e a qualidade e os resultados das operações são sempre elogiados pelos pacientes, e isto é o mais importante para nós”, disse Hummel.